Secretaria-Geral da Presidência da República

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Brasão do Brasil.png
Secretária do Governo
Palácio de Despachos, Brasília, Brasil
Aquela gostosa dos seios fartos e voz mansa...
Criado em 2 de outubro de 2015
Anterior Secretaria-Geral da Presidência
Secretaria de Relações Institucionais
Secretaria da Micro e Pequena Empresa
Gabinete de Segurança Institucional
Orçamento EstávelR$ não sei bi
Ministro Geddel Vieira Lima
Subordinados Secretaria Nacional das Micro e Pequenas empresas
Secretaria de Relações Institucionais
® Desciclopédia

A Secretaria de Governo do Brasil (EnGov SeGov) é um órgão ministerial brasileiro ligada a presidência da República e que auxilia o presidente nas burradas que ele faz, seja em atos falhos ou mesmo em cagadas em formas decreto-lei. O órgão surgiu depois da junção de outros três outras secretarias-ministeriais inúteis, as secretarias de Relações Institucionais, a Micro e Pequena Empresa e a Secretaria-Geral da Presidência.

Atribuições[editar]

Até 12 de maio de 2016, o ministério era responsável pela gerência da UNE, UJS e outros movimentos badernistas e grupelhos de SJW pela internet, como o #DesumanizaRedes[1] (este último, em conjunto com o MIMIMIRDH). Depois do governo Dilma, nem o Google, tão pouco o próprio governo e muito menos a Wikipedia souberam explicar quais são as atuais atribuições desse engodo do executivo que não seja a de uma mera secretária, aquela que atente telefonemas e faz caras e bocas a qualquer enternado que passa pelo corredor de onde ela finge trabalhar.

Depois que foram fudidos ao ministério as secretarias de Micro e Pequena empresa e também a secretaria de Relações Institucionais, o órgão ficou responsável pela manipulação do dinheiro que deveria ser destinado ao Sebrae e também pela mediação de qualquer conflito que houver entre os ministérios relacionados a quantidade de verba disponível para desvio.

Ministros[editar]

Logo pais sem popresa.jpg

O ministério recém-criado só teve alguns ministros até agora, como Ricardo Berzoini e Geddel Vieira Lima. Costumam ser indicados ao comando desse cabide ministerial nomes de confiança do mesmo partido do presidente ou de algum aliado igualmente forte, nomes que o corrupto do Planalto sabe que se der chabu, poderá se esconder atrás da figura do ministro.

Ver também[editar]


  1. Apesar de extinto no dia 12 de maio, a militância o grupo Humaniza Redes continua a usar o domínio .gov.br.