Selva

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Cquote1.png Ninguém tem mais bichinhos de estimação do que eu. Cquote2.png
Mogli sobre selva.

Um feroz habitante da selva.

Cquote1.png Eu sou bichinho de estimação. Cquote2.png
Tarzan sobre selva.
Selva são as partes pouco tocadas por humanos, ou seja, lugares em que gente não tocou muita punheta, nem fez muita coisa. Nem por isso precisa necessariamente ser mata virgem, não mate pois está em falta, portanto nada de queimadas, nem coisas do gênero, pois fogo selvagem não combina com selva.

Para ser um animal[editar]

Espécime de habitante feroz voador.

Quem mais aproveita a selva? Os animais claro, os vegetais apenas a compõem, mas quem desfruta mesmo é a fauna... Mesmo sendo matar ou morrer, comer ou ser comido e se acasalar, a selva é um lugar que vale a pena pela adrenalina, pois é melhor viver doidão (não é isso não, seu tonto) algumas décadas a menos do que a senilidade sem emoções, mesmo sendo emo. Dê aquela risadinha diabólica agora, se não pensou que morrer por bobagem com tanta coisa pra descobrir é coisa de emo, mané e idiota. Claro que sim, mas na selva é diferente, isso só se aplica às cidades.

Por mais que a civilização seja uma luta constante, ela nem se compara ao que acontece na selva. Aalma da selva se estende por ela toda e nenhum lugar parece morto ou com ares de coisa pútrida, por incrível que pareça costuma cheirar melhor do que as cidades, mesmo que nem sistema de esgoto possua. Pois entrando na selva a primeira coisa que se nota são os odores e, é possível que você sinta um perfuminho já captado por seu nariz em algumas partes dela, pois claro que há florezinhas de todos os tipos, ou acha que elas nascem apenas em maternidades floriculturas?

Os mais perigosos são os macacos.

As flores parecem delicadas mas se dão muito bem nas selvas e a bicharia aprende muito sobre sobrevivência com elas. Pode acreditar, tão logo uma fera selvagem tenha caçado e se alimentado e vá descansar, ela se vê cercada de florezinhas e começa e ter sonhos com elas, assim aprende sobre o âmago da natureza que está na ladainha toda do processo de crescimento da plantinha... Nem é preciso pastar, para que um bicho tire coisas úteis das plantinhas. Por isso a selva é tão mágica mesmo nem sendo sempre um Bosque Encantado.

Os diálogos selvagens são assim mesmo, aparentemente mesmo que um animal não tenha muito a ver com pantas, ele sabe e sente muita coisa delas, mesmo sem muita emice, ele sente a alma delas e é assim que as coisas funcionam na selva, e quando um bicho é vencido, antes de ser devorado ele cai sobre as plantinhas e é por elas consolado na hora da morte.

Depois sabe que seus restinhos que o predador que venceu deixar, vão se tornar adubos para essas plantinhas... Chega de veadagem, que essas criaturinhas já fugiram saltitando.

Selva fechada e se abrindo[editar]

Deixando de veadagem, mas os antílopes na selva dão em abundância, por isso também são presas fáceis, o que eles tem de selvagem para se proteger são as pernas ligeiras e ainda bem que enquanto um ou outro é pego, a maioria deles foge que é uma beleza, num pula-pula veadinho para ninguém que gosta de ver um correr pra caralho reclamar. Mas como citado anteriormente, não são só herbívorozinhos kawai que acabam abatidos ao chão, nada disso, uma fera que teve dias gloriosos abatendo e pegando fêmeas até não mais foder, queda-se também em meio às plantinhas.

Cobra, segundo mais perigoso depois dos macacos, saiba para se prevenir.

Nessa hora, mesmo antes dos vermes aproveitarem e as plantas mesmo como adubo, os insetos são quem zumbe ao redor antes mesmo de urubus de carniça, ou seja, na selva tudo se aproveita. Nem pense que os insetos da selva são essa coisa triste da civilização: Baratas, pernilongos, pulgas, etc... São insetos coloridinhos e exóticos, que o bichão ou bichona mais exigente pode apreciar de ter seu cadáver aproveitado por eles. Aguarde mais notícias da selva, quando eu tiver tempo e saco bem selvagem para terminar esse artigo :)

Explorar também[editar]