Sergipe

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ser Jipe
Bandeira de Ser Jipe
Bandeira de Sergipe
Brasão de Ser Jipe
Brasão de Sergipe
Lema O que não mata, engorda
Hino
Gentílico azul
Localização
Localização de Ser Jipe
Região Bahia
Capital Salvador
Cidade mais importante Feira de Santana
Estados limítrofes Pernambuco, Maceió, Bahia
Governo
Governador Ninguém conhece
Partido PMDB
Características geográficas
Área 0.001
População Apenas baianos que vem para o carnaval em Aracaju, porém há lendas de que um misterioso povo vive em cavernas no deserto. hab. 2014
Densidade Desconhecido
Clima Tamu Torrado
Indicadores
Analfabetismo 110% 22/10/2017
Mortalidade infantil o calor mata qualquer um que pisa nesse fim de mundo. 22/10/2017
Expectativa de vida Há vida nesse lugar fim de mundo? 22/10/2017
IDH 0.00000000000001 22/10/2017
PIB R$ uns trocados 22/10/2017
0,000001%% do nacional
PIB per capita R$ 22/10/2017


Cquote1.png Você quis dizer: Ser jipe? Cquote2.png
Google sobre Sergipe
Cquote1.png De Aracaju Sergipe para todo o Brasil!!! Cquote2.png
Banda Calcinha Preta sobre Sergipe
Cquote1.png Se for o quintal... é mais arrumado que a casa! Cquote2.png
Sergipano respondendo Google sobre Bahia
Cquote1.png Olá, eu vim do Planeta B-612? Cquote2.png
O Pequeno Príncipe em conversa com o Imperador de Sergipe
Cquote1.png Olá, eu sou do Planeta PIB-0,001? Cquote2.png
Imperador de Sergipe em resposta ao O Pequeno Príncipe
Cquote1.png É o quintal da Bahia? Cquote2.png
Baiano sobre Sergipe
Cquote1.png Bahia é o CABRUNCO!!! Cquote2.png
Sergipano sobre a Bahia
Cquote1.png Nunca vi quintal mais arrumado que a casa Cquote2.png
Estrangeiro em tradução literal sobre Sergipe
Cquote1.png Quente pra Caralho! Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre esse fim de mundo
Cquote1.png Antes ser carro que Sergipe Cquote2.png
Mais um trocadilho infame sobre Sergipe
Cquote1.png Pensei que fosse Somália! Cquote2.png
Carla Perez sobre Sergipe
Cquote1.png Aha Uhu o cabrunco é nosso, Aha Uhu o cabrunco é nosso!!! Cquote2.png
Sergipano orgulhoso de sua cultura
Cquote1.png Quintal da pornografia musical bahiana Cquote2.png
Pastor Heleno sobre Sergipe
Cquote1.png Nós temos a orla com os arcos, temos o centro com suas lojas botecos e também uns trombadinhas! Cquote2.png
guia turistico sobre Sergipe

Sergipe é o menor estado da Bahia, e assim como o Acre, Sergipe NÃO existe, sendo apenas uma invenção de baianos, afinal aquilo lá é apenas uma região da Bahia tais quais Vale São-Franciscano da Bahia e Porto Seguro são por exemplo, outras regiões da Bahia. Sergipe é considerado a África brasileira, você sabe muito bem por quê, enquanto Aracajú na verdade é uma cidade do litoral baiano, tal qual Ilhéus, algo nem um pouco difícil de se deduzir. A Teoria mais nova sobre Sergipe é que se trata do ponto de visita dos ricos que fogem do Rebolation, que é tocado a cada 5 minutos em Salvador...

Sergipe, apesar das mazelas constantes, é o estado brasileiro que possui uma população com um alto nível intelectual, e por isso o estado encontra-se cheio de sulistas que migram para lá na esperança de que o convívio com sergipanos lhes rendam um pouco de inteligência.

História[editar]

Os primeiros a chegarem na atual região de Sergipe foram os franceses, no século XVI, uma vez que os portugueses e holandeses foram mais rápidos e pegaram as melhores partes do Nordeste para si (Salvador e Recife, respectivamente, onde o carnaval é bem melhor). Todavia, como os franceses não eram bons de ocupar terras, foram expulsos mesmo de Sergipe e enviados para a Guiana Francesa onde acharam utilidade maior para o que desejavam fazer na América do Sul (que aparentemente era porra nenhuma, só ver a desgraça que é a Guiana até hoje). E assim, sob julgo dos portugueses, em 1590 é estabelecida a Capitania de Sergipe D’El-Rey, cujo único objetivo e utilidade seria manter uma rota livre entre Recife e Salvador, as duas regiões que importavam no Brasil naquela época, já que o Rio de Janeiro ainda não havia sido inventado, e carnaval com putaria era só nas cidades pernambucanas e baianas, que deveriam ser defendidas a qualquer custo, o que explica porque Aracaju não possui fortes ou fortalezas, não era necessário.

Para não deixar os sergipanos no ócio, os portugueses entupiram o território de Sergipe de plantações de cana-de-açúcar, a atual flora local, não deixando nenhum resquício de Mata Atlântica, e assim em 1723 Sergipe já era responsável pela produção de um terço de todo o açúcar da Bahia. Tais plantações de cana invadiram um pedaço de Pernambuco, estragando-o, que depois se tornaria Alagoas.

Em 1820 D. Pedro I, numa de suas tantas sandices, decide criar a província de Sergipe por considerar que o Brasil tinha poucas províncias, e estabelece a nova capital no povoado de São Cristóvão. O nome Sergipe tem significado, e deriva do tupi-guarani-arcaico "Serejuipi" e significava "Aquele que era igual à uma carroça de quatro rodas e que anda em qualquer lugar".

A sua atual capital, Aracaju, foi posteriormente criada em 1855, apenas porque Sergipe não tinha cidades e precisava de mais. Aracaju viria a se tornar a única cidade do pseudo-estado projetada por Clodovil (que usou o pseudônimo de um engenheiro francês chamado "Pierro"), por isso a cidade ficou sem centro e sem bairros também, e para diferencia-la de Brasília (conhecida como cidade sem esquinas) fizeram Aracaju com uma esquina a cada 25 metros (a maioria sem semáforos).

E por fim, em 1892, com a Proclamação da República do Brasil, Sergipe foi estabelecido como um dos estados brasileiros, mesmo não possuindo área o bastante para ser algo que justificasse tal decisão, e por isso sempre foi contestado pela Bahia, que até hoje considera Sergipe como um mero território federal.

Geografia[editar]

Prova de como as paisagens de Sergipe são belas e diversificadas.

Sergipe é o menor Estado brasileiro, com uma área total de 22 m², correspondente a 0,0000000000000000026% do Território Nacional do Brasil. Por ser tão pequeno é compreensível através de um exercício simples de probabilidade que se compreenda o motivo de Sergipe ser o único pseudo-estado da África onde o CINDACTA nunca conseguiu derrubar nenhum avião. Graças a este tamanho irrisório, o estado de Sergipe é famoso nacionalmente por ser a melhor medida de comparação geográfica existente. Por exemplo, é comum vermos manchetes do tipo: "As queimadas da Amazônia são maiores que o estado de Sergipe" ou ainda "judeus e árabes lutam por um território menor que o estado de Sergipe".

Apesar de ser pequeno, divide-se em três regiões: O litoral, onde há praias fedidas como a de Atalaia em Aracaju, a primeira cidade mal planejada do país, e um calçadão interliga Salvador até Recife pela orla poluída. No interior localiza-se o agreste sergipano, onde ficam as plantações de cana e cidades com nomes engraçados. E por fim, ainda mais no interior do pseudo-estado, fica o sertão de Sergipe, onde não há vida, portanto não há cidades, exceto Nossa Senhora da Glória, cidade mística que por falta de recursos é povoada por anões.

O relevo é formado por dunas de deserto, baixas e irregulares, e com muita areia.

A vegetação é formada por cana-de-açúcar. Não há outras plantas, árvores e sequer grama no estado, apenas areia e cana, nada sobrevive à tamanho calor e solo maltratado ao longo de séculos, atualmente formado por areia branca, areia vermelha, areia torrada, areia quente, todas inférteis.

Clima[editar]

Certamente o clima de Sergipe não é o que você, eu, ou qualquer pessoa chamaria de agradável. Por ser coberto pelo deserto, o clima é violentamente quente, da variação Tamu Torrado. Se você tiver o azar de cair nesse fim de mundo você tem pouco tempo de vida, em torno de 2 minutos o sol já derrete a sua pele. Então como há vida nesse país africano fim de mundo? Porém a resposta é simples: Não Há Vida nesse fim de mundo, você achou que o povo é besta de viver nesse forno?? Há boatos de que exista um povo vivendo em cavernas embaixo das dunas, mais história de baiano é...

Quanto as temperaturas elas estão em torno de 800°C no verão, que aliás é a única estação do estado, de modo que as temperaturas médias anuais são de 560°C de dia, e, se tiver sorte, 400°C noite.

Quanto ao nível pluviométrico, como as nuvens do estado vem da Bahia, elas ficam com a típica preguiça e vão deitar na rede ao invés de fazer chuva... E as poucas nuvens baianas não tão preguiçosas mudam de rumo para São Paulo, para procurar empregos de porteiro e etc... então esses são os fatores que fazem as chuvas serem inexistentes no estado de Sergipe.

Economia[editar]

Sergipe é um estado que não produz nada e só existe para sugar dinheiro do governo federal. A maior invenção sergipana, por exemplo, foi o hábito de jogar LoL, e como ninguém no estado tem dinheiro para comprar um computador, criaram as lan-houses imundas e calorentas à preço de banana para que todos possam se reunir e praticar muito cheiramento de gatinhos, o único movimento que se vê na economia do estado.

Política[editar]

com seus habitantes de mentalidade e comportamento recentemente copiados da pré-História, Sergipe é famoso por sua estrutura social e política baseada no coronelismo, um termo nordestino que ninguém entende, ou seja: não é um pseudo-estado mas sim uma província. A política sergipana não tem nada de paternalista, as eleições sempre trazem nomes surpreendentes (Alves, Franco, Alves, Franco, Alves...). Sergipe é um pseudo-Estado muito aderente, já até arranjou um governo Petista.

População[editar]

Com mais de 2 milhões de habitantes, Sergipe inteiro pode cogitar chegar perto de Salvador em quantidade de gente. Dizem que os poucos habitantes desta terra sergipanas são extremamente simpáticos. Para os forasteiros que desembarquem nessas terras uma fórmula de sucesso é serem mudos, pois em Sergipe ninguém conversa com ninguém, sendo comum ver desavisados tentando manter algum tipo de diálogo com o povo local, sem sucesso. Dizem que o motivo é que os poucos nativos preferem manter contato apenas com os membros de suas tribos.

O homem sergipano, embora existam poucos, gostam de trabalhar muito nas academias e na praia. A mulher sergipana, por sua vez, adoram roupas do tipo "nenhuma roupa". Afinal, vivem em tribos.

Cultura[editar]

A única cultura sergipana é a de imitar o que criam na Bahia. Fora isso, a única manifestação que pode ser dita como originalmente sergipana são os trajes típicos do sergipano, que na verdade é a ausência deles, estão todos sempre seminus em qualquer lugar que você vá, afinal o calor extremamente forte do pseudo-estado não permite o uso de roupas, pessoas que vestem um terno em Sergipe tem geralmente 2 minutos de vida antes de morrer de calor, assim eles conseguem sempre uma boa desculpa para não trabalhar.

Culinária[editar]

Bem, sergipanos são pobres, muito pobres... e para comer a comida que conseguem arrumar (quando conseguem...) precisam prepará-la, porém 99,9% da população não tem fogão, micro-ondas, geladeira, cozinha... Mas a criatividade do povim sergipano é tanta que eles improvisam: geralmente cozinham as coisas no asfalto, que é tão quente quanto um fogão, e para preparar alguma coisa, como feijões, usam água do mar (única fonte de água do estado), uma prova de como o povo sergipano é inteligente e sabe driblar a dificuldade e a pobreza.

O sergipano possui um modo único de cozinhar os pratos: no asfalto! Se você pedir carne frita num restaurante de Sergipe, você receberá um nojento prato de ensopado. Já se você pedir carne assada, receberá carne frita. Seguindo a mesma falta de lógica, o cachorro-quente vem com batata cozida e não com batata palha. Em algumas lanchonetes, também é possível encontrar o incrível cachorro-quente sem salsicha! Mas nada consegue se equiparar ao amendoim cozido, que consiste em um amendoim cozido em água do mar e temperado com vísceras de caranguejo, no fim, vira um amendoim mole com consistência e gosto de amendoim estragado.

Sergipe se orgulha de oferecer pratos típicos de todos os estados do nordeste (o acarajé, o caruru, as garotas de programa e o vatapá baiano ou somente baianos que vem para cá tentar a vida na grande metrópole, a tapioca alagoana, o café nordestino que por sua vez não desce sem um copo de água pois contém cuzcuz seco e duro do dia anterior), na tentativa de esconder o fato deste não possuir nenhuma comida típica.

Há alguns anos Sergipe se orgulhava pelo tamanho de seus caranguejos, mas agora só se encontra caranguejo importado do Pará com a cabeça quadrada obviamente...

Turismo[editar]

As praias de Sergipe sempre foram um orgulho para a sua população, devido à sua beleza, que atrai muitos turistas todos os anos.

Se você perguntar pra um sergipano o que tem de turístico em Sergipe eles vão perguntar se você já conhece um Posto de Saúde que funciona ou um pobre com uma casa doada pelo governo e vai se lamentar que nenhum governo liga para essas coisas, tentando apenas copiar Salvador e só fazer festa.

Sergipe é o estado cujas cidades possuem os pontos turísticos mais tristes, ridículos e desprezíveis que se possa imaginar. Em Aracaju por exemplo, o principal monumento são um letreiro do McDonald's, provavelmente achado boiando no mar, que pintaram de azul e chamaram de arcos, enquanto em Itabi o ponto turístico são duas pedras em formato de tolete de cocô.

Por isso nas férias os sergipanos visitam Alagoas pra dar mais espaço para os baianos que visitam Sergipe para escutar música baiana.