Sertanejo Romântico

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

ZezeDiCamargo e Luciano 1997.JPG ♪ É O AMOOOOOOOOR... ♫

Este artigo é sobre Sertanejo Romântico

E contém referências a Zezé Di Camargo e Luciano,
letras meladas e/ou dores de corno


Sertanejo Romântico foi o estilo musical que melou as rádios do Brasil entre 1985 a 2004. Hoje em dia restam poucos sobreviventes desta era, que foi substituída pelo Sertanejo Universitário, vem destruindo carreira dos cantores que tentam ser românticos hoje em dia. Ele só agrada menininhas, velhos, mamães e certos escritores da Desciclopédia.

Como nasceu[editar]

Os percussores do gênero

Quem criou isso e consegui botar esse estilo numa rádio foi a dupla Matogrosso e Mathias, em 1982, com a música Amor Rebelde. Foi uma revolução para época, porque quando pensavam em cantor sertanejo, logo vinha na cabeça caipragens, falando da sua Terra Distante, Cachaça e do Chico Mineiro, E ver sertanejos fazendo romantismo de modo Tão profundo emocionou os ouvintes, mas não foi só isso, porque os cantores sertanejos também inseriram guitarras e violinos, atecubanos influenciados pelos Bee Gees e o movimento Punk, para tornar a música mais popular. As gravadoras sacaram que isso começava a dar dinheiro e começaram a investir nos Sertanejos melados, porque as pessoas gostavam e compravam discos deles e também não tinha 4Shared pra piratear Disco, Outros que entraram na onda foram Chico Rey E Paraná, Chitãozinho e Xororó, e Tonico e Tinoco. Os primeiros a conseguir a vender mais de 1 milhão de discos foram Pitãozinho e Cheira Pó Chitãozinho e Xororó, em 1990.

Pitãozinho e Cheira-Pó atualmente

O Auge (1990 - 2002)[editar]

Depois de Chitãozinho e Xororó, surgiram Mais de 8 mil cantores desse estilo, e de tão famosos nessa época, estão enchendo o saco até hoje. Os "famosos" que surgiram nessa época foram Dois filhos de Francisco, Rick e Renner, Leandro e Leonardo e etc. Na década de 90 essse estilo estava pra ficar, mas começou e mudar um pouco, com um estilo mais animado e dançante eo que seria o início das músicas Putóricas de hoje em dia. Mas voltando a história do gênero, eles tiveram muito espaço na mídia. Em vez de tocar em bailões no interior, esses artistas começaram a tocar em programas sertanejos no Sbt e na Rede Record, e em rádios famosas da época. De tanto sucesso, a cada ano lançavam discos novos, com singles que emplacavam no alto das paradas. Hoje em dia os cantores nem se dão ao trabalho de gravar discos, lançando apenas singles para venderem mais shows e arrancarem mais dinheiro dos trouxas. Claro que os discos que tinham as músicas nos Trading Topings do Brasil, eram um lixo como um todo, mas para os manés da época, o que importava era ouvir a Tal música famosa que estava Naquele disco ruim pra caralho.

A partir de 1995, o gênero dava sinais de decadência, perdendo espaço para músicas mais dançantes em meio aos discos melados, e os percussores de álbuns Dançantes/Românticos foram João Paulo e Daniel, Rick e Renner, e Chitãozinho e Xororó (até vocês?). Mas o estilo se manteve vivo até 2002.

O sertanejo romântico era ultra-cafona e vulgar. Para os padrões de hoje, pode ser comportado, mas na época chocava muito os mais moralistas. Fio de Cabelo foi uma precursora do sertanejo atual, sem dúvida.

Eu ainda acho que o sertanejo dos anos 90 é muito mais odioso do que o atual, por que abriu as portas para esse lixo, só tinha música de corno manso e o pior de tudo: péssimos vocais.

A regra basica da época era cantar como se fosse uma galinha choca, ou como uma cabra berrando.

Pelo menos no universitário, isso foi eliminado.


  • Sucessos dessa Fase Áurea
  • Yo Me Estoy Enamorado - João Paulo e Daniel

A Queda (2002- Até agora)[editar]

Com Ascensão do Funk e das músicas dançantes e da vagabundagem de universitários, surgiu umas piores criações da música brasileira: Sertanejo Universitário. E as pessoas gostaram desse lixo, e iniciou a falência do gênero de vez. Os cantores até tentaram se adaptar criando canções alegres mas com letras meia boca, mas não deu pra competir. A derrota era eminente. De 2006 pra cá surgiram 556.877.987 cantores de sertanejo universitário que conseguiram colocar uma música sua nas mais tocadas, e 6 que as pessoas lembram e 2 que mantêm o sucesso até hoje. Com cantores romântico, surgiram 4, dois fizeram sucesso e -9 pessoas lembram que existiram. O fracasso do gênero se deve ao número de funkeiros tentando fazer sertanejo e implementando putaria nas letras, e sertanejos copiando isso e as pessoas que ouvem e gostam disso. Hoje em dias os poucos sobreviventes são Chitãozinho e Xororó, Bruno e Marrone, [Zezé Di Camargo e Luciano]. E dos atuais só tem a [Paula Fernandes] mas todo mundo só ouve as músicas dela por que é bonita . Concluo que romantismo é coisa do passado e só os otários acreditam nisso, e esse gênero musical faliu de vez. Tempos ruins nos esperam.