Sheyla Mell

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
BandeiradoCeará.jpg EITA PAU!

Pense num artigo mó limpeza, que vêi de jegue diretin do Ceará, bixin. Se tu frescá cum ele, maxo véi, o Beco da poeira tôdin vai arrombá o teu boga, seu fí de quenga!

Imagem.asp.jpg
Sheyla Melo
Set de lingerie preta a gata que ja foi conhecida como tigresa do funk exibiu suas curvas que incluem cm de bumbum e busto x.jpg
Uma rara foto em que Sheyla Mell não está mostrando a busanfa
Nascimento 18 de outubro de 1988
Bandeira do Brasil Brasil - Fortaleza
Ocupação funkeira

Sheyla Mell é a sósia pobre da Sheila Mello, que ficou igualmente conhecida por usar pouca roupa e rebolar em uma banda de qualidade musical duvidosa.

Juventude[editar]

Por incrível que pareça, Sheyla Mell veio do Ceará, o que acaba contradizendo aquela velha informação furada de que o nordeste brasileiro não tem nenhuma mulher gostosa. Mas atenção: lembre-se de não confundir gostosa com bonita, já que o rosto dela não é lá essas coisas e o que realmente salva a sua aparência é o bundão, com o qual inclusive já foi premiada, mas isso é assunto para mais adiante.

Desde muito cedo, a jovem Sheyla almejava tornar-se famosa, e insistia para que seus pais inscrevessem-na em concursos de beleza infantis. Porém, como ela ainda era muito pequena e não tinha o corpão de atualmente, jamais conseguiu vencer nenhum deles, o que a deixava profundamente chateada, pois se ela não conseguia ganhar nem sequer das feiosas nordestinas contra as quais competia, imagina então se fosse concorrer entre meninas de outras regiões?

Sendo fã assumida de sua quase xará Sheila Mello, Sheyla ainda na infância mudou-se para São Paulo e foi tentar vaga na banda Mulekada, espécie de versão infantil do É o Tchan, mas foi recusada devido ao sotaque nordestino irritante que estragava mais ainda suas já horríveis músicas.

Carreira[editar]

Começo da carreira[editar]

Cquote1.png Acho que minha bunda ainda não está recebendo destaque o suficiente... Cquote2.png

Agora morando em São Paulo, Sheyla Mell decidiu que daria continuidade a sua carreira imaginária de modelo, desta vez participando de concursos de beleza profissionais. Seu fracasso continuava igual, até que virou maior de idade e começou a fazer várias cirurgias plásticas na intenção de melhorar de aparência. Logo, ficou parecendo uma personagem de hentai em carne e osso, com bunda, coxas e peitos de tamanho descomunal (e desproporcional também). Como perdeu suas medidas anoréxicas, passou a ser considerada gorda demais para seguir competindo nos desfiles.

Embora a carreira de modelo estivesse um tanto quanto comprometida, Sheyla passou a fazer bem mais sucesso entre o público punheteiro masculino, e tirou proveito disso indo a bailes funk, onde seu novo biotipo era considerado o ideal. Em um deles, conheceu Mariana Souza, uma piriguete que trabalhava como dançarina para o Mr. Catra e andava à procura de outras putas similares a ela para seguir carreira solo com uma nova banda, já que Catra recusava-se a oficializá-la como uma de suas trocentas esposas. Assim, em 2012 surgiu o grupo As Tigresas do Funk, liderado por Mari e tendo Sheyla como dançarina. Posteriormente, entraram as demais integrantes Ellen Santos e Jéssica Pimentinha.

Mesmo fazendo shows lotados nas maiores favelas do Brasil, As Tigresas não foram páreo suficiente para as mulheres frutas, e com menos de um ano em atividade já faliram deram um tempo e foram seguir projetos paralelos individuais.

Miss Bumbum[editar]

Cquote1.png Pronto, agora sim ficou bem melhor! Cquote2.png

Em 2013, Sheyla Mell tornou a investir nos concursos de beleza, mas desta vez escolheu algo que fosse mais adequado para seu tipo físico, o Miss Bumbum Brasil, do qual participou representando seu estado de origem. Embora tenha sido bem colocada entre as cearenses, que geralmente têm umas bundas horríveis cheias de celulite e estria, seu desempenho na edição nacional foi uma desgraça.

No ano seguinte, Sheyla quis tentar novamente o título de Miss Bumbum, mas foi barrada pelos jurados, que não aguentavam mais tamanha falta de noção da parte dela. Como ela foi choramingar as pitangas para ter uma nova chance, recebeu como resposta a ideia de tentar ser Miss Bumbum em outro país. Lógico que era apenas um comentário sarcástico, mas Sheyla levou a piada a sério e viajou para o México, onde finalmente conseguiu ser eleita, já que as mexicanas estão mais preocupadas em passar no teste do sofá da Televisa do que em concorrer ao Miss Bumbum México.

Como a vencedora do Miss Bumbum Brasil 2013 Dai Macedo recusou a proposta de sair peladona na Sexy, a revista optou então por recorrer a Sheyla, já que é tradição que em todos os anos uma Miss Bumbum seja capa da publicação. No entanto, o ensaio da Miss Bumbum México ficou pronto somente em 2015, pois o photoshop da editora não era tão eficiente assim para tornar Sheyla minimamente punhetável, mesmo ela sendo uma raimunda. Afinal, uma revista de mulher pelada não vive apenas de bundas, embora isso já seja uma boa fonte de renda.

Após o concurso[editar]

Sheyla Mell não chegou a ficar tão conhecida quanto Andressa Urach, mas ganhou bem mais visibilidade na mídia com o Miss Bumbum do que ganhava dançando com As Tigresas do Funk, tanto que foi a única integrante do grupo até hoje que conseguiu faturar uma capa de revista. Além disso, a semelhança de seu nome com o da ex loira do Tchan ajudou bastante, tanto que hoje ela inclui a profissão de atriz no seu currículo, mesmo sem nunca ter atuado, pois é assim que Sheila Mello descreve sua ocupação atualmente.

Além de seguir dançando e modelando, Sheyla ultimamente tem se apresentado como DJ em bordéis de luxo, tocando altas siriricas ao vivo, tanto sozinha como em parceria com outras vadias similares, dentre as quais Aryane Steinkopf, Clara Aguilar, Sabrina Boing Boing e Vanessa Tasquetto.