Sicília

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mafiapre.jpg PORCA GIUSTIZIA!!

Questo articolo è 100% made in Italia ed è sotto il controllo di Cosa Nostra! Perciò sta' bene attento a dove metti le tue manacce zozze o i nostri amici verranno a casa tua per spezzarti le gambine!

É a Favela da Pixuna? Não, é a Sicília!!

Cquote1.png Você quis dizer: Ilha do Governador Cquote2.png
Google sobre Sicília
Cquote1.png Você quis dizer: Super Mario World Cquote2.png
Google sobre Sicília
Cquote1.png Tem cheiro de Xoxota Cquote2.png
Lula sobre o cheiro de peixe da Sicília
Cquote1.png E lá vem a bota da Itália, pronta para chutar a Sicília... Cquote2.png
Galvão Bueno sobre a Itália querer chutar a Sicília

A Sicília é uma região da iTralha, conhecida pelo seu cheiro típico de peixe e putaria inconfundível. Ela possui as favelas mais visitadas do país.

História[editar]

Cardume de peixes enlatados nadando na praia da Sicília

Depois que a Sardenha foi chutada para longe da Itália, no período Cretáceo, uma ilha próxima, chamada Sicília, foi povoada pelos árabes durante a pré-história. No impulso da expansão terrorista islâmica, os árabes decidiram islamizar a humanidade e também os europeus e, para isso, se aventuraram no Mar Mediterrâneo. Durante a viagem, numa bela tarde ensolarada, uma ventania desviou a rota da Europa para a costa da Sicília. Após o imprevisto, os navegantes sentiram um fortíssimo odor de peixe. Devido ao fato de estarem alucinados, por causa do longo período sem transar, logo deduziram que era cheiro de buceta. Navegaram imediatamente em direção a ilha na intenção de pegar as "mulheres" que supostamente estariam lá. A pressa foi tanta que acabaram estacionando atracando o barco em local proibido pela Marinha Mediterrânea, a qual guinchou rebocou o barco até o estacionamento porto de Veneza, onde ficam os barcos apreendidos.

A Sicília é a bola...

Quando chegaram na ilha, não encontraram nenhuma mulher, apenas algumas putanas carcamanas e um monte de sardinha e atum em duas opções: enlatadas e livres. Decepcionados, resolveram voltar para a embarcação, mas era tarde demais. Após a apreensão, frustrados e revoltados, resolveram enviar um pedido de liberação do barco via garrafa jogada ao mar. Não se sabe se a garrafa chegou às mãos de alguém ou não e a justiça italiana (que naquela época já era lenta) demorou para apurar o caso. Enquanto aguardavam o julgamento, os muçulmanos comiam as sardinhas e as putanas pois o Koran não proibia essas práticas. Essa suruba acidental é a origem do povo siciliano – e de grande parte do italiano.

Na história recente, a ilha foi invadida, e em seguida dominada por aviõezinhos cariocas que deixaram forte influência na região. Em várias construções é possível notar a arquitetura favelônica tipicamente carioca, que tem como principais características, entre outras, casas amontoadas e caindo aos pedaços. No crime organizado, os cariocas também deram a sua contribuição quando o grupo empresarial Comando Vermelho abriu duas filiais na ilha, uma com o nome de Cosa Nostra e a outra com o nome de Stidda.

Geografia[editar]

A Sicília é composta por um buraco ardente vulcão (o Etna) tremendamente ativo que, sempre que se chateia, resolve peidar soltar fumaça para ameaçar.

Cultura[editar]

A cultura siciliana é idêntica à carioca, ou seja, uma mistura de extrema violência com extrema putaria. A música típica da ilha é a funkatela, também conhecida como tarafunk.