Siegfried de Dubhe

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Viking.JPG Ek est årtikkel Vikingen!

Este artigo veio das frias terras dinamarquesas! Ele gosta de remar, louva Odin e o Deus Metal, não tem nenhum senso de privacidade ou de educação e seu autor chegou ao Valhalla. Não vandalize ou envolva a Finlândia neste artigo!



N°15soco.jpg Este artigo é relacionado a fillers!

Você nunca vai ver num mangá, provavelmente não serviu para porra nenhuma
e é difícil pacas de encaixar na cronologia original (ou não).

Clique aqui para saber de outras coisas sem importância.


Siegfried

SiegfriedX.jpg

Classificação Guerreiro Deus
Cavaleiro
Deus a que serve Odin
Armadura Dubhe
Golpes Espada de Odin (Odin Sword)
Vendaval do Dragão (Dragon Storm Blizzard)
Sacrifício da Estrela Alfa (Star Alphe Sacrifice)
Perfil
Nacionalidade Asgard
Local de Treinamento Asgard
Nascimento 21 de dezembro (Sagitário)
Frase Favorita "Hildaaaaaaa!!!!!!!"


Cquote1.png Você quis dizer: Fodão? Cquote2.png
Google sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Você quis dizer: Pegador? Cquote2.png
Google sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Um Grande homem, um grande mestre. Um exemplo para mim. Cquote2.png
São Jorge sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Vem meu gatão, me mostra sua Balmung Cquote2.png
Hilda de Polaris sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Ih, essa daí eu também já ví... muito enorme viu! Cquote2.png
Freya sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Heim? Cquote2.png
Hilda de Polaris sobre Freya sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Espancou os 5 Cavaleiros de Bronze Cquote2.png
Todos sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Solte-me seu depravado!!! Solte-me!!! Cquote2.png
Sorento de Sirene sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Com essa cara de coroinha de paróquia você não me engana! Não solto! Cquote2.png
Siegfried de Dubhe sobre Sorento de Sirene
Cquote1.png Heroi é? Não é melhor que eu." Cquote2.png
Hércules sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png Invejoso. Pelo menos Heróis Nórdicos não são homossexuais como os Gregos. Cquote2.png
Siegfried de Dubhe sobre Heróis Gregos
Cquote1.png Orly? Cquote2.png
Qualquer um sobre a citação acima
Cquote1.png Buneco!!!!! Cquote2.png
Bruxa do 71 sobre Siegrified
Cquote1.png Pelo menos EU Consegui comer a mina antes de morrer! Há!!! Cquote2.png
Aquiles sobre Siegfried de Dubhe
Cquote1.png OWNED! Cquote2.png
Você sobre a citação acima
Cquote1.png Sacanagem, por que ele se matou? Cquote2.png
Qualquer um sobre o destino de Siegfried

Apresentação[editar]

O Grande Mestre de Siegfried
Shen long.jpg

Siegfried de Dubhe é o líder da patota dos sete Guerreiros-Deuses de Asgard, do Norte da Europa e que desejava destruir o Santuário. Protegido sobre a constelação de Ursa Maior, recebeu desta a sua Estrela Alfa (já que, por ser somente um filler, não poderia receber a constelação inteira, pois deveria dividir com os seus amigos). Ele adora a Hilda de Polaris o Deus Nórdico e Secundário Odin, apesar do mundo ser completamente dominado pelos Deuses Gregos. Enfim, ele é o último camarada a ser derrotado na Saga de Asgard.

Ele é o mais fiel seguidor de Hilda de Polaris sendo o seu amante nas horas vagas mais foderoso Cavaleiro (sendo útil para todos os momentos). Protege a sua representante de Odin com a sua própria vida se for necessário, não gostando que ninguém a domine, a não ser que seja ele mesmo. Tem seus poderes baseados em ataques que se utilizam de dragões, muito parecido com um outro Cavaleiro de Athena, possuindo até mesmo o igual ponto fraco (pra decepção de muitos que achavam que ele fosse imortal que nem o Seiya de Pégasus).

História[editar]

A Sagrada Armadura do Guerreiro-Deus de Dubhe, a Estrela Alfa

Segundo a (muito pouco conhecida) Mitologia Nórdica, Siegfried era um cara muito dos seus foderosos. Sua principal especialidade no mundo era a de ser um exímio matador de mulher feia grandes (e mais mitolócos ainda, pra falar a verdade) dragões, que viviam a habitar as redondezas dos Países do Norte da Europa, trazendo, junto de sí, uma grande onda de devastação e mortes a cada passada por um local (eles não eram muito amistosos, pelo visto). Siegfried era sempre contratado para se livrar dessas pragas, recebendo uma boa grana pelos serviços prestados (se bem que a maioria nem imagina que o cara voltaria vivo para receber o dinheiro, mas tudo bem).

A sua mais conhecida matança, foi quando derrotou um dragão que era considerado mágico. Arrancando a cabeça do mostro, acabou se banhado no sangue do bicho (sem querer), ficando completamente coberto por ele (depois dete ter ficado cheiroso!). Acontece que depois disso, Siegfried acabou se tornando imortal, pois o sangue do dragão o protegia de assaltos, cobradores e ex-mulheres, além de muitas outras coisas. Mas tudo isso tinha um ponto fraco (pra variar ¬¬), que era em um ponto no lado esquerdo da sua costa, em direção ao coração, que não tinha sido banhada pelo sangue pois tinha caído uma folha naquele local (WTF?).

Em dia um, quando estava alegre e feliz, colhendo flores nos campos distraído próximo a um riacho, bebendo e gargarejando (pois era macho), Siegfried foi atacado por um homem que não queria pagar o devido salário pela matança de um dragão. Esse homem ataca Siegfried, enfiando nele uma lança (ui!), fincando-a bem no seu cu ponto fraco, matando-o. Sendo que esse ponto, para todos os que recebem esse nome, acaba recebendo a mesma herança macabra, MWAHAHAHAHAHA.

Siegfried de Dubhe não foi exceção a esse triste destino, mas, em contrapartida de seus antecessores, foi agraciado pela maravilhosa armadura de Guerreiro-Deus de Dubhe, a Estrela Alfa, uma armadura de um dragão de duas cabeças, que, por ser preta afro-descendente, ainda dava uma disfarçada no seu ponto fraco e o protegia de todos os perigos (ou não), sendo ela "indestrutível" (como tudo que, no final, acaba sendo destruído).

Como Conheceu Hilda[editar]

Que imagem bela, Hilda e goró... isso deixa Siegfried taradão! (e você também!)

Quando Siegfried ficou um rapaz “grandinho”, passou a ser famoso nas mesas de boteco por sua força e principalmente por sua coragem. Afinal depois de detonar tonéis e mais tonéis de cachaça... ele tinha coragem para encarar qualquer mulher feia. Ficando por isso, famoso como o “Caçador de Dragões”, vulgo “Jaspion” (Aquele que só pega bicho feio!).

Porém, como Siegfried era um bom devoto de OdinDeus Bebum da Cachaça – Um dia, ele teve seu dia de sorte. Duas princesas bonitinhas apareceram no boteco em que ele costumava freqüentar. Logo ele conheceu a Pinguça-Mor, Hilda de Polaris. Encantada com a espada do caçador de Dragões (sim, no duplo sentido da coisa...) Ela propôs um duelo. Começariam a beber loucamente, aquele que perdesse seria escravo do outro até a morte.

E essa foi a primeira vez em que Siegfried de Doube perdeu um duelo. (Na verdade ele ganhou, mas como ele era – assim como todo fortão e/ou bem dotado – desprovido de neurônios, Hilda com sua astúcia acabou convencendo-o do contrário. Fato que se repetiria sucessivamente ao longo da vida de Siegfried, acreditar cegamente no que aquela cachaceira maluca fala, por mais ridículo e absurdo que pareça.

A Saga de Asgard[editar]

O Guerreiro-Deus Siegfried de Dubhe, galã de novela das oito

Por ser gigolô e amante soldado favorito da Hilda (além de ser o seu mais confiável que tinha, já que havia outros, como o Alberich de Megrez, que desejavam era matá-la para ter o domínio sobre toda a Asgard), Siegfried foi logo promovido ao cargo de chefe pois, por ser o mais forte de todos os Guerreiros-Deuses (apesar de isso não significar nada para os Cavaleiros de Athena), quem sabe os outros ficavam com medo dele e se aquietassem com os seus planos de dominar o mundo.

Depois de todos os seus companheiros terem sido mortos, só sobrou Siegfried de Dubhe para roubar-lhe pegarem-lhe a Safira de Odin, conseguir a Espada Balmung, quebrar o feitiço do Anel de Nibelungo de Hilda e salvar Athena que estava para ter uma grande hipotermia, e isso tudo antes do por do sol (fácil demais). Mais Siegfried não ia tornar a vida dos Cavaleiros tão fácil assim.

Mesmo estando em desvantagem, já que eram cinco contra um (ui!), Siegfried conseguiu derrotar um por um (mas vamos levar em conta que eles estavam mais mortos do que vivos na verdade), mostrando quem era o discípulo favorito de Hilda. Porém, Shiryu de Dragão percebeu algo que ninguém ainda havia notado. Ao lançar o seu foderoso golpe Vendaval do Dragão (que era um plágio do Cólera do Dragão, o que diferenciava deste é que saiam dois dragões ao invés de um), o seio peito esquerdo dele ficava a mostra por um curto espaçao de tempo, revelando o seu ponto fraco (bom, aí ele levou pro fato mitológico e tudo mais, para ter uma ideia lógica).

Vendo que haviam descoberto isso (já que Shiryu tem o mesmo ponto fraco, mostrando a originalidade de Masami Kurumada), Siegfried os adverte de que é inútil atingi-lo, pois, diferente de Shiryu que deixa o seu ponto fraco por uma hora um décimo de segundo, o dele fica amostra somente por meia hora um décimo de milésimo de segundo. Mesmo assi, o Dragão tenta, lançando o seu (nem tão foderoso assim) Cólera do Dragão, que acerta o ponto de Siegfried em cheio (pelo menos um pouco). Para completar toda a história, Seiya de Pégasus (como sempre) consegue fazer um buraco maior na armadura de Siegfried, expondo ainda mais o seu ponto fraco (já atingido), fazendo com que o cara não consiga mais nem lutar direito.

A Morte de Siegfried de Dubhe[editar]

O inimigo mais forte que Siegfried enfrentou (de longe nem parece ser tudo isso)

Já caído no chão, sem mais nenhuma força, aparece do Mundo Submarino um dos sete Generais Marina, sendo esse Sorento de Sirene, o responsável por entregar a Hilda de Polaris o maligno Anel de Nibelungo, tudo isso sob as ordens do Imperador dos Mares Poseidon. Sorento explica todo o fato para todos que lá estavam, ainda tirando uma com a cara dos Guerreiros-Deuses que nem sequer conseguiram matar um simples Cavaleiro de Bronze (como se ele próprio conseguisse).

Vendo que a sua querida gostosa representante de Odin na Terra estava sendo usada pelo Imperador dos Oceanos, mares, lagoas e olhos d'água, Siegfried fica muito puto e resolve lutar contra Sorento. Mas o General Marina ainda é muito mais esperto que ele, trazendo consigo o seu foderoso objeto fálico instrumento musical, com o qual matava a todos que o desafiasse, a sua Flauta. Compondo um réquiem (horrível por sinal) para Siegfried, faz o Guerreiro-Deus se contorcer no chão, com uma baita dor de ouvido. Como último recurso para escapar dessa morte vergonhosa, Siegfried estoura os seus próprios tímpanos (WTF?), metendo o dedo nos seus ouvidos, mas quem disse que isso funciona? Aí que surge a principal frase de Sorento de Sirene, que é utilizada por todos os outros Cavaleiros Músicos:

Cquote1.png Não adianta tapar os ouvidos! O som da minha flauta conseguirá atravessar o seu corpo e chegará até o seu cérebro, matando-o lentamente! Cquote2.png
Sorento de Sirene sobre quaquer um que tenta escapar do seu golpe musical

Vendo que já estava com o pé-na-cova, Siegfried se despede do mundo e lança o seu ataque mais fodástico, mas que, infelizmente, só pode ser realizado uma única vez (se bem que eu nem imagino como ele aprendeu, já que ele só pode usá-lo uma vez, mas ok) o Sacrifício da Estrela Alfa. Esse golpe consiste em encoxar agarrar o inimigo e lavá-lo às alturas, em direção à estrela alfa da constelação de Ursa Maior. E foi isso que ele acabou fazendo com o músico Sorento. Sabe-se que, no final, somente Siegfried morreu com esse golpe (pena!).

Poderes[editar]

Siegfried conta com três poderes foderosos (sendo que é uma raridade alguém ter pelo menos dois), que lhe ajudavam e muito nas batalhas. Porém, como nada é perfeito, cada um tinha o seu lado ruim na hora de praticá-lo:

O último dragão. Depois desse, só outro Siegfried pode realizá-lo
  • Espada de Odin: Foi o que derrubou os primeiros Cavaleiros de Athena que desafiaram Siegfried. Consiste um criar um círculo no chão, ao redor do inimigo, falar as palavras mágicas e arremessar o sujeito para o alto, fazendo-o (sempre que possível) cair de cara no chão. O ruim desse golpe é que ele nunca matou ninguém.
  • Vendaval do Dragão: Um plágio melhorado do Cólera do Dragão, que faz com que saiam de seu punho dois dragões que se jogam contra o corpo do adversário. É um ataque foderoso e muito útil, mas o que estraga ele em tudo é que acaba expondo o ponto fraco do seu utilizador (que geralmente é um Siegfried). Mas o ponto somente fica exposto por um décimo de milésimo de segundo, por isso o inimigo tem que ser rápido para matá-lo (se bem que esses milésimos duram mais do que dias, tempo suficiente para matá-lo).
  • Sacrifício da Estrela Alfa: Mais um plágio, só que agora a do Último Dragão de Shiryu. Nesse golpe, Siegfried agarra o adversário e, junto com ele, voam alto em direção à Estrela Alfa da contelação de Ursa Maior, sendo que eles se desfazem bem antes de chegar nela. Siegfried só pode utilizar esse golpe uma única vez, já que se trata de um golpe totalmente Kamikaze e não é qualquer um que tem coragem de utilizá-lo.

Ver também[editar]


Dark-Art-Grim Reaper 01DesktopNexus.jpg
Siegfried de Dubhe já morreu!

"Sabia demais" e sucumbiu à tortura!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno



Viking.jpg
v d e h
Os bárbaros vêm aí... Olê olê olá!

Cavaleirospredef2.jpg