Slice of life

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um TÉDIO!!

Este artigo é tão chato que se você não editá-lo agora Haruhi vai criar um Espaço restrito e será o fim do mundo.

Haruhi-psp.jpg

Cquote1.png Você quis dizer: Historinhas Teen da Sessão da Tarde Cquote2.png
Google sobre Slice of life

Slice of Life (português: Saco de Lixo) é um gênero de anime e mangá voltado a histórias realistas que representam o cotidiano das pessoas. Utilizado também como um eficiente remédio no combate à insônia.

Gênero[editar]

Slice of life também pode servir como desculpa para mostrar garotas bonitinhas vestidas de colegial.

Embora seja muito apreciado no Japão, o slice of life não surgiu lá. Os franceses é que são os responsáveis pela criação desse tédio, que fez sua estreia no teatro. Por serem ao vivo, as peças disfarçavam a chatice do gênero e não eram tão monótonas, o que acabou por popularizar rapidamente o slice of life pelo resto do mundo. Os japoneses então tiveram a brilhante ideia de colocar de lado a fantasia e os absurdos de seus mangás, passando a investir na realidade humana para desenvolver os enredos dos mesmos. O resultado disso são histórias onde não acontece absolutamente nada, mas como os otakus estavam de saco cheio de ver guerreiros coloridos lutando contra monstros gigantes que destroem a cidade e outras já manjadas porcarias inverossímeis, o slice of life conseguiu fazer sucesso entre o público nipônico.

Nas histórias[editar]

Os enredos de um slice of life são muito emocionantes, abordando sempre assuntos interessantes como o secar da tinta, o crescer da grama e principalmente a passagem de fenos pelo horizonte deserto. O protagonista é obrigatoriamente uma pessoa normal (ou considerada normal para os padrões japoneses) com a qual qualquer um pode se identificar, lidando com os fatos da vida. Os personagens em geral trabalham, estudam, namoram, comem, dormem, coçam o saco, peidam, arrotam... Ou seja, fazem coisas simples que todo mundo também pode fazer, até mesmo um idiota como você. Quando o autor quer tornar a obra mais empolgante (sem conseguir), ele atribui um sonho ao personagem principal, alguma coisa do tipo aprender a ser o maior monge budista hippie que planta maconha para subsistência de todos, e torna aquilo o objetivo central da trama.

Galeria[editar]