Sociologia Animal

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Natureza-checa.jpg
Plafn kfn.jpg

Este artigo é relacionado à biologia.

Não estranhe se ler que o pênis não tem osso nem músculo.

Evite manter contato com fungos.

Cquote1.png Já me chamaram pra ver este artículo só para dicer o obvio, non? Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Sociologia Animal

A Sociologia Animal é uma modalidade de Sociologia criada por Walt Disney em 1934. Trata-se de observar os comportamentos de diversos animais em sociedade.

No Wikipedia.png
QUEBROU A CARA! Os espertalhões da Wikipédia NÃO têm um artigo sobre: Sociologia Animal.


Tabela de conteúdo

[editar] Origem

Típico animal observado na sociologia animal

Tudo começou quando Walt Disney, depois de uma festa (na qual ele bebeu uns Uísques falsiês) observou um rato, ou melhor, um camundongo falar com ele. Era o Mickey Mouse, e ele estava querendo umas dicas de como conquistar a Minnie. Isto deu a Walt Disney um insight (hã?) de criar uma ciência que estudasse o comportamento dos animais, através de diversos documentários. Nascia assim a Disney, maior empresa de documentários animais do mundo, graças a sua revolucionária pesquisa sobre o comportamento animal.

[editar] Algumas descobertas:

[editar] A diferença dos cães

Por que um anda em pé, usa roupas, fala, mas é uma anta, e o outro anda de quatro, late, não usa roupas, mas... bem, não é tão mais inteligente assim, mas dá pra enganar?

Sempre se questionou o fato de nem todos os cachorros serem iguais. Isto se viu definitivo quando Walt estudou a fundo 2 casos: o do Pluto e o do Pateta.

Pluto é um cão esperto pra cachorro, mas que estranhamente anda de quatro como quase todos os cães, come sua mãe, sua irmã e suas tias, grudado de 4 se amando em plena luz do dia, não fala (diferentemente de muitos outros cães estudados no incrível documentário "Olha quem está falando também" da Sessão da Tarde) e ainda por cima é criado pelo Mickey, que é um camundongo; enquanto que o Pateta anda como ser humano, se veste como tal, fala, parece até um ser humano. Mas não é. E ainda por cima, seu Q.I. é similar ao de uma ameba paralítica.

[editar] O ocaso dos patos

Patos, como o Pato Donald, seguem um comportamento ainda mais adverso. Esses singelos animais andam de uniforme de marinheiro, mas estranhamente nunca cobrem suas partes baixas. O incrível de tudo isso é que, depois que toma banho, eles costuma enrolar as ditas cujas com a toalha. Isto nem Freud explica.

[editar] Casamentos

A família animal é muitas vezes discutida. Uma tendência de muitos dos animais, como Mickey, Donald, Margarida, Pica Pau e outros é o de nunca terem filhos, apenas sobrinhos, com exceção notória do Pateta, que tem o Max, e do Bafo-de-Onça, que tem o B.J.

Ainda mais complicado são alguns dos filhos. O caso mais impressionante foi o do senhor Sirigueijo, que além de não se saber se é um siri ou um carangueijo, teve com alguma sirigaita uma filha que é uma Baleia, ou melhor, um cachalote.

Ainda mais sinistro é no tremendo documentário Muppets, em que uma porca casa-se com um sapo. Talvez queira ela que ele se torne um príncipe encantado, ou um porco, talvez o Babe. Aliás, este porquinho, tal como Cordeiro, o leão medroso, foi criado de maneira bem singela: por dois cães. Cordeiro, o leão medroso foi criado por ovelhas...

Enfim, o tempo em que Simba casava com a Nala e tinha uma filha que casava com o clone do Tio Scar, que não é o macaco nem o macaco é tio dele já passou...

[editar] Comportamentos Homossexuais

O mais notório foi um de um touro, Ferdinando, que ao invés de dar chifradas em todo mundo passava o dia cheirando as floooooooures!

Outro triste caso, esse ainda pior foi o do gambá Flor (que coincidência, não?) que era uma flor, flor bonita, nas palavras do tricolor paulista, mas quando cresceu decidiu pegar outro tipo de Flor. Indecisa a menina, não?

[editar] Sexo bizarro

Em muitas sociedades de formigas (ok, não estamos falando de você sentar no formigueiro, seu mané!), como as observadas em FormiguinhaZ as operárias casam-se e têm filhos com as rainhas, o que teoricamente configura-se num absurdo, já que os biólogos sempre disseram que toda formiga operária é necessariamente eunuca. Talvez eles trabalhem ou com inseminação artificial ou com acessórios sexuais...

O mais bizarro, ops, impressionante, foi o caso de Pato Howard. No seu documentário, que ganhou o maior prêmio dos filmes, o Oscar, um pato consegue ficar com uma gatona. Não, não me referi ao animal chamado gato, nem seu feminino, mas a uma mulher súper-lindona! Isso é impressionante.

[editar] Tendências

[editar] Moda

Uma moda comum de ser vista em muitos desses animais está no facto de eles andarem muito de luvas brancas. Niguém ainda entende que gosto tremendo é esse o de ter que usar luvas brancas. Talvez uma homenagem ao cavalo branco que Napoleão montou? Aliás, quem falou em Leão? Ih, acho que tou surtando...

[editar] Moradias

Muitos animais mudaram seus habitats naturais após o contacto com os humanos. O Pica Pau, por exemplo, passou a usar uma casa de árvore, ao invés de morar dentro da árvore. Outros tantos decidiram imitá-los, como o Manda-Chuva, a Pantera Cor-de-rosa e muitos outros que moram em casas mesmo, como as nossas, de alvenaria. Quer dizer, nem todos, já que Cícero decidiu fazer uma casa de palha e Heitor uma de madeira. Só Prático fez uma de alvenaria, sendo assim o Lobo Mau se deu mal, já que não tinha nem mesmo ponte pra ficar embaixo e mandou tudo pra ponte que caiu!

[editar] Carros

É, agora tem animais que não querem mais ser burros de carga. Os hipopótamos, cachorros, zebras e outros tentam compra um carro há anos, mas a girafa já disse bem claro que bicho não anda de carro, baby! E a vaca só pode fazer o sim do Chaves com a cabeça...

[editar] Ver também

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas