Sonda Oriental

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Sonda Oriental, conhecido mais como Timor-Oeste, é o nome daquela metade de ilha (e outras ilhas de igual pouca importância) que fica a oeste do Timor-Leste, afinal se chamam aquele país de Timor-"Leste" é porque tem algo no oeste, e este algo é justamente a Sonda do Oriente (ué, mas não ficava no oeste? Enfim, geografia espacial e cartografia nunca foi o forte dos indonésios).

História[editar]

Único meio de chegar em Sonda Oriental.

Província formada por um grupo de ilhas sem importância que nem a Austrália quis na época (e olha que os australianos pegaram várias porcarias, como Ilhas Cocos e Keeling e Ilhas Christmas), tão sem importância que os portugueses quando passaram pela região esqueceram uns habitantes ali e nunca mais voltaram para resgatá-los (daí surgiu Timor-Leste). Como os portugueses esquecidos criaram a história do Timor-Leste, na outra metade da ilha só restou os aborígenes locais que jamais registraram sua história, por isso nada se sabe sobre a antiga Sonda Oriental.

Mas com a independência da Indonésia em 1949, a ideia original não era haver um enorme país com trocentas zilhões de ilhas, mas sim vários países, por isso surge a Papua-Nova Guiné e a ideia da criação do Estado da Indonésia do Leste que compreenderia as Ilhas de Sonda. Mas por falta de gente alfabetizada, a ideia não foi pra frente e tudo acabou mesmo como parte de Indonésia, e a Sonda Oriental era criada oficialmente em 1958.

Com o fim do reinado de Shurato em 1998, os indonésios se viram livres para fazer o que mais amam fazer em termos políticos que é um grande fanatismo em se subdividir. Para um indonésio quanto mais províncias melhor, e esse fanatismo ficou bem evidente quando a partir de 1998 criaram 250 novas regências (subdivisões de províncias), fenômeno conhecido como "pemekaran" ("puta que pariu" em português timorense) e a Sonda Oriental se dividiu tanto que crioua té uma nação independente em 2002, o Timor-leste.

Geografia[editar]

Como tudo na Indonésia, só um bando de ilhotas que são tão sem importância que nem no mapa do War aparecem, é como se bada existisse entre Bornéu e a Austrália. Mas o fato é que a província é composta por três ilhas principais, a ilha de Timor-Oeste, a Ilha das Flores e a Ilha da Bunda.

Política[editar]

A forma de governo provincial de Sonda Oriental é de democracia democrática (comunismo), como evidenciado pelo nome oficial da província que é "República Democrática do Timor-Oeste". Este sistema, todavia, é bem diferente do modelo soviético, porque eles aderem a um sistema híbrido de economia de mercado, com 68% de socialismo-marxismo de bens de consumo e 34% de liberalismo.

Culinária[editar]

O alimento básico do povo de Sonda Oriental é o mesmo que de qualquer asiático, o arroz. Com exceção de regiões que são anti-mainstream, como a região da ilha de Sumba, onde os habitantes locais gostam mais de comer sagu.