Sport Club São Paulo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Sport Club São Paulo
Escudo do São Paulo-RS.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial '
Origem link={{{3}}} Rio Grande do Sul- Rio Grande
Apelidos O clube da vergonha, perdedor nato, loser
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote Peixe morto
Torcedor Ilustre
Estádio
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Gaúcho
Divisão Série A
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Sport Club São Paulo é um suposto clube brasileiro de futebol, localizado em um projeto de cidade do Rio Grande do Sul chamada apenas de Rio Grande. Disputa de vez em quando o Gauchão na 1ª Divisão (fato que é considerado sempre um milagre, pois o time é uma merda e seu lugar mais apropriado é sempre a segunda divisão estadual).

História[editar]

Fundação[editar]

O clube fora fundado em 1908, e as circunstâncias da fundação da equipe foram bem curiosas, pois tudo começou quando um grupo de pivetes favelados roubaram na cara dura afanaram uma bola de futebol de um grupo de gringos que jogavam o tal futebol em Rio Grande na época. Os pivetes não conseguiram, como bons gaúchos, enfiar aquela bola no cu, então tiveram que procurar uma outra utilidade para aquele artefato redondo, então criaram um time de futebol, mesmo sequer conhecendo as regras, táticas ou como jogar aquilo, algo que aparentemente não foi sanado até hoje.

A escolha do nome do time também foi uma decisão bem peculiar, pois embora houvessem umas centenas de santos a serem escolhidos e no mínimo uns 12 apóstolos, os fundadores católicos deste time foram escolher logo o "São Paulo" para batizar o clube, logo para confundir com um estado do Brasil, a maior cidade do Brasil e um time tradicional dessa cidade e desse estado do Brasil.Apesar de ser mais antigo que o tradicional coirmão baitola, ter um nome tão desprovido de originalidade e empatia só podia resultar em uma coisa, lançar o São Paulo gaúcho no completo desconhecimento.

Título gaúcho[editar]

Numa época remota quando os grandes times de Porto Alegre ainda disputavam o campeonato estadual cisplatino antes da independência do Uruguai, qualquer lixo conseguia se sobressair no futebol gaúcho, e por isso até o São Paulo conquistou o seu solitário título de campeão do campeonato gaúcho de 1933. Não há registros, filmagens, testemunhas vivas, súmulas ou qualquer coisa que comprove a existência desse título, sendo este título aceito pela federação gaúcha apenas por dó.

A lenda da Taça serrada[editar]

Desde sempre, os tradicionais times de Porto Alegre, Pelotas e Caxias do Sul jamais ligaram para a cidade de Rio Grande, portanto o São Paulo precisou forçar uma rivalidade contra o SC Rio Grande, contra o qual sempre disputou qual seria o time mais patético da cidade. Como era impossível a física moderna determinar algo desta grandeza, em 1940 uma taça foi serrada e dividida entre os dois times, como os dois piores da cidade de Rio Grande.

Primeira divisão do Campeonato Brasileiro[editar]

Por ausência de times existentes no Brasil e o fato de haver centenas de times jogando a Taça Ouro (primeira divisão do Campeonato Brasileiro da época) o São Paulo disputou três edições da primeira divisão nacional. Disputou os campeonatos de 1979, 1980 e 1982, mas só serviu para fazer número mesmo e ser um dos times da cota de clubes café-com-leite que na época foram inseridos meramente para fazer número. Apesar de só perder, conquistou um espetacular empate em casa por 0x0 contra o Flamengo de Zico que certamente não jogou seriamente aquela partida.

Taça Prata[editar]

Com a criação da segunda divisão, esse São Paulo falsificado gaúcho foi logo arremessado para jogar lá que era o lugar apropriado para ele, disputou só duas vezes, fracassou e depois nunca mais foi visto.

A década na segunda divisão[editar]

De 2003 até 2013 o São Paulo passou oculto afundado no ostracismo jogando a segunda divisão do campeonato estadual. Se o time já era desconhecido, então foi esquecido para sempre. A sorte do São Paulo é que a Federação Gaúcha decidiu inventar de inflar a primeira divisão estadual para obrigar Grêmio e Inter irem jogar em todas pocilgas do interior gaúcho, e com isso o São Paulo subiu em 2013.

Anos na primeira e mais uma queda[editar]

Em 2014, em seu retorno à primeira divisão, executou o que já era esperado, que foi apanhar do Inter e do Caxias, porém ganhou do Grêmio e do Juventude em uma estratégia de cavar pênaltis e jogar em retranca com contra ataques e ficar no meio da tabela. Na temporada seguinte, foi justamente o esperado do clube, que dessa vez realmente apanhou do Inter e do Grêmio (dessa vez titular), além de ficar disputando para não cair e por sorte conseguir um milagre no final, onde por 2 míseros pontos o São Paulo não rebaixou, tudo graças à incompetência absurda do SER Caxias que só sabia empatar.

Depois, a equipe conseguiu um milagre de se classificar para as quartas-de-final do Gauchão, tudo isso para ser goleado pelo Inter novamente. Em 2017 foi mais um ano com o objetivo de simplesmente não cair e dessa vez foi por incompetência do próprio Ypiranga, além de ter que ralar para vencer um Grêmio totalmente misto com ajuda do goleiro.

Depois de tantos dibres no rebaixamento, em 2018 não teve jeito com a pseudo-crise financeira no clube que só tinha dinheiro para contratar jogadores decentes, foi em busca de jogadores velhos de futebol raiz, como meias que não sabem marcar, craques só que não, porém baladeiros, técnicos ultrapassados entre outros e com apenas míseros 6 pontos, não teve jeito de fugir do rebaixamento e acabou sendo o lanterna da competição, onde provavelmente ficará mais 10 anos esquecido na divisão de acesso do estadual.

Estádio[editar]

O São Paulo Foleiro joga no Estádio Aldo Dapuzzo, cuja capacidade é de 4 homens, 3 mulheres, 2 cachorros e 1 papagaio.

Torcida[editar]

Há um mito de que a torcida desse São Paulo é numerosa e relevante e que é uma das torcidas mais fanáticas do interior do estado, isso é claro quando estes torcedores não estão torcendo verdadeiramente pelo Grêmio ou Inter numa final de Libertadores. Os torcedores do São Paulo Gaúcho que consideram o clube o primeiro de seu coração totalizam 6 torcedores e um cachorro, os quais sempre comparecem em peso no estádio Antônio Aldo Dapuzzo (com o fato da meia duzia de pessoas serem acima do peso), apoiando a equipe.

Títulos[editar]