Stratovarius

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Finland-Flag.jpg

SUOMEN SIVU! Estte ärttigö é suomolainen!

Ele joga hökkei, frekkuentta saunas, chuppa salmiakki, usa o mesmo jino dos esttönjanos, louva Heävy Mettal e dettestta huusos!

Näo vandaliize, ou te faremos se suycidäär!
Stratovarius
Straaato.jpg
As divas do nerd metal!
Origem Helsinki
País Finlândia
Período 1989 - atualmente
Gênero(s) Nerd metal
Gravadora(s) Black Diamond
Integrante(s) Timo Kortapinto
Matias Cu piando
João Johnson
Lauri, Porra!
Jorge Marcos
Ex-integrante(s) Um bocado de gente aí
Site oficial Stratovarius.com


Cquote1.png Você quis dizer: Extrato de Ovário Cquote2.png
Google sobre Stratovarius
Cquote1.png Você quis dizer: Stratochuvarius Cquote2.png
Google sobre Stratovarius
Cquote1.png Experimente também: Algo mais másculo Cquote2.png
Sugestão do Google para Stratovarius

Cquote1.png Pop e comercial Cquote2.png
Slayer sobre Stratovarius
Cquote1.png A gente come no mesmo restaurante! Cquote2.png
Michael Romeo sobre Timo Tolkki
Cquote1.png Porra, eles copiaram o título de um dos nossos clássicos! Cquote2.png
a-ha sobre Stratovarius
Cquote1.png Que burro! Dá zero pra ele Cquote2.png
Chaves sobre Timo Tolkki
Cquote1.png Olha ele! Olha ele! Cquote2.png
Timo Tolkki sobre o comentário acima
Cquote1.png Guitarrista gordo da porra! O baixista também é uma porra! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Stratovarius
Cquote1.png Nós somos melhores e mais enjoativos que eles... Cquote2.png
Dream Theater sobre Stratovarius
Cquote1.png Uma de nossas maiores influências! Cquote2.png
NX Zero sobre Stratovarius
Cquote1.png A maioria das nossas musicas são sobre chuva Cquote2.png
Stratovarius sobre as músicas da banda


Stratovarius é uma banda finlandesa de nerd metal com um toque de pop bem afrescalhado em todas as algumas músicas, o que deixa os metaleiros mais conservadores com o braço a torcer. Suas músicas geralmente falam de chuva,sentimentos, chuva, amor, felicidade, chuva, autoajuda e chuva. O nome da banda vem da aglutinação das palavras Strato (uma tentativa escrachada de falar Extrato) e Varius (referência ao ovário).

História[editar]

Timo Tolkki na sua infância

Formação da Banda[editar]

A Finlândia é o berço de muitas bandas de heavy metal famosas, como Nightwish, Ensiferum, Korpiklaani, Children of Bodom, Sonata Arctica, etc. Vendo isso, três amigos, cansados de bater punheta para as gostosas na escola que preferiam ficar com os gostosões do ensino médio, aproveitaram que sabiam tocar instrumentos musicais e resolveram formar uma bandinha para ver se fariam sucesso. A banda até fez no futuro, mas ninguém lembra da existência desses três, talvez nem a própria mãe deles. Tocavam alguns covers em barezinhos da Finlândia aceitando cerveja e um lugar para dormir por uma noite, ainda que esse lugar fosse geralmente sujo e medonho. Gostavam muito de Sabão Preto, então seus repertórios eram sempre os mesmos, até que um dia suas bundas foram chutadas de vez. Um deles saiu da banda (não importa quem, ninguém conhece mesmo!), enquanto que outro decidiu mudar o nome para "Stratovarius", uma mistura dos nomes Strato (extrato) e Varius (ovários). Era para ser uma mensagem subliminar, mas nós da Desciclopédia desmitificamos as coisas para nossos amados leitores.

Um tempinho depois, o guitarrista saiu, e entrou o fofolete Timo "Nhonho" Tolkki, que além de tocar guitarra, comia pra caralho cantava. Trouxe para a banda influências de música clássica misturada com heavy metal, mais ou menos o que o Yngwie Malmsteen fazia só que um pouquinho pior. Timo, em sua infância, viu Chaves aprendendo a violar tocão com Seu Madruga, coisa que o deixou curioso. Ele começou a se interessar pela coisa, e em 2 meses já estava melhor que o próprio Chaves. Alguns anos mais tarde, deixou de violar tocão e passou a guitarrar tocarra. Decidiu sair do México para ganhar a vida na Europa. Toda a revolta que sentia pelo mundo, Timo passou a colocar nas músicas; e um de seus refrões mais famosos é Olha ele, olha ele!.

Primeiros trabalhos: Noite Frita, Hora do Crepúsculo e Sonho Espacial[editar]

Meados de 1985.
Timo, encarregado de levar a banda nas costas porque ninguém ali fazia porra nenhuma, teve que se virar para arranjar uma gravadora. Não conseguia, mas enquanto isso, gravava várias demos (uma pior que a outra). Como ele usava toda sua criatividade para as músicas, faltava para o título das fitas, então dava o nome de Stratovarius I, Stratovarius II, etc. Ninguém na Finlândia gostava das músicas clichê de Nhonho e sua banda, mas no Japão sim. Lógico, já que o Japão é considerado a salvação de bandinhas como Angra que ninguém dá a mínima no país de origem. Eles ouvem qualquer merda lá, então foi fácil para o Stratovarius fazer sucesso e de quebra arranjar umas garotas japonesas (que Timo comeu).

Nisso, arranjou contrato com uma gravadora. Decidiu renomear seu primeiro álbum, então, para Noite Frita, como recordação de seus dias fritando batata no McDonald's para não morrer de fome na Finlândia já que ninguém gostava de sua banda (ou dele). O problema é que foi demitido alguns dias depois, pois os clientes reclamavam que seus pacotes de batatinha vinham com apenas metade ou menos da quantidade que deveria ter, porque a outra metade Timo comia.

Pro seu segundo álbum, Timo decidiu dar o nome de Hora do Crepúsculo, um trabalho conceitual que fala sobre as aventuras de um vampiro vegetariano chamado Edward Cullen que se apaixona por uma guria retardada chamada Bella Swan. O nome da história é justamente Crepúsculo. Anos depois, uma vagabunda chamada Stephenie Meyer plagiou na cara dura e ainda faturou com uns livrinhos em um ano mais do que ele em dez.

O terceiro álbum se chamava Sonho Espacial. Foi escrito, claro, sob efeito de LSD.

O meio quilo de acém, Timo Tolkki. A tatuagem em seu braço significa "Bacon" em um idioma antigo.

Stratovarius decola: a entrada de Timo Kortapinto, Jorge Marcos e João Johnson[editar]

1994.
Felizmente, Timo decidiu que ia parar de cantar e se concentrou apenas nos hambúrgueres na guitarra. Viu, então, que precisava de um vocalista para sua então banda de nerd metal que estava começando a estourar (no Japão, claro). Timo Kortapinto foi o escolhido, pois sua voz era perfeita para metal melódico: gogó de veludo, agudos e imitações do Mickey Mouse. Sua estreia foi no quarto álbum, Quarta Dimensão.

Timo Kortapinto, a diva finlandesa com gogó de veludo.

Graças à sua fama no Japão, Timo deu uma de louco e tentou excursionar com seus amigos por outros países da Europa. Deu certo, mas era tipo aquela bandinha de algum festival de rock que encaixaram porque não tinha nada melhor. Os antigos membros, baterista e tecladista, saíram por frescura de não querer tocar musiquinhas bregas de nerd metal, entrando em seus lugares Jorge Marcos e João Johnson, respectivamente. É lançado, então, o quinto álbum da banda: Episódio. De ano em ano, começaram a lançar novos álbuns: Visões do Capeta, ClanDestino, Ao Infinito e Além e Ele pegou meu mentos pt. I e II. Fez bastante sucesso em vários países, inclusive aqui no Brasil.

Deu a louca no Nhonho![editar]

Meados de 2005.
O sucesso bateu tanto à cabeça de Timo que ele ficou literalmente louco. Começou a cheirar gatinhos, demitir membros, transar com as namoradas de seus colegas de banda, contratar vocalistas do nada e comê-las, bater no próprio irmão, enfiar a guitarra no cu, cortar os pulsos e lamber os próprios mamilos com chantilly. Internou-se contra a própria vontade, e quando o tratamento acabou, pediu desculpas para os outros membros da banda e pelo enorme prejuízo deixado na geladeira da casa dos mesmos. Voltaram, então, a ser amiguinhos.

Algum tempo depois, saiu da banda o baixista Jairo Cainolago, entrando em seu lugar Lauro Porra. Sim, é esse mesmo o sobrenome dele: porra. Lançaram mais um álbum, chamado Stratovarius mesmo. Lauri está na banda até hoje, gozando em todos os fãs nos shows.

O "fim" da banda[editar]

Timo Tolkki estava cansado de tudo e mandou todo mundo ir à merda. Seus dedos de salsicha já não conseguiam atingir as notas mais agudas da guitarra e seu sobrepeso não o deixava ficar em pé nos shows, então teve que declarar o fim da banda. Lançariam um álbum chamado R.R Soares em meados de 2008, mas acabou que Timo foi mão de vaca e criou uma banda com esse nome e pau no cu dos seus ex-colegas do Stratovarius.

Mas não ficou barato: Kortapinto e os outros também mandaram ele tomar no cu e contrataram um guitarrista melhor que ele, chamado Matias Cu piando. Nhonho decidiu voltar para o México, por saudade de seus amigos Chaves e Chiquinha, e o Stratovarius lançou um novo álbum: Urso Polar.

O re-começo da banda[editar]

Kortapinto e seus amigos decidiram criar mais um álbum igual ao aterior, chamado Elísio. Elísio era o tio de Kortapinto que morreu vítima de câncer de próstata. A banda excursionou junto com uma bandinha chamada Helloween aí que ninguém conhece e não tem a mínima importância no cenário do heavy metal. O baterista Jorge Marcos, por motivos pessoais, decide sair da banda, e aí começa uma nova audição por um baterista para um próximo álbum (boatos de que Aquiles Priester participou, e claro, fracassou).

Veio o baterista Rolf Pinto, para combinar com o Lauro Porra e assim fazer a festa nos shows com as groupies. Lançaram um novo álbum em 2012, chamado Nem Mexe, e uns anos mais tarde, Eterno.


E o Timo Tolkki?[editar]

Está no México. Aprendeu a usar o Photoshop e agora faz música com artistas convidados. Bem... Foda-se ele.


Integrantes[editar]

Timo Kortapinto: Vocal, estilista, galã de novela mexicana nas horas vagas e dublador do Mickey Mouse;
João Johnson: Tecladista, contador de histórias e também já interpretou Jesus Cristo em várias novelas;
Lauro, Porra!: Baixista, espantalho e fritador de batatas no McDonald's;
Jorge Marcos: Baterista e alcoólatra;
Matias Cu piando: Guitarrista, e traficante de drogas na fronteira da Bolívia.

Ex-integrantes[editar]

Timo (Nhonho) Tolkki: Guitarrista, ex-dono da banda e filho do Sr. Barriga;
Jairo Cainolago: Baixista, armário e camisa 12 da seleção de vôlei finlandesa.
Anti Ícone: Tecladista e dançarino da Banda Calypso.
Toma Na Sela: Baterista e garota do Fantástico
Estufa Estralada: Guitarrista e guitarrista
John Minerva: Baixista e lava roupa nas horas vagas

Discografia[editar]

  • Noite Frita (1989)
  • Hora do Crepúsculo (1992)
  • Sonho Espacial (1993)
  • Quarta Demissão (1994)
  • Episódio (1995)
  • Visões do Capeta (1997)
  • ClanDestino (1998)
  • Ao Infinito e Além (2000)
  • Ele Pegou o Meu Mentos Parte I (2002)
  • Ele Pegou o Meu Mentos Parte II (2003)
  • Extratovara (2005)
  • Urso Polar (2009)
  • Elísio (2011)
  • Nem Mexe (2013)
  • 'Eterno (2015)


Ver também[editar]


Tomadinha do poder.jpg Stratovarius tem PODER!
E te levará para qualquer lado da Força


Nikos Ese artigo é um esboço.
Se vozê aumentar ele, Patronzinho vai ficar feliz.