Sudão do Sul

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
جنوب السودان (Halhanahnahnaha As-Alha-Sudan)
Domínio Litigioso do Motumbo do Sul
Só Dão no Sul
Bandeira do Sudão do Sul
Brasão de Armas do Sudão do Sul
Bandeira Brasão
Lema: Um foda-se para o norte
Hino nacional: Sudão do Sul Oyeeeeee vamo oyeeee oh água precisa!

Localização de Só Dão no Sul

Capital Jujuba
Cidade mais populosa Motumboland
Língua Árabe motumbês
Religião oficial Binladismo
Governo monarquia separatista
 - rei da cocada preta Desconhecido
Heróis Nacionais Salva Kiir, um personagem de Star Trek... eu acho
Área  
 - Total ?? km² 
 - Água (%) 0
Analfabetismo Alto  
População Ninguém sabe 
PIB per Capita -13.000.000 
IDH 0.000054 
Moeda rupper sudanês
Fuso horário Não há relógios
Clima tropical desértico quente úmido
Website governamental Tá de brincadeira... que lá não tem computador é tecnologia demais


Cquote1.png Puta que pariu! Mais um país inútil pra decorar a capital Cquote2.png
Aluno de geografia sobre o Sudão do Sul


Sudão do Sul é um rascunho de país criado oficialmente em 2011 após um referendo de lisura duvidosa. Os caras da ONU tinham bebido e assinaram sem querer o documento de reconhecimento do Sudão do Sul como nação soberana, e por isso até o governo brasileiro passou a reconhecer esse troço como um país.

História[editar]

Guerra Civil Sudanesa[editar]

Conflito em Dafur durante a Guerra Civil Sudanesa.

Após anos obscurecido (por causa dos bantos que são negões) o Sudão do Sul começa a buscar reconhecimento dos norte-sudaneses que por sua vez eram todos descendentes de filhos de filhos de filhos de tangerinas. O que sempre causou conflitos étnicos. A guerra civil começa em 1869 a.C. (antes dos casacos de lã) e termina em 2000 com diálogos entre o pseudo-governo do Sudão e os rebeldes do Sudão do Sul.

Independência[editar]

Em 2010, após acordo de paz e fim da guerra civil no Sudão, foi marcado um plebiscito para a independência do Sudão do Sul, que foi votado em janeiro de 2011. O resultado da votação foi de 99% a favor da separação, é claro que os votos válidos foram apenas o atual presidente do Sudão do Sul Salva Kiir, sua tia, sua sogra, e seu cachorro manco, que coincidentemente eram os interessados na divisão por cobiçarem o petróleo do Sudão do Sul só para eles (o cachorro manco não tinha esse interesse, e o voto dele valia 1%). Mas quem queria ficar com o petróleo só para o Sudão do Sul se ferrou, todos os oleodutos do país passam pelo Sudão do Norte, e transportar os barris de petróleo por jegue pode não ser uma boa opção.

A independência do Sudão do Sul ocorre oficialmente em junho de 2011 após referendo completamente suspeito, e agora a África ganha mais um novo país fodido de pobre miserável para assim ganhar mais pontos nas estatísticas pela disputa de qual é o pior continente do planeta.

O então presidente do Sudão do Sul Salva Kiir e o presidente do Sudão Omar Hassan al-Bashir (Senhor Omar) se encontraram pacificamente em Juba, já que o Senhor Omar deu toda dívida externa do Sudão para o Sudão do Sul, e Salva Kiir nem se importou com isso, enquanto pudesse ter só para ele uma fazenda de antílopes para tentar fabricar pokémons em laboratórios secretos, pesquisas proibidas pela lei do Sudão do Norte.

No Sudão do Norte só sobrou desertos porcarias o Sudão do Sul ficou com todos oásis e reservas de petróleo que atualmente estão nacionalizadas por Salva Kiir Mayardit.

Apesar da festa, os sul-sudaneses só esqueceram coisinhas básicas como uma moeda própria, para onde vão os royalties do petróleo produzido no país, e uma seleção de futebol.

Agora, o Sudão do Sul precisa apenas construir estradas, escolas, hospitais, esgotos, residências, resolver o problema da fome, resolver o analfabetismo de quase 100%, resolver o problema da AIDS, resolver o problema da distribuição de água e energia elétrica, fazer uma fábrica de pókemons, comprar ornitorrincos e outras coisas que não eram prioridade na época da guerra civil. Não se esqueça da leishmaniose.

Guerra Civil Sul-sudanesa[editar]

Recentemente o vice-presidente do país, Riak Mashar, tentou dar uma de traíra e tirar Salva Kiir do seu trono num frustado golpe de estado. Com isso o vice-presidente teve que se mandar com medo de ser fuzilado, ele se escondeu na casa da mãe joana e por lá conseguiu criar um exército rebelde e foi fácil porque os sul-sudaneses gostam de se rebelar. Os rebeldes invadiram cidades do interior (existe algo no Sudão do Sul que não seja interior?) e matou todo mundo que fosse da etnia de Kirr, por causa disso Kiir mandou seu exército para matar os malditos rebeldes, com isso o país mais novo do mundo conseguiu a proeza de ter uma guerra civil com menos de 5 anos de existência, o país que já era uma merda ficou pior.

Economia[editar]

Agora independente, o Sudão do Sul orgulha-se em ser o país mais miseravelmente fudido do mundo, enquanto o Sudão do Norte se viu finalmente livre daquele encosto.

O PIB do Sudão do Sul é desconhecido porque ninguém sabe que porra de país é esse, embora o Banco Mundial estime que a riqueza do país está em torno de U$ -13.430.959,69.

População[editar]

Um censo até tentou divulgar a população do Sudão do Sul, mas a impossibilidade de reunir todos em um só lugar ao mesmo tempo tornou a realização do censo impossível e até hoje ninguém sabe a população do país.

Mas há muitos homens, muitas mulheres, e muitas crianças. Idosos nem tanto, pois estes não funcionam à luz solar como os demais.

Subdivisões[editar]


Cultura[editar]

Os sul-sudaneses carecem de cultura, pois a cultura ficou toda com o norte.

Religião[editar]

As diferenças religiosas foram um dos principais motivos que levaram à separação entre o Sudão e o Sudão do Sul. Enquanto o Sudão do Norte tem uma população completamente islâmica, já que os demais são condenados a morte por pedrejamento como punição por sua infieldade com Alá, no Sudão do Sul há três religiões predominantes:

O canibalismo é a religião mais presente, com 50% da população em adeptos da prática de comer e multiplicai-vos. 25% seguem o binladeísmo uma forma menos radical do islamismo, 24% seguem o cristianismo, e 1% seguem o ateísmo e não acreditam em nada, nem em você e nem neles próprios, pois nada existe.

Esportes[editar]

Quem comemorou a criação do Sudão do Sul foi a Seleção de Montserrat de Futebol, que agora conforme dados da FIFA não é mais a pior seleção de futebol do mundo, condição essa gloriosamente passada para a seleção sul-sudanesa.

Flag-map Sudão do Sul.png Sudão do Sul
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo


TOTO.jpg
África
v d e h

Países: África do Sul | Angola | Argélia | Benim | Botswana | Burkina Faso | Burundi | Cabo Verde | Camarões | Chade | Comores | Congo | Costa do Marfim | Djibouti | Egito | Eritreia | Eswatini | Etiópia | Gabão | Gâmbia | Gana | Guiné | Guiné-Bissau | Guiné Equatorial | Lesoto | Libéria | Líbia | Madagascar | Malawi | Mali | Marrocos | Maurício | Mauritânia | Moçambique | Namíbia | Níger | Nigéria | Quênia | República Centro-Africana | República Democrática do Congo | Ruanda | São Tomé e Príncipe | Senegal | Serra Leoa | Seychelles | Somália | Sudão | Sudão do Sul | Tanzânia | Togo | Tunísia | Uganda | Zâmbia | Zimbabwe

Territórios: Canárias | Ceuta | Galmudug | Mayotte | Melilla | Reunião | Saara Ocidental | Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha | Somalilândia