Sumata

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.

Sculpture samurai.jpg

Made in Japan
Este é um artigo com tecnologia do sol nascente né.
Para quem gosta de sushi, oden e lamen.

Nerd japonês já sonhando com um Sumata.

Cquote1.png Você quis dizer: Sumatra Cquote2.png
Google sobre Sumata
Cquote1.png Você quis dizer: SE MATA! Cquote2.png
Google sobre Sumata
Cquote1.png Experimente também: Sexo Intercoxa Cquote2.png
Sugestão do Google para Sumata
Cquote1.png AAAAHHHH! AAAAAAHHHHH! Cquote2.png
Japonês sobre Sumata.
Cquote1.png Dá dinheiro... Cquote2.png
Prostituta japa sobre Sumata.
Cquote1.png Preciso aprender isso. Cquote2.png
Puta ocidental sobre Sumata.
Cquote1.png Se não tem penetração pode. Cquote2.png
político japonês sobre lei antiprostituição vigente no país.
Cquote1.png 3 contra 1 em Sumatra! Cquote2.png
Bush sobre Sumata

Sumata é mais uma daquelas técnicas sexuais bizarramente estranhas que povoam a pervertida mente de milhares de pessoas, mais precisamente àqueles de olhos puxados que não são bolivianos, ou seja o pessoal lá do outro lado do planeta, como se já não bastasse sua tara por tentáculos.

Habitante ao descobrir que a prostituição fora proibida.

Dos motivos[editar]

Sumata é um termo não muito popular no ocidente, já que por aqui não existem leis rígidas contrárias à mais nobre das profissões, senão, pelo menos a mais antiga. A origem do Sumata é intrínseca a essa condição, no ocidente se pode transar com qualquer uma por dinheiro, e por alguns chocolatinhos, também, é possível, contudo em certas partes mais repressoras desse mundo o ofício é passível de prisão.

O Sumata é o salvador da situação, em condições de vida normal o jovem rapaz, gordo, nerd e sem qualquer espécie de vida social a única chance do jovem ter um contato social seria com uma garota de programa que encarasse de tudo, o mesmo com um homem velho, com uma barriga contruída após exaustivos anos bebendo cerveja, casado com um verdadeiro triceratops, qual é a chance dele tert um período longe do dinossauro que ele vê toda noite, sua única possibilidade seria com uma respeitável profissional de entretenimento adulto.
O papa aprovou a ideia que proibia prostituição.
Nu país onde essa válvula de escape é cortada de forma legal, é normal a revolta populacional ou as tentativas de burlar a lei procurando brechas quase invísiveis da sempre frágil malha judiciária, algum parágrafo mal escrito, uma ambiguidade, isso tornou-se o objetivo da ala masculina da sociedade japonesa, após a criminalização da prostisuição, pênis ávidos pelo consolo que um dragão ou MMORPG algum poderia conceder, deveria haver alguma forma, ou seus corpos se desfariam no excesso de sêmen
Contudo a medida possuia certas falhas jurídicas não previstas, o que irritou os meritíssimos.
.

Das falhas judiciais[editar]

O Sumata foi a solução encontrada pelos senhores adevogados para a resolução do impasse, pessoas de boa índole que saíam de seus lares procurando saciar a libido com algo tragável, a constituição proibia qualquer espécie de troca que envolvesse por uma das partes penetração genital, ou seja se não penetrar não pega porra nenhuma. Em cima disso respeitáveis pessoas passaram a preparar sua defesa caso fossem pegas no pulo do gato, já que eles não deixariam de requisitar tão animadores serviços das garotas, ou garotos para quem quisesse.

Baseado na máxima: Sexo é penetrativo, as profissionais da área ali da terra do Sol nascente passaram a se readequar a nova era de restrições e trabalho por baixo dos panos, elas então passaram a trabalhar na base da felação, o que para algumas era desagradável, visto que a camisinha estava fora de moda, mas, ainda, era mais fácil permanecer na profissão do que trocar de ramo e enfrentar a voraz competição do mercado de trabalho japonês.
Quando vazou vídeos de Sumata na internet.

Da origem prática[editar]

Com o contorno dos praticantes a legislação vigente, o sexo não penetrativo tomou conta do mercado, afinal, só para relaxar o pessoal até topava ficar só no famoso boquete, e se o cliente for uma fêmea, o nome já é cunilíngue, o que não muda em nada o fato, só era possível praticar o sexo oral.
Animais também praticam.

Isso aos poucos começou a encher o saco dos clientes, ir até o local, atrás de um relaxamento físico, hormonal e psicológico e ter de parar no meio do caminho era no mínimo frustrante, os serviços das garotas tornavam-se cada vez mais repetitivos e entediantes, o movimento tendia a cair, o pessoal agora prefiria ficar assistindo o jogo do Kashima Antlers a ir prestigiar o trabalho das moças.

No meio dessa desleal conncorrência do eletrodoméstico e do esporte das massas as prostitutas japonesas tiveram de incrementar seus programas, adicionando um mínimo de excitação extra ao cliente, fazendo um serviço mais completo que incluiria corpo inteiro, não mais, apenas, usando a mucosa bucal. As mulheres tiveram de quebrar a cabeça, afinal pedir para qualquer uma ser bonita e inteligente é algo quew contraria as próprias leis da natureza, que não associam beleza a um alto QI. Contudo após várias mortes por queima geral das terminações dos neurônios após uma quantidade de sinapses maior do que o que as pobres aguentaram, as mulheres conseguiram elaborar a técnica da Sumata.

Da técnica[editar]

Visando levantar o ânimo e, também, outras coisas dos clientes, para isso elaboraram essa nova técnica, que consistia em roçar tudo quanto é parte do corpo no cliente, mais precisamente usando as mão, as coxas e os lábios na brincadeira, sendo esses lábios aqueles mais divertidos, também chamados de lábios maiores, mas tudo sem penetração, por que assim não é prostituição.
Uma professora de Sumata.
O Japão continua bem servido de praticantes.

Com esse novo atrativo, os bordéis da região voltaram a bombar, mas todos seguindo os mais rigorosos princípios legais, de forma a tornar o antro um local de respeito, as usuárias da técnica bombaram no Japão até o advento da TV a cabo e da importação de filmes pornô ianques.

Atualmente[editar]

A prática do Sumata, hoje em dia, vai de vento em popa, as mulheres capazes de executar a técnica ganham uma quantidade satisfatória de dinheiro, sendo os trouxas clientes, em geral, nerds gordos, de todas as idades que jamais arranjariam qualquer outra espécie de favor sexual sem envolver meios de consegui-lo que não englobem atração e sedução.

O sucesso do Sumata, em parte deve-se ao fato de não haver pancadões funk em território nipônico, o que explica o fato deles terem de pagar por sexo, enquanto nos pontos mais distantes do mundo, onde reinam os bailes funks e o caveirão, as garotas fazem de graça mesmo, pelo simples prazer de ser piriguete.

Ver também[editar]