Bahçeşehir SuperMassive

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Ezde ardigo é Durco!
Bandeira
Bandeira do Império Otomano (1299–1923).png

Ele come kebab, louva Atatürk e jura que é europeu.
Não confunda com um árabe e muito menos com um grego
.

Lembre-se, o Genocidio Armênio nunca aconteceu!
SuperMassive eSports
EscudoSupermassive3.png
Brasão
Nome Oficial Bahçeéruim SuperBosta
Mais conhecido como MAU Superbosta
Superbosta
Estuprador de time brasileiro
Região Bandeira da Turquia.png Kebab
Outras informações sem graça
Quem auxilia essa merda RedBull
O diamante do time Zeitnot
Time que mais odeia Dark Passage
1907 Fenerbahçe
Times vietnamitas


Cquote1.png Tenho mais tradição. Cquote2.png
Dark Passage sobre SuperMassive
Cquote1.png Eu tenho seu time. Cquote2.png
SuperMassive sobre citação acima
Cquote1.png ... Cquote2.png
Red Canids sobre perder de 7 a 0 pra SuperMassive
Cquote1.png ... Cquote2.png
KaBuM e-Sports sobre perder de 21 a 1 pra SuperMassive

A SuperMassive eSports, Bahçeşehir SuperMassive ou BAU da Felicidade SuperMassive, (já que o time nunca se decide o nome) ou também Super Messi, segundo a torcida brasileira e sua ótima capacidade em falar inglês é um time de virgens turcos que jogam League of Legends, que atualmente joga na liga turca de League of Legends, conquistando sua vaga pra elite no tapetão, após roubar a vaga do time dos celulares em 2016.

Na TCL[editar]

2016[editar]

Em 2016, o time da SuperMassive em vez dos outros, não disputou a segunda divisão do Campeonato turco de LOL (se é que essa porcaria tinha) e foi direto na elite pelo modo tapetão, onde para evitar possíveis suspeitas, pegaram quase todo o time da Beşiktaş e-Sports Club, sendo que eles tinham um segundo time para possuírem uma vaga na primeira divisão, e com isso, ficaram em terceiro na fase de grupos, onde passaram pelo time turco sem qualidade, pela Team Autismo e conseguiram ganhar na final do próprio Besiktas, que atualmente é um time falido, dando o primeiro título roubado para a equipe da SuperMassive.

Com isso, deu a vaga para o Mid-Season Invitational de 2016, onde no começo, a SuperMassive ficou com um 5-2 na campanha, perdendo apenas para a INTZ e-Sports e a Saigon Jokers, empatando a mesma campanha com os times da INTZ e da Hard Random, mas ganhou no tapetão critério de desempate, no qual deu a primeira colocação no grupo.

Nas semi-finais, enfrentou novamente a Saigon Jokers, mas dessa vez não pipocou para a equipe vietnamita e venceu facilmente, e na final enfrentou a Hard Random, onde começou vencendo, mas depois tomou o empate e depois da terceira partida, venceu facilmente a equipe russa, passando para a Mid-Season Invitational 2016 na fase de grupos, jogando com equipes maiores. Com isso, a SuperMassive foi facilmente saco de pancadas das outras equipes, terminando com um 1-9, ganhando apenas da Counter Logic Gaming, famosa por perder para Wildcards.

No Segundo Split do campeonato, fez uma campanha melhor que o primeiro split, ganhando 8, empatando 5 e perdendo apenas 1, onde nas semi-finais dos playoffs passou facilmente pela sua freguês, a Team Aurora, mas isso tudo foi para apanhar feio da Dark Passage na final por um 3 a 0.

2017[editar]

A cara dos jogadores do time da SuperMassive ao jogar contra as equipes gigantes.

O time começou bem na fase de grupos, ficando disparado com 10 pontos na frente dos adversários, principalmente com o sumiço da pedra no sapato da SuperMassive, a Dark Passage que terminou em penúltimo e que quase não foi rebaixada, pela angústia dos fãs da SuperMassive. Com isso se classificou para os playoffs da liga, onde começou enfrentando o Feira e Bar, onde passou por 3 a 1, e depois na final enfrentou a Cone CREW eSports, no qual como não era um time de expressão, venceu facilmente pelo mesmo placar de 3 a 1, dando o segundo título para a equipe, e uma vaga no Mid-Season Invitational 2017, no Bronzil.

A SuperMassive teve a sorte (ou não) de pegar o grupo da Dire Wolves, a Rampage e a dona da casa, a RED Canids, no qual o único jogo difícil poderá ser o próprio time brasileiro, dependendo do nível das pipocadas dos turcos, onde conseguiu no primeiro dia ganhar facilmente das três equipes, com direito a um 7 a 0 na dona da casa com direito a olé, onde no segundo dia, todo mundo estava esperando por um possível jogo decisivo, mas a equipe brasileira conseguiu perder para a Dire Wolves, dando a classificação fácil para a segunda fase, onde enfrentaria a Flash Wolves, no qual no jogo apenas serviu para tomar uma surra de pau mole do time taiwanês em um jogo considerado fácil pelos taiwaneses. Depois disso, enfrentou a GIGABYTE Marines em um jogo de vida ou morte, onde começou perdendo, empatou, mas não teve jeito e perdeu por 3 a 1, dando adeus a ir para a próxima fase do MSI.

No segundo split, o time da SuperMassive não teve dificuldade em ganhar dos outros times na fase de grupos, no meio do campeonato fez uma parada pra stompar os times ruins russos em decadência no amistoso chamado Rift Rivals e o time depois disso, perdeu algumas e ficou em segundo na fase de grupos. O time com isso, passou com facilidade contra a secundária Team Aurora e na final, enfrentou a Fenerbahçe, no qual o time da SuperMassive achou que iria ser GG rapidamente, mas acabou sendo stompado nas finais e ficou com um vice, perdendo a vaga pro Mundial.

2018[editar]

Participação da equipe no MSI 2018.

A equipe por pipocar no split passado resolveu demitir alguns jogadores inúteis da equipe e focar em contratar alguns coreanos que dessem conta do recado, o que acabou dando certo (e muito), o que fez que a equipe da SuperMassive vencesse 17 vezes seguidas (isso mesmo, dezessete), contando mais com falta de habilidade dos outros times do que o próprio (ou não), terminando com um 28-2 na competição. Com isso, stompou a Team AURORA e a Royal Bandits além de deixar uma vitória para os dois times para não humilhar a liga inteira.

A equipe no MSI pagou de favorito pelo elenco com dois coreanos e foi sorteado o mesmo grupo do ano passado e começou jogando contra a Bronzeania, o Japão e o Bronzil onde a equipe primeiramente venceu a equipe da Dire Wolves na cagada, stompou de costume a PENTAGRAM e no terceiro jogo, mais esperado (apesar do FAIL brasileiro no segundo jogo) do primeiro dia, em menos de 22 minutos, a SuperMassive simplesmente estuprou o time brasileiro durante todo o jogo e acabou terminando o primeiro dia com 3 vitórias. No segundo dia e na maior calmaria, a equipe apenas jogou calmamente (ah vá!) e venceu duas das três partidas, já que no último jogo já estavam classificados e apenas jogaram para trollar como no ano passado. Mas tudo isso novamente acabou em pizza, já que novamente foi vítima dos vietnamitas, dessa vez apanhando para a EVOS.

Depois de mais um desapontamento no MSI, a equipe conseguiu se vingar dos vietnamitas no Rift Rivals e na liga turca do segundo split, a equipe ainda se manteve nas primeiras posições, mas passou mais trabalho que no split anterior e ficou em segundo na fase de grupos, ficando abaixo da nova rival Royal Bandits. Na semifinal passou fácil contra a rival 1907 Fenerbahçe e enfrentou na final novamente a mesma Royal Bandits, começando com um stomp da própria Royal Bandits e depois a SuperMassive até conseguiu voltar ao jogo, porém pipocou e apenas voltou a vencer graças a mais um dos inúmeros pauses suspeitos depois do "pause milagroso da RNG" e manteve a equipe a vencer as outras duas partidas, ganhando de 3 a 1 e mais uma vaga no Mundial, rumo a perder nas eliminatórias ou ficar 0-6 na fase de grupos. (ou não, com vários times inexperientes no Mundial)

Em seu primeiro mundial, a equipe pegou um grupo meia-boca com a G2 Esports e a fortíssima Ascension Gaming, onde no começo a SuperMassive surpreendeu e venceu os dois jogos, porém voltou a ser um time turco médio e acabou perdendo duas vezes para uma G2 em péssima fase. Nas eliminatórias, pegou uma G-Rex pensando que seria a mesma facilidade da Hong Kong Attitude, e começou vencendo, porém em um jogo de "mais campeões quebrados e pseudo-quebrados no time vence", a SuperMassive acabou tomando a virada e a derrota, sendo o último wildcard (sem contar o time do Vietnã) a cair na competição.

2019[editar]

O time da SuperMassive fez uma boa campanha na fase de grupos em 2019, porém acabou em segundo lugar por conta da freguesia contra o Fenerbahçe. Nas semifinais, a SuperMassive acabou sofrendo para ganhar da Royal Youth e até fez um ótimo primeiro jogo contra a Fenerbahçe na final, mas acabou caindo no golpe do Backdoor e depois disso, só decepções para o torcedor da equipe e acabou sendo stompado nos outros jogos, sendo mais uma vez vice.

Jogadores[editar]

O time da SuperMassive se destaca pelos jogadores fabFabulous, o Luís Fabiano turco; Frozen, um coreano aleatório que resolveu pular da barca da 1907 Fenerbahçe; Zeitnot, o ídolo da equipe que foi comprado da Dark Passage com o objetivo de falir os mesmos e também de carregar esse timeco antes da época dos coreanos e Wolf, o ex-suporte da SKT que teve que sair de lá pelos apelidos carinhosos após a campanha de 2018 e veio parar neste campeonato fim de mundo para uma possível aposentadoria. (ou não)

Títulos[editar]

Ver também[editar]