Suspeito

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Retrato-falado de um suspeito.

Cquote1.png Eu suspeitava desde o princípio... Cquote2.png
Chapolin Colorado sobre suspeitar
Cquote1.png É um, é dois, é trêis! Cquote2.png
Primo Preto sobre Suspeito
Cquote1.png PEGA LADRÃO!!! Cquote2.png
Cidadão comum ao ver um Flamenguista sobre Suspeito
Cquote1.png Elementar meu caro Watson, o suspeito estava usando sutiã vermelho! Cquote2.png
Shrelock Holmes sobre Suspeito
Cquote1.png Eu não fei de nada! Cquote2.png
Lula sobre suspeito
Cquote1.png Cuma? Cquote2.png
José Dirceu dissimulando como sempre
Cquote1.png É melhor fazer o que faço do que o que faria se não tivesse feito. Cquote2.png
Manda Chuva ao ser pego em flagrante comendo a gata da minha vizinha.

Suspeito é uma pessoa (ou uma coisa) da qual se desconfia que tenha cometido algo que não deveria ter cometido. Nos países desenvolvidos o suspeito é considerado inocente até o último instante. No Brasil, Índia, Porto Rico e Senegal, o suspeito toma uma tapa na cabeça, um chute na bunda e é obrigado a confessar.

Métodos avançados para fazer o suspeito falar[editar]

Um cara muito suspeito

Os romanos faziam-nos falar cortando-lhes a garganta. Não se sabe porquê nunca nenhum suspeito jamais se entregou ou assumiu qualquer culpa depois de submetido à esse método. Provavelmente os homens daquela época eram mais machos.

Na Europa, por exemplo, se suspeitarem que você esteja envolvido com o tráfico ilegal de narcóticos, você pode processá-los, ficar podre de rico, comprar uma ilha no Caribe e depois começar a plantar maconha, papoula e tomacco, e assim continuar seus negócios em uma escala muito maior e comercialmente mais ampla.

Interrompemos a transmissão para falarmos sobre o suspeito. Corta, corta, corta a reportagem...

Na China, hoje um suspeito misteriosmanete desaparece, sua identidade evapora do registro geral do Partido Comunista, sua família dentro de um período de duas semanas também misteriosamente some, os vizinhos em um perímetro de três casas acabam tendo infartes e ataques cardíacos muito misteriosos e seus corpos são encontrados em lagos ou rios, dentro do período de um mês todos seus parentes até o quatro grau são encontrados pela polícia ou queimados o u degolados em regiões rurais, a casa do suspeito é demolida e o terreno é vendido à uma fábrica de rádios à pilha Made in China.

No Curdistão, os suspeitos vão pra vara.

Na Turquia, os suspeitos morrem na pedrada.

Na Arábia Saudita não há suspeitos. São todos culpados.

Métodos brasileiros arcaicos para fazer o suspeito falar[editar]

Uma suspeita

No Brasil era muito comum durante a ditadura oferecerem chocolate para persuadir os suspeitos a confessarem. Como naquela época todos os suspeitos eram comunistas, então não haviam nem o que discutir. Entretanto com o passar do tempo as coisas mudaram.

Atualmente, no brasil se faz várias coisas dependendo do suspeito.

  • Se o suspeito for absolutamente inocente, os hômi cobram cerca de R$ 400,00 de propina dele para deixá-lo livre.
  • Se o suspeito for levemente inocente ele é jogado dentro de um camburão, tiram a camisa dele, jogam ele numa cela provisória da delegacia (o banheiro serve) e fazem ele aparecer todo santo dia no jornal das 8 da emissora Globo até que ele pague a fiança.
  • Se o suspeito for um pouquinho culpado ele é definitivamente o culpado, um inquérito prova que foi ele quem matou a família Von Richtoffen e o PC Farias, quem persuadiu o Maníaco do Parque a cometer seus crimes e já descobrem uma ligação fiel entre o suspeito e o Segundo Comando da Capital. Se o suspeito reclamar, a Justiça brasileira rapidamente encontra cerca de cinco quilos de cocaína na casa do suspeito e uma vítima que prova em nome de Santo Agostinho que ele é o culpado (com direito a exame de corpo de delito confirmando).
  • Se o suspeito for muito culpado não têm conversa, ele vai é pra cadeia passar uns cinco dias presos quando então vão tirá-lo de lá por superlotação e largá-lo em San Andreas ou em Ribeirão Preto. Talvez se até lá ocorrer uma rebelião, é bem provável que o suspeito muito culpado ele seja sacrificado pelos outros internos em nome da liberdade do coletivo!
  • Se o suspeito for sem dúvida nenhuma culpado então ele vai pra cadeia ensinar os outros internos a praticar crimes mais elaborados para que eles também possam vir a ser um dia sem dúvida nenhuma culpados.
  • Se o suspeito for afrodescendente ele leva uma coronhada na cabeça e no dia seguinte acorda com uma tremenda dor de cabeça em uma delegacia do Texas, tendo sido levado durante a noite pela Interpol (isso no Brasil!) para os americanos verem o que fazer com ele. Se ele der sorte, vira um artista de Hip Hop. Se ele der azar - e vai dar - ele é deportado para o Brasil e, se der mais azar ainda, é mandado pra cadeira elétrica ali mesmo por envolvimento com gangues de rua.
  • Se o suspeito for indígena dão um jeito de encontrar um cachimbo da paz com ele e mandam pro presídio do Caramuru até que o Gabriel, o Pensador pague a fiança.
  • Se o suspeito além de ser suspeito também morar em uma favela ele é pego pelo Caveirão durante a madrugada, é espancado quase até a morte pelos caras da choque e do BOPE e na manhã seguinte acorda do outro lado da favela com uma tremenda dor na bunda e não consegue nem caminhar, isso se tiver sorte de escapar vivo.

Caso Especial[editar]

  • Se o suspeito for um culpado rico, um culpado de família influente ou um culpado político, ele é considerado inocente em todos os casos e no direito de entrar com um processo contra o Ministério Público por calúnia, difamação e danos morais.