Terezópolis de Goiás

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Terezópolis de Goiás é como aquela Teresópolis lá do Rio de Janeiro, mas sem as belas paisagens, sem o ambiente pacato, sem o desenvolvimento social, sem mulheres bonitas, ou seja, é a Terezópolis de Goiás.

História[editar]

População inteira de Terezópolis de Goiás indo para Goiânia.

Terezópolis de Goiás surge no caminho de Anápolis e Goiânia como uma espécie de favela da favela. Lá foram se aglutinando caminhoneiros, prostitutas, drogados, marginais, bandidos, desempregados e esse tipo de gente, até formarem o vilarejo após um movimentado torneio de truco que decidiu o primeiro prefeito da cidade.

Separou-se de Goianápolis em 1993, após um acordo unilateral entre os prefeitos desses municípios que disputaram a independência de Terezópolis de Goiás com uma disputa de subida no pau-se-sebo.

Atualmente, a cidade comemora o centésimo parto normal realizado.

Um símbolo da cidade é o ônibus, porque todo mundo pega um todo dia para ir à Goiânia.

Infra-estrutura[editar]

Terezópolis de Goiás é basicamente formada por barracos residenciais, pontos de prostituição e venda de drogas, além de botecos. Qualquer outra coisa como hospitais, delegacias, corpo de bombeiros, escolas, padarias e comércio decente só no bairro vizinho de Goiânia.

Educação[editar]

O nível de analfabetismo do município dispensa comentários, já que o correto do nome da própria cidade deveria ser Teresópolis de Goiás, sem a letra "z"...

Cultura[editar]

É difícil achar que existe algum tipo de manifestação cultural num buraco como Terezópolis de Goiás, mas com um pouco de esforço, você fica sabendo que a cidade é um tradicional ponto de realização do famoso Campeonatinho Mundial de Palitinho.

Lazer[editar]

Terezópolis de Goiás oferece praticamente nenhuma opção de lazer a não ser as prostitutas de R$ 1,99. Para quem não vai à Goiânia, só resta em Terezópolis a única opção de se divertir alimentando os pombos na praça central.