The Celtic Football Club

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
The Celtic Football Club
Escudo do Celtic.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial The Selfie Football Club
Origem Bandeira da Escócia Escócia- Glasgow
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Escocês
Divisão primeira divisão
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Cquote1.png Você quis dizer: Celta Cquote2.png
Google sobre The Celtic Football Club
Cquote1.png Você quis dizer: Time dos católicos Cquote2.png
Google sobre The Celtic Football Club
Cquote1.png Temos uma Liga dos Campeões, e os (****) protestantes do Rangers não!! MWAHAHAHAHAHA Cquote2.png
Torcedor do Celtic zoando seu maior rival
Cquote1.png FREGUÊS! Cquote2.png
Torcedor do Rangers acabando com a alegria do outro torcedor acima.
Cquote1.png He he he he... Cquote2.png
O Novo Pica-Pau, ao comemorar um gol do clube.
Cquote1.png WTF?? Cquote2.png
Eu, ao saber que um time escocês já havia ganho a Liga dos Campeões, mesmo que na época pré-histórica.
Cquote1.png Imitão! Cquote2.png
Seleção Brasileira de Futebol sobre o 7x1 do PSG no Celtic na Liga dos Campeões da UEFA de 2017/18

The Celtic Football Club (não confundir com Boston Celtics) é um time de futebol escocês (sua torcida não gosta que os chamem de britânicos, pois isso é coisa daqueles protestantes do Rangers) (ou não?), que pela descrição acima já deu pra notar que tem uma torcida formada por católicos. Tem as cores verde e branca, o que pode explicar seu total insucesso nacional.

O Celtic possui em seu escudo um trevo de quatro folhas. O que é um paradoxo, tratando-se da má sorte (ou ruindade mesmo??) que o time vem demonstrando desde que foi fundado, lá em 1900 e não interessa, como dizia o Seu Madruga.

Outra grande prática esportiva é o linchamento de protestantes, nos clássicos contra o Rangers. Também serve de palco para as emocionantes disputas dos Jogos Escoceses, que aparecem no Novo Pica-Pau.

História[editar]

Fundação[editar]

O Celtic começou como uma ideia para uma equipe de futebol para jogar contra equipes consideradas estrangeiras (inglesas) e superiores. Tal qual o grande inspirador do time, o herói Robert the Bruce William Wallace, o Celtic buscaria se martirizar, perder e apanhar muito para gerar empatia e dó e assim rapidamente tornar-se o time mais tradicional e celebrado da Escócia. O ainda jovem e torcedor Sean Connery decidiu que tudo ficaria ainda melhor e mais dramático se houvesse pitadas de sectarismo e ódio religioso, e assim aos olhos de Connery atiçar o fogo da vitória para sua equipe inexperiente e do fanatismo nos torcedores; infelizmente Connery não era jogador de futebol e não sabia menos sobre futebol do que ele sabia sobre Golf, e, assim, Celtic nasceu e demorou para realizar seus sonhos.

Primeiros anos[editar]

Beneficiando-se do fato de não existir times na Escócia antigamente, mas apenas outras equipes formadas por peladeiros que estavam ali jogando descompromissadamente sem nem saber que se tratava de um campeonato escocês, o Celtic alavancou sua galeria de títulos molezas, e no ano de 1922 o time já era incríveis 16 vezes campeão escocês.

O título da Liga dos Campeões da UEFA[editar]

Graças a um acaso do destino, o Celtic conquistou a memorável Liga dos Campeões de 1966-67. Faz tanto tempo que ninguém se lembra e é necessário acessar material arqueológico e historiográfico para saber exatamente o que aconteceu nesse ano onde certamente a Europa estava em franca decadência para deixar o Celtic ser campeão europeu.

Para chegar até a final o Celtic precisou superar apenas míseras 4 equipes que eram tão boas que sequer existem mais ou que se existem hoje jogam a quinta divisão de seus países.

O único time tradicional enfrentado foi o Inter de Milão na final, e que por ser apenas um jogo e em campo neutro, o Celtic soube prevalecer a sua tradicional cagada e vencer o jogo. Aquele 25 de maio de 1967 da final ficou conhecido na cultura popular da Escócia como "O Dia do Grande Banho", quando pela primeira vez em 2500 anos de história, pessoas escocesas saíram da ilha da Grã-Bretanha! Audaciosos, os torcedores do Celtic atravessaram o Canal da Mancha à nado até Lisboa onde fora realizada a final. Aliás, antes dessa data o canal era conhecido apenas como "canal", mas depois da nhaca pútrida solta pelas axilas comumente mal lavadas de tantos torcedores, ficou uma mancha eterna naquelas águas, e então o nome foi rebatizado para "Canal da Mancha".

Apesar do título europeu, foi apenas mais um time europeu que fez merda no Mundial de Clubes e conseguiu perder a Copa Intercontinental de 1967 para o futuro time falido Racing Club.

Final de 1970[editar]

O Celtic tentou repetir a cagada ao chegar numa segunda final de Champions League, dessa vez pela edição de 1969-70, mas diferente do SL Benfica o Celtic falhou. E igualmente só foi tão longe porque só pegou time estranho. O Feyenoord enfrentado na final não era dos times mais tradicionais, e o Celtic perdeu porque sua fanática torcida não se atreveria a ir para o Império Romano só pra ver o jogo, e só havia torcedores do Feyenoord.

Desastroso Ibrox de 1971[editar]

Um clássico memorável entre Celtic e o eterno rival Rangers ocorreu em 1971, quando em jogo valendo pela Copa da Escócia até os 55 minutos do segundo tempo o jogo apontava um tedioso 0x0, mas então o Celtic abriu o placar. Porém, com um chute do meio-de-campo o Rangers empatou no último lance, e a torcida ficou tão empolgada que agentes da Inquisição Espanhola infiltrados na torcida do Celtic decidiram agir e queimaram 76 torcedores do Rangers numa fogueira em pleno gramado, na maior tragédia do futebol britânico.

Década de 80 whatever[editar]

Nos anos 80 o Celtic para de jogar o campeonato escocês sozinho na medida que novos clubes vão sendo criados no país, e portanto para de ganhar seus títulos e some das competições europeias.

Decadente década de 90[editar]

Atolado em dívidas a partir da década de 90 agravado pela crise na Igreja Católica, o Celtic cada vez menos tinha jogadores revelados na base, afinal nenhum garoto desejaria ser educado e treinado por um grupo de padres pederastas. Sem dinheiro para contratar jogadores já formados, o Celtic passou de 1990 até 2000 a lutar contra o rebaixamento no campeonato escocês.

Anos 2000 medianos[editar]

A partir de 2000 o Celtic voltou a ganhar os campeonatinhos escoceses porque mesmo na pior crise financeira do mundo, a qualidade péssima daquele campeonato permite que o Celtic seja campeão mesmo com um time que toma goleadas homéricas nos campeonatos europeus de mais elevado nível.

Esta equipe fantástica que tinha como único objetivo derrotar todos outros times escoceses, considerava tal feito uma tarefa considerada demasiadamente fácil, então ao invés de conquistar os campeonatos com mil rodadas de antecedência, o Celtic fazia questão de perder alguns jogos e outros gerar a ilusão de que perderia até o minuto 80 antes de marcar gols roubados e vencer.

A partir de 2010[editar]

Às vezes o linchamento de protestantes no meio da partida dá errado

Nos últimos anos, o Celtic ganhou o respeito fora de campo por seu esquema de caridade para os desabrigados de Edimburgo, trazendo-os para a ensolarada e livre de crime cidade de Glasgow e dando-lhes bancos quentes para sentar e pernoitar no sereno com suas meias furadas, em troca dos mesmos torcerem para o Celtic. Casos recentes de caridade incluem Derek Riordan, Paul Hartley, Steven Pressley e Kenny Miller.

Torcida[editar]

O novo Pica-Pau, talvez único escocês (mais ou menos) famoso hoje em dia, é o torcedor ilustre do clube. Entretanto, foi depenado pelos integrantes do IRA que torcem para o clube, por conta de sua plumagem azul, a cor do rival Glasgow Rangers.

Títulos[editar]