Fala zezé,bom dia cara

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Thiagonevestiti.jpeg
Thiago Medalhão Neves
Boqueteazul.jpg
Apelidos Presidente Medalhão Neves
Nascimento 27 de Fevereiro de 1985
Curitiba, lá na sede da Ícaro Studios
Nacionalidade Bandeira do Brasil Brasil
Altura 1,82
Peso Tá magro
Posição Meia que não sabe marcar
Esquerdo
Clubes Fluminense, Flamengo, Cruzeiro e Grêmio
Estilo de Jogo Especialista no fundamento "chute torto que bate em alguém e vai pra lateral"
Gols Em falta(trocadilho ó)
Prêmios "Rebaixamento do Cruzeiro"


Cquote1.svg Você quis dizer: Paneleiro? Cquote1.svg
Google sobre Thiago Neves
Cquote1.svg Você quis dizer: Thiago Fezes Cquote1.svg
Google sobre Thiago Neves

Cquote1.svg Me demitiu do Cruzeiro com menos de 10 jogos! Cquote2.svg
Bambério Ceni sobre Thiago Neves
Cquote1.svg Fala Thiago, beleza cara? Cquote2.svg
Zezé Perrella Jornalista gaúcho sobre Thiago Neves
Cquote1.svg Você traiu o movimento Fluminense, veio! Cquote2.svg
Dado Dolabela sobre Thiago Neves estar jogando no Flamengo
Cquote1.svg Flamengo e Fluminense? Bicha favelada! Cquote2.svg
Vascaíno sobre Thiago Neves
Cquote1.svg Filho da puta Cquote2.svg
Torcida do Flamengo sobre Walter Montillo
Cquote1.svg Você quis dizer: carrasco do Flamengo Cquote1.svg
Google sobre Thiago Neves
Cquote1.svg Thiago Fezes... Cquote2.svg
Rock Bola sobre Thiago Neves
Cquote1.svg todo Thiago com “H” é gay! Cquote2.svg
Alguém que gosta de levar a vida com estereótipos sobre Thiago Neves
Cquote1.svg Viado! Viado! Cquote2.svg
Flamenguista sobre Thiago Neves no Fluminense
Cquote1.svg Uh! Uh! Thiago Neves! Cquote2.svg
Flamenguista após o jogador ir pro Flamengo
Cquote1.svg VIADO FILHO DA PUTA! Cquote2.svg
O mesmo Flamenguista após ele voltar ao Fluminense
Cquote1.png Experimente também: dança do creu Cquote2.png
Sugestão do Google para Thiago Neves

THIAGO NEVES AUGUSTO, mundialmente conhecido como THIAGO NEVES (sim, lembraram de um sobrenome de alguém) é mais um boleiro jogador de futebol, ou seja, trabalha 4 horas por semana e reclama que trabalha demais, é mais cantado do que o de costume antes de ser boleiro. Além de boleiro também já foi cartola, e mandou e desmandou na Toca da Raposa enquanto esteve por lá, especialmente em 2019.

Cuspido em 27 de fevereiro de 1985, em Curitiba, no Paraná, ele é um daqueles que declara amor a um time e, em alguns anos, migra pra um arquirrival, no caso trocou o Fluminense (“FlorminenC” pros homofóbicos e “FluminenC” por quem conhece a história do futebol) pelo Flamengo (“Fla-Emo”, “Framengo”, “Flavela” ou “Flamerda” pra emos e coloridos), e, depois, resolveu voltar ao Lado Rosa da Força, para jogar no Fluminense.

Tudo seria por dinheiro, mas não foi: ele jogava na Arábia, onde se joga pouco e se ganha muito, mais que o de costume no resto do mundo. Ele ficou com saudades das praias cariocas com mulheres usando biquíni com calcinha encravada no buraco negro e cerveja, já que lá as mulheres usavam maiôs que cobriam o corpo todo e cobriam os rostos e o consumo de álcool é proibido. É mais uma vítima da mística em torno dos Thiagos com “H”.

É um jogador extremamente profissional e conhecido por seu código ético. Quando o Cruzeiro precisava dele na luta pra não cair, lá estava ele guardando energia nas festas de Beagá. E na noite do rebaixamento da Raposa, ele fez um homenagem á queda caindo de bunda na night mineira.

Infância[editar]

Thiago Neves teve uma infância comum e normal e se preparava pra ter uma vida bem chata, com rotina pré-determinada e tudo, pois, já vivia em um reduto de Mulher gostosa, ou seja, dali era escolher uma pra vida toda, estudar pra se formar e arranjar um emprego bem remunerado e viver sua vida, mas, a parada não foi assim: no bairro dele, as garotas só davam mole pros meninos que jogavam futebol, coisa que ele nunca fez, isso sem falar que os meninos da vizinhança estavam na escolinha do Paraná Clube, ali já se via que estavam esboçando Marias Chuteira pro futuro, e resolveu começar a jogar futebol também, pra ter uma chance com as menininhas, e humilhando em campo na 1ª vez que jogava, chamando a atenção de um olheiro do Paraná Clube que passava na rua a caminho da casa da amante (amante mesmo, no Sul tem tanta mulher gostosa que é difícil não cair em tentação), assim conseguindo se juntar aos coleguinhas que já estavam lá. Cresceu lá, teve sua 1ª vez lá, se formou lá, começou a pagar de galã lá, e, subiu.

Profissional[editar]

Thiago Neves começou a jogar no time de cima do Paraná Clube durante a Copa Zveiter/Kia, mas, por motivos lógicos, não pôde mostrar valor, era uma incógnita, pois todos estavam de olho nos organizadores do campeonato: Corinthians, MSI e Kia Joorabchian, e, ninguém conseguiu mostrar talento nesse campeonato pra poder buscar um contrato melhor, com exceção dele, que foi sortudo e conseguiu um contrato. Não melhor, mas, bem renumerado.

Em uma entrevista pra um programa japonês especializado em jogadores que ninguém dá bola por causa de escândalos em campeonatos que jogam, disse que gostaria de ir ao Japão pra visitar o Museu da Bandai pra ver as roupas do Super Sentai e realizar uma fantasia sexual doentia: ver um Strip-tease de uma japa vestida de Sailor Moon.

Sabendo que ele estava envergonhado do futebol brasileiro por causa do que aconteceu, o Vegalta Sendai, que estava na merda na época, mas, sempre jogando in dê mídiu from birráinde com Joel Santana, uma estratégia que deu certo, pois, com ela o time voltou a estar bem, o contrata pra ajudar no projeto de reestruturação. Jogou, e, com o que jogava, virou rei no Japão, participou de programas infantis, dublou um vilão no Super Sentai daquele ano, foi a festivais de anime, sempre fazendo cosplay do Sub-Zero (justamente um mascarado, já que, seria facilmente reconhecido), comer um pouco naquela culinária bizarra e muito mais, mas, deu saudades do Brasil, um país onde não se come peixe cru, e, ao fim do contrato, cheio da grana e realizado, ele resolve iro jogar no Fluminense, o anão do RJ.

No Fluminense[editar]

Ele e suas bolas

Thiago Neves conhecia bem o Rio: a violência, o Maracanã e a VM, e, usou seu conhecimento pra se adaptar rápido ao lugar. Jogava no Fluminense, mas, seu machismo fez com que ele começasse a agir pra não ser chamado de gay por jogar num time de gay: evitando o Posto 8, pegar qualquer Maria Chuteira que lhe desse mole e festejar as vitórias na VM. O Rio foi bom pra ele: Um apelido do Rock Bola (Thiago Fezes), título e algumas bolas (Ui!) da Revista Placar, jogar a libertadores, após terem prometido que ele faria trio com um dopado e um jogador de ossos de vidro, mas, como um foi pego no doping e o outro se quebreou pela bilionésima vez na carreira, teve que carregar o piano tricolor sozinho, não aguentando o Guerrón, em mais um caso clássico de medrosos que se intimidam diante de um negão. Como legado por ter sido o exército de 1 homem só no Fluminense na Libertadores do ano, foi convocado pra fazer vergonha diante de 1 bilhão de pessoas jogar nos Jogos Olímpicos de 2008, até porque tinha idade pra tal, se não tivesse, nem jogaria. Vexame feito, se sente envergonhado, e, aliando a isso a promessa não-cumprida sobre seus parceiros que seriam a Santíssima Trindade tricolor e o fato de o Hamburgo ter batido na porta das laranjeiras com 9 milhões de Euros fizeram com que ele saísse pra jogar na Europa e ganhar o respeito das tietes do futebol europeu (aquele filo que acha que o futebol daqui é uma merda e o de lá a 8ª maravilha do mundo)

Salsichões e Kibes[editar]

Dando mole

Na Alemanha, é recebido com uma Oktoberfest fora de época, e, com a boca no salsichão (sem duplo sentido), é apresentado pra ser só mais um no Hamburgo, afinal, era isso o que se fazia com um time com o Van Der Vaart, que era uma espécie de Thiago Neves no Fluminense do Hamburgo, mas, foi vítima de xenofobia, pois o treinador do time não respeitava gente que vem de países onde se bebe cerveja gelada, o boicotando e fazendo com que ele ganhasse peso e fosse um peso morto no time, resultando em sua saída. Conseguiram vender o cara pras Arábias, e, como não o queriam mesmo por lá, o jogam avanço, sendo pego pelo Fluminense, pra passar uma colônia de férias por lá.

Fim das férias, e ele vai jogar no Al-Hilal, pra poder fazer o pé-de-meia dele sem ter que gastar com mulher (já que não existem Marias Chuteira lá) e com cerveja (graças a proibição do consumo de álcool). Lá ele também virou Deus fazendo o dele, jogou muito, brilhou muito, mas, não aguentou passar muito tempo sem álcool, sem aquela cervejinha com um petisco num bar, e se mandou de lá. Todos os times do Brasil o queriam, mas, ele resolve trair o movimento Fluminense, indo pro arquirrival Flamengo.

No Flamengo[editar]

De saco cheio de comandar um time de festeiros, desordeiros, emos, travecos, namorados de funkeiras e assassinos de Marias Chuteira, Tia Paty queria arrumar a casa no Flamengo, já que isso estava dando alegrias a maior torcida do mundo: a arco-íris Anti-Flamengo, e contratar jogadores que são exemplos pra sociedade e gente de bem. Thiago Neves se encaixa nesses padrões e veio ao time pra ser o principal coadjuvante do time, já que é um pouco difícil ser o astro num time com o Ronaldinho Gaúcho, e, atualmente está com problemas de freio, pois faz parte do famigerado e temido Bonde do Negão Mengão Sem Freio.

A Volta ao Xodó da Unimed[editar]

Contrato chegou ao fim, era hora de renová-lo. Patrícia Amorim estava tentando pechinchar e oferecer favores sexuais aos árabes para ver se conseguia diminuir os custos. Até estava dando certo. O dinheiro estava em mãos e o dirigente ao Al-Hilal já até teria escolhido a cor da Lingerie que ela usaria, mas, Celso Barros, o dono do Fluminense, fazendo o que faz de melhor, atravessar negociações, consegue contratar o jogador, por R$0,05 e uma Bala Juquinha a mais, e, ele sucumbiu ao Lado Rosa da Força novamente.

Crugayro[editar]

Como todo jogador brasileiro que não é bom ou novo o bastante pra ir pra Europa, Thiago voltou para as Arábias, onde ficou quatro anos vivendo a base de kibes, esfihas e 50 milhões de doletas todo mês na conta. Em 2017 já velho e sem condições de render o mesmo que antes, ele voltou para o Brasil, desembarcando nas Marias mineiras, onde já virou ídolo dos caipiras por fazer gol no clássico contra o Gaylo no Campeonato Mineiro e ajudou na conquista da Copa do Brasil de 2017, primeiro título do clube na era pós-Ricardo Goulart. Já em 2019 foi um dos responsáveis pelo boicote generalizado dos jogadores contra os técnicos e dirigentes da raposa sapeca, que levou ao rebaixamento do time.

Cquote1.svg Fala, Zezé. Bom dia, cara. Deixa eu te falar uma coisa. Eu estou pensando aqui, sei que está difícil para vocês aí arrumarem recursos, sei que está correndo atrás, mas estou falando por mim, não falei com ninguém do time. Vê se você não consegue pelo menos pagar esses outros 60% (dos salários atrasados) antes do jogo de quinta-feira, que aí não precisa nem ter bicho, entendeu, para ganhar jogo. É uma motivação a mais para a gente, cara, acertar o salário aí. Aí você não precisa arrumar uma premiação para ganhar o jogo, porque a obrigação nossa é ganhar esse jogo. Tá louco! Se a gente não ganhar do CSA, pelo amor de Deus. Pô, faz esse esforço para a gente aí, até quinta-feira, tentar acertar esses 60% que estão atrasados do salário. Cquote2.svg
Thiago Neves sobre arranjar motivação para o time na briga contra o rebaixamento