Tião Macalé

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Donamorte1.jpg
Tião Macalé já morreu!

Foi ver a grama nascer por baixo.

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Irmã mais nova de Tião Macalé, que ficou presa no piche da construção da rodovia Transamazônica.
Aqui sua Chegada ao Rio de Janeiro. Ao cair dentro do rio Amazonas, ele foi levado por uma grande enchente que cruzou todo o país e desaguou na Baía de Guanabara no Rio de Janeiro.

Augusto Empédocles Temístocles da Silva de Costas (a.k.a. Tião Macalé, o Nojento) é nada mais nada menos que a figura mais ilustre do folclore brasileiro que teve sua primeira aparição na rede globo de televisão.

Primo mais velho do Saci Pererê, Tião Macalé viveu boa parte da vida dentro da selva amazônica, cultivava maconha e vendia a erva para os índios (principal clientela da região), a qual era usada como anestésico pelos caciques pra viajar por aí.

Tião Macalé também criava mulas sem cabeça num haras que possuía na região amazônica. Ficou na sarjeta depois que o governo militar resolveu abrir passagem para construção da rodovia Transamazônica no meio da selva. Muitos de seus parentes ficaram presos no meio do piche na construção da rodovia Transamazônica (vários deles irmãos), e seu primo, o Saci Pererê. A estrada passou por cima de suas propriedades e parentes, deixando-o numa situação difícil.

Depois de fugir da selva, Tião Macalé caiu dentro do rio Amazonas, e foi levado por uma grande enchente que cruzou todo o país, desaguando na Baía de Guanabara no Rio de Janeiro. Nesta longa viagem, Tião conheceu grandes figuras do folclore, como a sereia, o boto, o boitatá e o peixe sem cabeça.

Seu maior azar foi virar ator na Globo, onde Tião veio a conhecer Mussum. O velho trapalhão ensinou a Tião Macalé o vicio do álcool, e ele morreu de cirrose depois de beber 50 litros de gasolina num posto da baixada fluminense.