Tio Barnabé

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Cquote1.png Fala, zé mané... Cquote2.png

Tio Barnabé é um velho filha da puta e escravo do Sítio de Dona Benta. Filho de Rosemari, prostituta do município de Taubaté, ele nasceu oriundo de uma relação conturbada entre sua promíscua mãe e Monteiro Lobato.

Lobato sofreu do clássico fato de se apaixonar por uma puta e querer tirá-la do mundo dos puteiros, passando então a querer bancar seus trejeitos e vícios. Ela vendo a oportunidade, aceitou. Se casaram em segredo e arranjaram um sítio onde viveriam juntos. Houve um atrito em que nome dar ao sítio. Querendo homenagear o membro fálico de Lobato e o ganha-pão até então de Rosemari, nomearam o sítio de Pica ou Pau Amarelo, pela questão de Monteiro Lobato ter um pênis estilo napolitano, com várias cores, destacado para o amarelo.

Barnabé Lobato nasceu lá, no dia 23 de Dezembro de 1834, entre uma cheirada e outra de cocaína de seus pais. Quando a parteira o retirou de dentro de sua mãe, ela deu um soco na boca do menino, o que justifica a feiura de Barnabé quando adulto. Lobato, como estava cheirado, chorou de rir na ocasião.

Foi no Sítio da Pica ou Pau Amarelo que ele passou toda sua vida. Logo que nasceu já foi feito de escravo para tirar leite das vacas. Servia como força de sucção inicial, necessário para estimular a liberação do leite nas tetas. Nunca soube o que era o mundo fora dali. Cresceu forte e tornou-se um menino bruto. Nesta época de hormônios a flor da pele comeu todos os cabritos possíveis da fazenda. No entanto há boatos que morreu um homem virgem.

Quando adulto e após a morte de seus pais continuou a trabalhar como escravo, agora para Dona Benta, que era herdeira do prostíbulo da cidade e acabou vendendo-o para comprar a fazenda. Como o nome era muito vexatório, renomeou o sítio para Sítio do Picapau Amarelo, como o conhecemos hoje.

Logo começou seus empreendimentos e utilizou Tio Barnabé para fabricar roupas da marca Zara. Comprou um navio e trouxe vários outros escravos da África, promovendo então Barnabé para ser o trainee escravocrata. Ganhou o título de escravo do mês por diversas vezes.

Para aguentar a carga de trabalho, escolheu um vício. Começou com o ópio mas logo partiu para algo mais forte, escolhendo então o crack.

Barnabé teve um vício muito forte até seus dias finais e por isso não se separava de seu cachimbo de crack. Quando velho, perdeu sua audição pois Dona Benta mandava tocar funk em seu alojamento sempre que recebia reclamações da Zara sobre defeitos de fabricação.

Para achá-lo pela fazenda a partir de então, começaram a utilizar o rastro de pedras de crack que o ele deixava por onde andava. Acabou falecendo em 12 de maio de 1888, um dia antes de ser declarada a abolição da escravatura para o puro azar do velhote.

Morreu em seus aposentos, de cócoras, com o pênis entalado em um pote de picles. Ficou conhecido por ter herdado os dotes de seu pai e membro fálico de mesma coloração.