Toledo (Espanha)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.
Cquote1.png Você quis dizer: Marca de balança de precisão Cquote2.png
Google sobre Toledo (Espanha)

A Cidade Histórica de Toledo é um caso sério no que se refere a centros históricos. Nela, não existe um bairro onde se concentra todas as ruínas feitas. O local é uma ruína. Mas pelo menos coisas importantes aconteceram por lá, das quais nem eu nem você se lembra. Nela nasceu e viveu pessoas importantes, como o João que trabalha na padaria.

Economia[editar]

O maior prédio de Toledo depois da falência da fábrica de espadas.

Toledo chegou a se tornar a capital da Espanha e ficar rica, mas essa época passou, e hoje seus moradores sonham com o dia em que eles voltarão a ficar ricos. Claro que isso não passa de um sonho. O local tem a economia baseada na produção de espadas para o exército. Só que existe um pequeno problema. Hoje as armas utilizadas pelas forças armadas são Facas Ginsu, metralhadoras, escopetas, minigun, etc. Essas armas são infinitamente melhores do que uma espada absolutamente comum e sem-graça.

Portanto, ninguém terá interesse em comprar uma dessas espadas para usar nos combates, já que elas não servem para nada durante a luta. Como as espadas não são vendidas, esse negócio não dá certo. Toledo, para sobreviver, teve que modificar os negócios e fabricar facas de cozinha, porque senão a cidade iria à falência.

História[editar]

Toledo exisita desde os tempos remotos como um assentamento de cavernas em que moravam vários homens e mulheres, dedicados a fabricação de espadas primitivas, que na época eram formadas por pedaços de pau. A comunidade lucrou com as vendas (naquele tempo os pedaços de pau representavam as armas mais modernas do mundo). O negócio se diversificou e eles passaram a fabricar havaianas de pau. Depois, passaram a se dedicar principalmente à fabricação de espadas e faquinhas.

Os bárbaros dominaram Toledo para roubar pegar emprestado o arsenal de facas da cidade. Logo depois, os árabes tomaram o contole de oledo. Como eles precisavam de muitas espadas para fazer uma jihad na Europa, essa foi a melhor época em Toledo, que lucrou muito. O declínio da cidade teve início quando os europeus recuperaram a região e trouxeram para lá as Facas Ginsu, feitas pela China. A Ginsu fez uma forte concorrência com as espadas de Toledo, até que a cidade não conseguiu superar essa concorrência e empobreceu.