Torino Football Club

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Torino Football Club
Escudo do Torino.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Torino Football Club
Origem Bandeira da Itália Itália- Turim
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Italiano
Divisão Serie A
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Torino Football Club (traduzido como Tourinho Futebol Clube) é time da cidade de Manaus no estado de Turim, sendo um time italiano que frequenta a Serie B TIM (equivalente a 10ª2ª divisão italiana) mas que as vezes sobe à Serie A onde não faz nada que preste e logo rebaixa de novo. Torino é um time de velhos, que foi bom em 1940, na época que sua bisavó ainda era virgem, e hoje qualquer jovem que nasça em Turim só tem a Juventus de opção aceitável para torcer.

Rivalidade[editar]

Possui rivalidades contra times fantásticos, como AlbinoLeffe, um time do qual ninguém sabe da onde é, nem os torcedores (caso tenha algum, o que acho muito difícil), e uma pseudo-rivalidade contra a Juventus, que aí são os torcedores desta que mal sabem da existência do Torino.

O time do Torino tem uma enorme pseudo-rivalidade com a Juventus (mas só falta avisar à Juventus, que não está nem aí para eles). Os torcedores da Juve (e os do Torino mais realistas) acham esta rivalidade ridícula, pois de 7.553 jogos, a Juventus ganhou 7.550, todos com placares de mais de 22 gols de diferença, sendo o único jogo sem vitórias juventinas, uma vitoria de 1 a 0 , no dia 30 de fevereiro de 1841, sendo, estranhamente, o dia que o Corinthians ganhou a final da Libertadores contra o Veranópolis ECRC de 24 a 0 no seu estádio no Acre. Logo depois este mesmo time do Veranópolis foi para o mundial e ganhou do Bursaspor KD que havia eliminado a mesma Torino na final da Champions.

História[editar]

Fundação[editar]

Antes de 1900, o único esporte coletivo com bolas praticado em Turim era o tal de pallone, uma espécie de mistura de boxe, golf, tênis, handbol, vôlei e queimada, sendo este um desporto particularmente divertido, mas que causava muita vergonha alheia pelos materiais envolvidos, como a necessidade de uma luva de boxe de chumbo e de ter que rebolar muito na hora dos saques. Foi então que chegou o futebol (calcio), um esporte revolucionário totalmente focado em abraçar adversários, encoxá-los e diversas outras viadagens enrustidas, e foi então que Alfred Dick (Alfredo Pinto) fundou o Torino FC em 1906.

O jogo de estreia foi contra o tradicional Pro Vercelli, que era café-com-leite desde aquela época, e por isso perdeu para o Torino por 2x1.

Primeira guerra mundial[editar]

O Torino até hoje se diz campeão italiano de 1915, pois faltava uma rodada e apenas 2 pontos para alcançar o líder Genoa, mas o campeonato foi interrompido devido à deflagração da Primeira Guerra Mundial e pelo fato do governo italiano ter enviado os jogadores da Torino para combater na guerra, afinal eles já desde aquela época tinham extrema má fama como pedreiros carniceiros e talvez pudesse dar carrinhos e quebrar as canelas de ingleses, franceses e demais rivais. Os jogadores do Torino morreram todos fuzilados.

Após o fim da guerra, a partir de 1920, o Torino tornou-se um dos primeiros times da história da Europa a reconhecer a inferioridade da qualidade dos jogadores de seu continente, e passou a contratar dezenas de jogadores sul-americanos, especialmente argentinos, um modelo que hoje em dia é copiado por quase todos clubes europeus, mas que na época era uma grande novidade, aqueles seres de um continente paupérrimo, que jogavam futebol como se quebrar a perna dos adversários fosse o objetivo.

A fraude de 1927[editar]

Atualmente a Juventus é o time italiano que tem a fama de bandido comprador de resultados e inclusive tem o uniforme de presidiário, mas o que poucos sabem é que o Torino foi o precursor de toda malandragem que faz parte inerentemente aos campeonatos italianos, quando em 1927 subornou diversos times rivais para facilitarem, e assim conquistasse o primeiro título italiano que estava já demorando a vir. Mas embora a prática de corrupção no futebol italiano seja totalmente aceita, os diretores pedem discrição, algo que a Torino não fez, ao enviar malas pretas e brancas pelos correios, e por isso o primeiro título do clube foi revogado.

Primeiro scudetto[editar]

O primeiro título italiano da Torino que foi validado veio logo no ano seguinte ao escândalo de 1927, quando foi o campeão italiano de 1928. Dessa vez os diretores e mafiosos da Torino fizeram o máximo para serem o mais discreto possíveis, e mesmo que vitórias por 11x0 sobre Brescia e Napoli e uma vitória por 14x0 sobre o Reggiana pudessem levantar suspeitas, o Torino pode ganhar seu primeiro campeonato roubado e comprado, pois ninguém descobriu os subornos dessa vez.

Segunda Guerra Mundial[editar]

Em 1937 o nome da equipe mudou para Associazione Calcio Torino, pois o governo de Mussolini havia faltado às aulas de inglês e não tolerava nomes estrangeiros. Nesta época teve participações médias e alguns vices.

Grande Torino[editar]

A época de ouro da Torino foi entre os anos de 1942 a 1949, quando a Torino tornou-se o único penta-campeão seguido do mundo que não teve títulos seguidos (já que o Spezia ganhou o torneio de 1944). Dos 20 jogadores da Seleção Italiana de Futebol, 19 eram da Torino, graças à influência da máfia que desejavam que a Itália tivesse 1 time só, e assim o time foi com facilidade campeão disparado de 1943, 1946, 1947, 1948 e 1949.

Desastre aéreo de 1949[editar]

A Torino caminhava já para o seu sexto título consecutivo de cinco títulos realmente consecutivos, quando voltava de Portugal de um amistoso que nem deveria ter acontecido contra SL Benfica o avião do time bateu na Basílica de Superga e matou o time inteiro. Tudo um bom orquestrado plano da fascista Máfia Italiana que queria ver a Lazio ser campeã, e para tal contrataram o Bob Marley para fazer um show em Turim, evento este que ergueu uma enorme névoa em torno da cidade e do aeroporto, reduzindo a visibilidade do piloto do avião, que então bateu na Basílica de Superga, sacramentando a tragédia e a extinção da Torino e da seleção italiana, que jamais voltaram a ser os mesmos.

Do rebaixamento ao título[editar]

Como o time inteiro do Torino morreu em 1949 inclusive os diretores mafiosos, e não se acha uma nova seleção italiana assim para contratar sem ter costas quentes como os antigos diretores, o Torino a partir de 1950 passou a ser um time médio para ruim, e nunca mais seria alguma coisa. A decadência foi tanta que de imbatível time em 1949, em 1959 estava rebaixando para a Série B só para conseguir ser campeão de alguma coisa e conquistar o título da B de 1960.

Houveram tentativas de reerguer o clube, mas sempre que um grande craque chegava na Torino, como Gigi Meroni, artilheiro da seleção, todos eram misteriosamente mortos, como Gigi que foi em 1967 atropelado por um misterioso carro preto.

O time até viria a ganhar o título italiano heroico de 1975-76, mas por mero acaso mesmo, pois nunca mais ganharia porra nenhuma, virando aos poucos apenas história do que um dia já foi.

Décadas de 80 e 90[editar]

A partir dos anos 80 e ao longo de toda década de 90, a Torino se estabeleceria como um timeco mediano da Itália que ninguém dava moral mais. As vezes rebaixava, depois subia. As vezes jogava a Liga Europa, mas só pra participar mesmo, nunca indo longe. As vezes contratando um ou outro jogador bom, inclusive Júnior, mas sendo no total um timeco sem chances alguma de almejar algo maior, tornando-se um museu vivo do que já tinha sido antes de 1949, enquanto gradativamente Turim inteira passava a torcer para a Juventus, por ser o único time local que era campeão toda hora.

Decadência e bancarrota[editar]

No final da temporada de 1999-2000 o Torino estava outra vez rebaixado para a segunda divisão, só que dessa vez nem conseguiu voltar direito, e quando voltava não passava do meio da tabela. Cansados de serem sacos de pancada, e após 56 anos de acumulados fracassos, não há empresa ou time de futebol que resista a tantos anos sem ganhar porra nenhuma (exceto a Ponte Preta) então para comemorar o centenário do clube, a diretoria anunciou a falência do clube e a desistência de tudo, fechando as portas da entidade.

Retorno[editar]

Embora o Torino fosse um time porcaria que ninguém ligasse, o seu fechamento chocou as pessoas de Turim, pois agora o Juventus não tinha mais o seu freguês de estimação. Uma grande mobilização foi feita, e esmolas foram entregues a pessoas interessadas, que reabriram o Torino FC em 2007. A ideia não era melhorar o time, mas apenas mantê-lo existindo, para a Juventus ter a quem golear sem precisar viajar para outra cidade, tanto que em 2011 a Torino seria apenas vice da segunda divisão. E na primeira divisão voltaria a ser apenas mero coadjuvante.

Títulos[editar]

  • Primeiro time europeu a contratar sul-americanos (1920)
  • Título roubado na cara dura: 1 vez (1927)
  • Campeonato Italiano: 7 vezes (1927–28, 1942–43, 1945–46, 1946–47, 1947–48, 1948–49 e 1975–76)
  • Taça Queda de Avião: 1 vez