Totem

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Lego 3D ouro.jpg Este artigo é relacionado às artes.

Não convém perguntar onde estão os braços daquela escultura.

Totem é uma grande obra de arte que mostra que várias cabeças pensam melhor que uma, exatamente os que índios queriam dizer quando as esculpiam. Alguns saudosistas tentam reproduzir da melhor forma possível o que antes era uma obra inigualável, quase comparável ao mafagafo, mas ninguém liga muito pra primores dessa natureza.

Empilhamento macabro[editar]

Quanto mais feias reais as cabeças, melhor o totem.

Nunca se provou que, em outros tempos se empilhavam cabeças de gente viva, corrigindo, gente que esteve viva quando tinha a cabeça. A alegria do guerreiro era empilhar cabeças de inimigos que ele havia dado a gentileza de se encontrar com o deus trovão ou o deus nuvem ou o deus moitinha silvestre. Isso, segundo quem diz ser verdade, mas nunca provando, era sinal além de valentia, também de precisão ao empilhar as cabeças. Como os índios acabaram perdendo as guerras, apenas porque não tinham tantos canhões disponíveis, coisa que os inimigos cara pálidas já tinham a mais tempo do que se registra.

Para empilhar cabeças, antes é preciso pegá-las, mas claro que você não sairá matando por aí, então pode ir a um necrotério e, pedir algumas amostras que não estejam usando. Dessa forma você pode provar que faz o mesmo que alguns daqueles índios bobinhos das américas de cima(oras, no mapa elas ficam em cima, então não discuta isso), tendo as cabeças, que devem ser ao menos umas seis pra começar, pois quanto maior o totem, melhor.

Agora olhe bem para elas, já que não conhece os rituais indígenas, então siga as coisas que conhece. Pode dar um beijinho em cada uma delas, mas não desrespeite além disso, pois se sabe que há louco para tudo, mas pode-se profanar o ritual. Ritual lembrando, só pode ser coisa maligna, não importando o quanto os donos das cabeças fossem maus e psicopatas, isso é irrelevante, pois o que interessa para quem vem ser saudado no ritual, em geral entidades maléficas, é o sangue... mesmo coaguladinho.

Para começar o treino.

Os cabelos eram bem importantes, podiam ajudar no empilhamento, por outro lado não seria bom que cobrissem a cara, pois tiraria toda a graça, parecendo uma pilha de Chewbaccas. Barba estilo Jisuis, mesma coisa, poderia cobrir o de baixo, mas poderia ajudar na firmeza, desde que se soubesse tramar(não tramar nesse sentido que você tão bem conhece), armar tramas bem feitas de cabelos, oras todo índio sabe, do contrário não é índio que se preze, pois as cabeças carecas não tinham o problema de excesso de cabelos, mas também não tinham a ajuda na amarração.

Mais aguado[editar]

Base perfeita para o totem.

Empilhando as cabeças direitinho e fazendo elas durarem sem feder (pois ainda é necessário saber mumificar), as cabeças são suas, lhe pertencem, o que não tem a menor graça, pois quem levou a alma foi sei lá quem, então pra que você, que nem é carniceiro, deve aproveitar cabeças? Oras, lembre-se de provar sua valentia. Enfeite-as da forma como quiser, colocando coisas coloridas nos beiços e orelhas: Agora olhe bem(imagine ao menos), o quanto isso ficou lindo e aprazível.

Se assim mesmo, preferir a forma posterior, mais suquinho de morango, então faça escultura em madeira. Dessa forma você pode criar feições e, não as tem prontas, a vantagem é que não precisa empilhar nada, nem se preocupar de virem atrás de você acusando de ladrão de necrotério ou de cemitério coisas assim. Pegue algum instrumento e comece entalhar a madeira, mas cuidado com essas mãos de fada pois sabe mamãe e vovó o quanto têm que beijar os dodóis, por isso aprenda a ser cuidadoso. Faça umas caras empilhadas, pinte enfeite e seu totem estará pronto. Alguns preferem as cabeças verdadeiras, preferencialmente de gente, mas acho que esculpir, até em rochas dá menos problemas.