Três Ranchos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Não conheço Cquote2.svg
qualquer pessoa do mundo sobre município de Três Ranchos

Três Ranchos é uma corrutela desconhecida, que na dúvida entre Minas Gerais e Goiás acabou por azar em Goiás por estar do lado de cá do rio. Algumas fontes como IBGE e wikipédia afirmam que se trata de um pequeno município goiano, mas há controvérsias, nenhuma cidade que se preze se chamaria toscamente de "Três Ranchos", nomes idiotas desses normalmente são de distritos.

História[editar]

O excelente estado de conservação da estação ferroviária da cidade.

Os primeiros registros de habitação desse fim de mundo são de desbravadores do século XIX que chegaram ali sabe-se lá como e perdidos não tiveram opção senão se contentar em acampar na beira do rio e passar a viver da pesca de pirarucu e caça de antas. O nome da cidade vem dos antigos três casebres onde os roceiros perdidos no interior do Brasil se hospedavam. Como o nome Três Casebres era demasiado tosco, decidiram adotar o nome Três Ranchos que "acharam" que ficaria mais bonitinho, mas é a mesma bosta.

Quando construíram a Usina Hidrelétrica de Emborcação em 1983 a idade quase desapareceu quando a represa alagou tudo pela região. Infelizmente o município de Três Ranchos perdurou, mesmo que sua paisagem tenha sido transformada num pântano praticamente.

Devido à sua natureza completamente isolada da civilização, Três Ranchos se desenvolveu à parte do mundo, ao longo do tempo lá se inventou a roda, depois o fogo foi descoberto, virou município (apenas nos papéis oficiais) e assim foi se desenvolvendo. Atualmente chegaram na cidade a mais moderna tecnologia do rádio e telégrafo.

Geografia[editar]

Obviamente nunca criaram uma ponte ara ligar Três Ranchos a Minas Gerais. Mas uma balsa opera nas margens da cidade para levar uns carros para a civilização no lado mineiro.

Localizado às margens do Rio Paranaíba sobre um verdadeiro brejo, não há pontes ligando ao Estado do Triângulo Mineiro, dificultando assim o acesso do povo local à civilização.

Economia[editar]

Em Três Ranchos só a existe a chamada economia de subsistência, onde o povo só planta e produz o que consome para subsistir. Há uma tentativa de usar o setor do turismo, mas é uma cidade tão sem graça que só gosta dali uns catalanos que por estarem longe demais do litoral precisam se contentar com as "praias" de Três Ranchos.

Infraestrutura[editar]

Transportes[editar]

O moderno e movimentado aeroporto municipal de Três Ranchos.

Para chegar em Três Ranchos há diversas opções, o principal meio é pegar um trem em Pires do Rio que faça a linha Pires do Rio-Inferno e após chegar ao Inferno apenas ande de jumento uns 10 quilômetros para o lado que você sentir mais calor. Você também pode pegar um carro-de-boi em Catalão e vagar em direção ao nada. Há ainda a opção de pegar uma balsa no Rio Araguaia e pedir pro barqueiro te levar pro Rio Aqueronte. Além de tudo isso ainda há, pasme, um aeroporto na cidade! Muito embora seja possível pousar ali apenas uns teco-tecos e monomotores agrícolas feitos de papelão que são as aeronaves disponíveis para os fazendeiros da cidade.

A GO-330 que teoricamente passa em frente a Três Ranchos é uma estrada mítica que acredita-se liga o Acre ao Uruguai. É reconhecida como a única rodovia estadual do mundo que tem um beco, porque na hora que chega no rio não existe ponte. Um município que não tem dinheiro para comprar sequer um picolé nunca terá para construir uma ponte, e o governo estadual vai se importar com Três Ranchos só no Dia de São Nunca mesmo.