Transnístria

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
●Приднестрóвская Молдáвская Респýблика
●República Cosplay Difícil de Pronunciar do Transdniestre
●Transdnístria

Bandeira da Transnistria.png Brasao da Transnistria.png
Bandeira Brasão
Lema: Não somos Moldávia
Hino: Red Army Strong
Travel-To-Transnistria-Guide-map.jpg
Capital Tiraspol
Maior cidade Moscou
Língua Moldavo de jure, russo de fato
Tipo de Governo Neo-Stalinismo
Quem manda Lênin
Heróis Nacionais Numa Numa
Independência quer voltar a ser dependente da União Soviética
Moeda Sangue das virgens
Religião Niilismo
População Entediada
Área um pedaço de gordura na Moldávia (% de água)
Analfabetismo 97%
PIB per Capita USD/hab.
IDH 0.
Fuso Horário Acre's Zone Time (AZT)
Clima de briga
Site do Governo não chegou internet na Transnístria ainda


Transnístria (do moldavo Република Молдовеняскэ Нистрянэ, mas também pode ser do russo Приднестрóвская Молдáвская Респýблика ou do ucraniano Придністровська Молдавська Республіка devido à total falta de identidade própria desse lugar) é mais uma dessas repúblicas pós-comunistas porra-loucas que enchem o saco da ONU todo ano querendo independência. Como se não bastasse a Ossétia do Sul e Artsakh aporrinhando o ovo da diplomacia internacional, a Transnístria vem mostrar que até um curral qualquer na beirada da Moldávia pode se achar um país.

História[editar]

Carros parados numa blitz transnistriana, em mais uma das rotineiras simulações de apocalipse zumbi do país.

O país, que tem uma seção de 4K de texto na Wikipédia só pra falar dos seus mais de 8000 nomes (acredite se quiser), nasceu nos séculos X ou XI quando um pastor de ovelhas ucraniano qualquer atravessou o rio Dniestre em nome do glorioso Rus de Kiev, afim de anexar aquelas bandas para que seus bucólicos pastos fossem aproveitados pra criação de gado já que não havia nada a aproveitar ali. Subordinado a Kiev, logo trataram de instituir ali o alfabeto cirílico para que os habitantes locais, se comunicando por um garrancho impossível de entender, continuassem burros e subservientes sem ter como pedir arrego pra vizinha Romênia.

No século XIII vieram as invasões mongóis (sempre eles) que trouxeram o fim do glorioso Rus Kiev, e a Transnístria foi passando de mão em mão até que essa bolinação terminou trezentos anos depois com a incorporação ao não menos pobre Império Russo.

Como desgraça pouca é bobagem, em 1917 vem a Revolução Russa e com isso titio Lênin chega arrasador abrindo mais uma frente para a expansão maligna do comunismo na Europa. Absolutamente nada aconteceu ali pelas próximas décadas, até chegar a Segunda Guerra Mundial que mais uma vez viu a Transnístria passar por um eterno troca-troca entre países e no final das contas simplesmente inventaram uma tal de RSS da Moldávia ali, dando a Transnístria de presente pra eles não ficarem tão sem território.

Fast forward pra 1990, onde em meio à onda de rebeldia das ex-repúblicas soviéticas, a Moldávia tem a ideia brilhante de banir o russo da Transnístria, que se vendo sem poder manter o fluxo de vodkas e AK-47s que alimentavam o território transnístrio, prontamente declara independência. Gerando assim a guerra civil mais ridícula do mundo, que terminou alguns meses depois com a dominação russa e o estabelecimento de um país semi-semi-semi-independente que finge ser soberano e o resto do mundo finge que leva a sério.

Geografia[editar]

Espremida num eterno jogo de vaca parida entre a Moldávia e a Ucrânia, o mapa da Transnístria lembra a gordura da picanha, maior motivo de orgulho nacional que faz os transnístrios se acharem gostosos demais pra se submeterem aos países vizinhos.

Porém, a raridade de artigos como comida que caracteriza o Leste Europeu faz as potências locais terem fome pela Transnístria. Os moldavos querem que ela pertença à Ucrânia, e os ucranianos querem que ela pertença à Moldávia.

Cultura[editar]

País sem nenhuma cultura própria dividido entre três idiomas, a Transnístria continua usando os símbolos demodê da União Soviética numa tentativa risível de dar o dedo pros opressores reaças da Moldávia que escolheram porcamente debandar do bolchevismo e deixar o país mais pobre ainda sem a mesada russa todo mês.

Claro que ninguém liga e os moldavos continuam dominando a bagaça, afinal pois se todos os países similares podem se gabar de ter territórios à sua escolha, a Moldávia também quer essa honra (kkkkkkkk), por mais que seja uma beiradinha de picanha num rio minoritário do leste europeu que ninguém se importa.

Bandeira da União Europeia.png
Europa
v d e h

Países: Albânia | Alemanha | Andorra | Armênia | Áustria | Azerbaijão | Bélgica | Bielorrússia | Bósnia e Herzegovina | Bulgária | Cazaquistão | Chipre | Croácia | Dinamarca | Eslováquia | Eslovênia | Espanha | Estônia | Finlândia | França | Geórgia | Grécia | Hungria | Irlanda | Islândia | Itália | Letônia | Liechtenstein | Lituânia | Luxemburgo | Macedônia | Malta | Moldávia | Mônaco | Montenegro | Noruega | Países Baixos | Polônia | Portugal | Reino Unido (Escócia - Inglaterra - Irlanda do Norte - País de Gales) | República Tcheca | Romênia | Rússia | San Marino | Sérvia | Suécia | Suíça | Turquia | Ucrânia | Vaticano

Territórios: Abecásia | Açores | Akrotiri e Dhekelia | Åland | Chipre do Norte | Crimeia | Gibraltar | Ilha da Madeira | Ilha de Man | Ilhas Canárias | Ilhas do Canal | Ilhas Faroé | Jan Mayen | Kosovo | Ossétia do Sul | País Basco | República de Artsakh | Svalbard | Transnístria