Travis Pastrana

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
McdonaldsAmerica.jpg In Trump We Tru$t!

Este artigo é gringo! Não tente usar armas químicas de destruição em massa ou jogar aviões contra ele, Tio Sam agradece.


Bruce-Willis-Photograph-C11796804.jpeg ESTE ARTIGO É SOBRE UM SER INDESTRUTÍVEL!
Não importa o quanto você bata, torture, tente dar tiros, jogue-o(a) de cima de um prédio ou o(a) dê de comida pra os tubarões, ele(a) não vai ser destruído(a) e vai voltar pra pegar você!
Tentar nocauteá-lo(a) é uma piada!
Silvester Stallone - Rambo.jpg
Travis Pastrana
Travis Pastrana
Pensando na próxima maluquice após ler este artigo
Nascimento 8 de outubro de 1983
Maryland, Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Nacionalidade Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Ocupação Piloto suicida
60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Travis Pastrana.

Cquote1.png Você quis dizer: Maluco Cquote2.png
Google sobre Travis Pastrana
Cquote1.png Você quis dizer: Bear Grylls dos esportes radicais Cquote2.png
Google sobre Travis Pastrana
Cquote1.png Esse, nem eu... Cquote2.png
Dr. Eiras sobre Travis Pastrana
Cquote1.png Esse cara é maluco Cquote2.png
Você sobre Travis Pastrana
Cquote1.png O legítimo Maluco Beleza! Cquote2.png
Raul Seixas sobre Travis Pastrana
Cquote1.png Tô com medo... Cquote2.png
Jimmie Johnson sobre Travis Pastrana na NASCAR
Cquote1.png Eu também! Cquote2.png
Tony Stewart sobre Travis Pastrana na NASCAR
Cquote1.png Vive me passando a perna... Cquote2.png
Morte sobre Travis Pastrana
Cquote1.png Sing, sing, sing, sing! Cquote2.png
Travis sobre Travis Pastrana
Cquote1.png Dei para esse filho da puta a minha imortalidade! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Travis Pastrana
Cquote1.png Tomara que ele não venha para cá! Cquote2.png
Sébastien Loeb sobre Travis Pastrana e a WRC

Quando começou a colecionar ouros nos X-Games com 4 rodas, deixando os oponentes com uma das rodas na mão

TRAVIS PASTRANA é um yankee maluco que descobriu a receita da imortalidade, querendo poder praticar suas maluquices sem medo da morte.

Nascido em Annapolis, Maryland, em 8 de outubro de 1983, é considerado o “Bear Grylls dos esportes radicais”, por mostrar como sobreviver em condições extremas em corridas de Rally e de MotoCross, sempre mostrando manobras que dão a adrenalina suficiente para viver por mais 3 dias. Por isso, está negociando com o Discovery Channel a criação do programa “Man VS. Rides” (originalidade...).

Por ser de Annapolis, criou uma paixão pelo Anapolina.

Frequentemente confundido com a banda Travis, normalmente por posers que não sabem que “Travis” é o nome da banda, não do cantor, aquele que fez sucesso cantando uma música mandando os outros cantarem como soundtrack de guerra de comida, mas, para diferenciar, ele usa o argumento de que ele é maluco, ao contrário do cantor dos integrantes da banda, e que isso é o nome da banda, não de um cantor. Também é confundido com Travis Barker, da banda punk (emo segundo haters) Blink-182, mas, por dessa vez ser uma pessoa, não uma banda, e se tratando de yankees, tá tudo em casa...

Tem como seus principais hobbies quase se matar e colecionar medalhas de ouro dos X-Games, onde já tem 7. E contando. Do jeito que ele é, essa coleção pode terminar a qualquer momento.

A Infância:[editar]

Caíndo? Que nada? Isso faz parte da manobra!

Seu tio era um jogador de futebol americano universitário, ou seja, a farrinha com as cheerleadres estava garantida sempre. Numa dessas, em 1983, seu tio apresenta ao seu pai uma dessas cheerleaders e, 9 meses depois, dá a luz a um menininho. Como eles achavam que, 16 anos depois, surgiria uma banda muito boa com esse nome lá na Escócia, que eles davam como certa sua existência.

Na hora do parto, a mãe dele se sente muito estranha e se vê na obrigação de fazer uma cesariana, com que, anos depois, se concretizasse o estereótipo de que quem nasce com cesariana não bate muito bem da cabeça. Após o trabalho, Travis dá um mortal após sair da barriga. Como não gostou muito do salto, já que bateu de cabeça, chorou, assim, os médicos não precisaram dar um tapa na bunda dele por causa de algo que ele não fez.

Já no berçário, enquanto os bebês dormiam, ele montou uma rampa de MotoCross usando alguns desses berços, e, com um velocípede, já fazia suas primeiras manobras, chamando a atenção de todas as enfermeiras.

Após isso, ele cresceu na vida. Com 4 anos, já fazia suas manobras com uma bicicleta com rodinhas laterais. No ano seguinte, as tirou e já estava preocupando a todos, achando que ele estava se matando. A professora no colégio estava reclamando demais do excesso de adrenalina dele, já que isso dificulta muito a vida deles como profissionais.

Com 10 anos, rouba a moto do vizinho. Era a hora de crescer na vida mais um pouco. Mas, teve suas asas cortadas quando este vizinho se pôs no meio da pista de skate onde ele fazia as manobras, fazendo com que ele batesse de cabeça, tendo uma concussão, tendo que atrasar sua carreira. O vizinho recuperou a moto e foi expulso do bairro onde morava, por ter quase matado ele.

Após um ano em repouso e com lapsos de memória, seu pai lhe dá uma moto nova para ele tentar reiniciar sua carreira do zero, sendo que ele nem lembrava que ela um doido varrido sobre rodas.

Com o tempo, ele recuperou a memória, até que, um dia, seu pai resolve montar uma equipe de motociclismo e contrata seu filho, no esquema do “paitrocínio”. Bem, ele conseguiu chegar lá...

A Carreira:[editar]

Motociclismo:[editar]

Um raro momento de queda. Caiu de 15 metros e quebrou as unhas dos dedos do pé
Cquote1.png Pra que moto? Eu posso saltar sem ela! Cquote2.png

Resolve se inscrever nos X-Games, aquela olimpíada radical financiada pela ESPN com alguns boyzinhos da Califórnia.

Como começou a carreira em definitivo simultaneamente ao Travis, suas apresentações eram sempre ao som da banda, se tornando uma boa jogada de marketing para os dois lados, já que, com a vitória de um, o outro saía ganhando. Assim, conseguiu vencer sua 1ª competição, já que seria vergonhoso se ele não vencesse, já que a vida dele sendo o que foi, e ainda com a banda homônima liderando as paradas do outro lado da poça. A seleção musical dele era um tanto controversa, por se tratar de uma banda intrusa, que não fazia parte daquele submundo deles, mas, como ele ganhou, ficou conhecido na Grã-Bretanha, enquanto as músicas da banda lideravam as paradas por lá.

Depois de ganhar as olimpíadas radicais, resolve ir para um cameponato comum e não financiado pela ESPN, onde, por ser um campeonato de tiro longo, não agüentou a pressão e não foi campeão (o cara ainda tá na puberdade e acha que vai conseguir sair ganhando tudo).

Nas férias, enquanto saltava de moto no Grand Canyon, pensou em novas ferramentas para continuar com a coleção de medalhas que ele viria a receber no futuro, então, enquanto ele quase se matava, viu uns skatistas rampas no ponto turístico e fazendo Backflips, e pensou como isso ficaria numa moto. Experimentou ali mesmo. Após cair umas 20 vezes e quebrar a unha do mindinho, ele conseguiu realizar a manobra. Voltou para a cidade e tentou fazê-la em rampas de pessoas normais, entendendo como aquilo funcionava.

Mais uma vez, a ESPN interdita a Califórnia para os X-Games, que, por ter um “X” no nome, já tinha interessado Eike Batista, que passou a patrocinar o evento, ou seja, colocando mais uns zeros no valor do dinheiro de premiação. Com essa novidade, Travis já estava pensando em vencer e ganhar dinheiro suficientemente para nunca mais ter que trabalhar, mesmo que ele ainda quisesse continuar trabalhando. Assim, com a velha nova manobra, ele ganha de novo o X-Games, e ainda fala que um dia irá conseguir mandar um 900° com uma moto. Tony Hawk está rindo até hoje disso.

Com a 2ª medalha de ouro no peito, ele resolve ir para a AMA MotoCross, que estava querendo desbancar a ODEIA MotoCross, que estava ascendente naquela época, onde foi um figurante de luxo. Ele não sabia andar 50m sem fazer uma manobra, o que prejudicou muito ele, que sempre parava para fazer alguma.

No decorrer da temporada, enquanto tentava pular da Serra do Vulcão, em Nova Iguaçu até o Corcovado, tentou emendar um Backflip no outro, para garantir mais uma medalha de ouro e um novo passo rumo a chegar a galvãobuenística marca do Tetracampeonato, assim, tirando a graça dos X-Games, após ganhar nos próximos anos, e ficar chateado com o fato de o Galvão Bueno não estar presente para mandar seu lendário Cquote1.png É TETRA! É TETRA! Cquote2.png.

Após ser acusado de tirar a graça dos X-Games, resolve errar umas manobras de propósito, se aproveitando da sua imortalidade, quando caiu de 15m de distância. E ficou com a prata. O vencedor daquela edição cuida da sua medalha de ouro como um filho.

Depois resolve colocar mais 2 rodas e umas toneladas a mais na sua vida, indo para o Rally, mas, de vez em quando, ainda fazia manobras em, picos mundo afora.

Rally:[editar]

Ele já comia bem nos tempos de moto, mas, no Rally que ele realmente começou a comer bem...

Ainda não entendendo como funcionava, acidentalmente, dá um Backflip com seu Subaru Impreza, assim, capotando umas 7 vezes e com ele apenas com aquela sensação de bater o mindinho em um móvel.

Após entender a diferença, se inscreveu no campeonato americano de Rally, não no Mundial, pois tinha medo do Loeb ganhando tudo por lá.

No 1º ano, sentiu muito o peso de não poder fazer manobras com um carro, e, preocupado em dar show, fica em 4º lugar.

Conseguindo fazer umas adaptações no seu carro, ele começa a vencer as corridas do campeonato, e aí o jogo se invertia: era a vez de Loeb ficar com o cu na mão, tendo pesadelos com ele na WRC.

Resolve voltar ao X-Games, com direito aos motociclistas fazendo petição para que ele não voltasse, então, querendo quebrar a cara deles, ele resolve brincar de Rally. Colin McRae, o Michael Schumacher do Rally, resolve competir também “querendo colocá-lo em seu lugar”. Resutado: Travis venceu e desquilibrou McRae, que morreu anos depois vítima desse desequilíbrio.

Depois de ganhar 3 campeonatos, novamente foi acusado de acabar com a graça de uma competição, assim, largando sua 4ª temporada na metade, após vencer todas as corridas. Seu objetivo era ver se eles conseguiriam vencê-lo, mesmo não correndo na 2ª metade, dar um tempo para tentar fazer mais manobras entre montes e, em outras palavras, tentando dar uma graça a competição. Ele terminou esse campeonato em 3º, naquela que foi considerada “a maior temporada de todos os tempos”, ou seja, ele era um câncer mesmo.

Automobilismo em Geral:[editar]

Após vencer tudo o que viu pela frente, resolveu brincar de caipira racista, fazendo umas corridas na NASCAR e ainda correr as 24 Horas de Daytona, já que queria dar um tempo em esportes radicais e ir para um esporte que só é perigoso mesmo. Queria dar uma acalmada na sua vida, para desespero de seus fãs mais extremistas. Se você ver um carro da NASCAR ou um Daytona Prototype dando um Backflip em uma corrida, pode ter certeza: é ele...