Trem

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
Pao-de-Queijo-1.jpg
Muinas!MINASNOVO.JPG

Ô, Minas Gerais...

Este artigo foi inscrito purum minerim e se elinda num tá completo é por causo de que o disgramado deve de tá comenum pão de quejo ou a tua mãe purque minêro come quéto!

Cquote1.png Minas Gerais, quem te viu, não te esquece jamais... Cquote2.png

É proibido transar sobre a linha férrea. Pena: Reclusão de dois a cinco anos e multa.

Cquote1.png Um Trem, é uma porrada de ferro, com uma caralhada de parafuso, desenvolve uma velocidade fila-da-puta, e, se te pegar, cê tá fudido... Cquote2.png
Instrutor no treinamento para admissão na CPTM
Cquote1.png Oia se tem um trem no meu oio.... Cquote2.png
mineiro trocando uma prosa com o cumpadre sobre Trem
Cquote1.png Aquela porra de ferro com gente para caralho dentro? Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Trem
Cquote1.png Quando o trem chega em Nilópolis ele ta cheio prá caralho Cquote2.png
Nós na Fita sobre Trem
Cquote1.png Meu pai ja fez um Cquote2.png
franky sobre Trem

Os trens são vagões ligados entre si, puxados pela ou pelas locomotivas. Se movimentam sobre trilhos e transportam pessoas ou carga de um lado para o outro. No estado de Minas Gerais um trem significa tudo, incluindo o próprio trem. Os trens ligaram populações e regiões isoladas e, ao redor das estações ferroviárias, nasceram, cresceram, se reproduziram e morreram vilas e cidades.

Tabela de conteúdo

[editar] História do trem

A primeira maria-fumaça do mundo. (ou não)

Antes dos trens, o transporte era feito através de burros e mulas. As primeiras locomotivas apareceram no século XIX, eram à vapor e receberam o apelido de "Maria-Fumaça" (Não me pergunte o porque). Em 1840, o médico inglês Alester Crowley (sogro do escritor José de Alencar e primo-irmão do almirante Thomas Cochrane) obtém concessão para a construção de uma ferrovia ligando Rio de Janeiro e São Paulo sendo esse o primeiro esforço para a implantação do transporte ferroviário no Brasil. Só que o mané era um pé rapado e não tinha dinheiro nem pra remendar as meias e seus planos morreram no papel...

[editar] Era Barão de Mauá

A força de destruição que um trem faz com um carro

Cinco anos depois, o empresário Irineu Evangelista do Capeta faz uma viagem à Inglaterra onde conheceu fábricas, fundições de ferro e o mundo dos empreendimentos capitalistas. Convencido de que o Brasil deveria trilhar o caminho da industrialização, decidiu tornar-se um industrial, e em pouco tempo ganhou fama se estabelecendo como o maior empresário do país. É contratado pela província do Rio de Janeiro e cria a Imperial Companhia Capeta SA com um com capital de 2 mil contos de réis, divididos em 10 parcelas de Duzentos mil réis sem juros. Planejou então a construção de uma estrada de ferro que ligasse a Baía de Guanabara e Petrópolis, e, no mês seguinte, o governo imperial lhe concedeu os direito de construção. As obras foram iniciadas alguns dias depois com a presença do imperador Dom Pedro II. Um ano depois foi efetuado o primeiro teste com uma locomotiva no país. A Locomotiva foi batizada de Baronesa do Capeta (em homenagem à mulher de Irineu Capeta), fez a viagem inaugural da ferrovia no dia 30 de Abril de 1854, percorrendo a distância de 14,5 km entre a praia de Estrela e Fragoso. Presente na viagem, o imperador Dom Pedro II concedeu à Irineu Evangelista do Capeta o título de Barão de Mauá. O tranporte regular de passageiros se iniciou no dia seguinte e se formou uma fila que ia até o pé do Corcovado.

[editar] A diferença entre Locomotiva e o Vagão

Locomotiva é o veículo que pucha o trem. Existem muitas razões para apenas um ou dois vagões puxarem o resto do trem:

  • Manutenção – é mais fácil procurar o defeito só no primeiro vagão do que procurar um por um até o último...
  • Segurança – se tiver que explodir, que exploda só o primeiro...
  • Eficiência – em caso de falha mecânica, trocar só o primeiro vagão é mais simples que trocar o trem inteiro;

Vagão é a parte do trem que não é uma locomotiva. Há vários tipos de Vagão: o fechado, o gôndola, o tanque, o plataforma, o prancha de surf, o caminhão de lixeiro, o vazio, o cheio e o pela metade.

[editar] Trens a vapor X Diesel X Elétricos X Trem Bala

Superlotação nos trens.
Um trem na estação.

Muita tecnologia mudou em anos, esses trens são cada mais seguros em caso de descarrilhamento,batida em um carro,brecada brusca de emergência,desde do anos de 1950 surgiram os a diesel e elétricos. Mais tarde em 1980/90 os Japonêses Nerds criaram o trem Bala, que chega a 415 km/h. Os trilhos devem que ser a linha reta com curvas abertas, mas o vapor está agora no museu, sobrando os que são à Diesel, elétricos e os trens-bala.

[editar] Vias-férreas

A maioria das linhas-férreas é formada por dois trilhos paralelos conhecidas como ferrovias ou apenas como linha-do-trem. A distância entre os trilhos é denominada bitola. Os responsáveis pelo cálculo da bitola são conhecidos como matemáticos bitolados. As bitolas mais comuns no Brasil são a bitola métrica, a bitola larga, a bitola internacional, a bitola psico-traumatizada, a bitola esquizofrênica, a bitola por uso de drogas e e a bitola de nascença. As rodas dos trens se encaixam nos trilhos e se por ventura escaparem e você estiver lá dentro, se fodeu. Tal ocorrência é conhecida como descarrilamento, não é desencarrilhamento, porra! O percurso das ferrovias é pontuado por estações ou terminais, dispostos em locais estratégicos (ou não). bafe os homem iam corremdo de mim ai que absurtooo nossa

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas