Tuco Salamanca

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Spoiler5.JPG ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que Arya decide navegar para as partes desconhecidas do mundo, ou que Zeltrax era na verdade o melhor amigo de Tommy Oliver.

Spoiler3.jpg
PoR-Death.gif Tuco Salamanca já morreu!

Foi beber água junto aos peixes!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Tuco Salamanca foi um traficante psicótico que ainda chegou a durar por 2 temporadas em Breaking Bad e 1 em um spin-off da série. No tempo em que estava vivo, ainda chegou a distribuir os bagulhos de Walter White (vulgo Heisenberg) e seu estagiário.

Personalidade[editar]

Completamente despirocado do juízo, Tuco é o clássico exemplo do machão que acha que sempre pode fazer o que dá na telha. Mesmo sendo relativamente leal ao cartel do qual era um mero peão, Tuco era um sujeito de pavio mais curto que pau de japonês, sendo bastante carinhoso com quem não ia com a cara. A única pessoa com quem ele realmente se importava era seu tio, um velho cadeirante que, além de não falar porra nenhuma, vive tocando uma campainha chata pra porra e se caga em momentos inapropriados.

Primeiras negociações[editar]

Tuco e sua faca de passar manteiga, mostrando quem transa manda nessa porra.

Tuco só veio a se tornar relevante na série depois que um outro traficante (um tal de Krazy 8) sumiu do mapa, por ter sido banido da vida. Jesse o conhece através de alguns contatos e acha que pode construir uma linda amizade. Tuco gosta da droga branquinha que ele trouxe, mas ainda assim Jesse acaba apanhando na bunda com o próprio saco de metanfetamina, saindo do prédio com uma mão na frente e outra atrás. Walter fica sabendo disso e vai enfrentar o bichão. É aí que acontece uma cena foda, onde ele joga uma biribinha atômica no chão e o escritório inteiro explode. Todo mundo achava que ele tava levando mais droga, quando na verdade era um saco cheio desses bagulhos. Tuco Salamanca "se manca", fica com o rabo entre as pernas e resolve fechar negócio, mas ainda na incerteza. O nome "Heisenberg" surge daí.

Sendo assim, Walter resolve marcar as transações em um ferro-velho, simplesmente porque não é nada discreto, e o shopping estava fechado. No segundo encontro, a metanfetamina vem na cor azul. Tuco fica meio desconfiado, mas também acaba gostando após umas cheiradas. Um de seus assistentes disse alguma merda para Walter e seu auxiliar: louco na pedra, Tuco não gosta muito e acaba matando o cara na porrada. Logo, todo mundo fica doido também (porque o cara morreu na frente deles, não por causa da droga), mas Tuco manda o outro assistente esconder o corpo embaixo duma pilha de carcaças, o que aparentemente resolve a situação. O problema é que esse assistente era tão burro que resolveu voltar lá pra esconder melhor o corpo, só que ele acabou ficando com o braço esmagado lá até morrer também. A polícia fica sabendo disso e Tuco começa a ficar desesperado.

A última reunião[editar]

Depois de fugir várias vezes, Tuco sequestra Walter e Jesse, que vão parar numa cabana no sertão do Piauí, o lugar onde o tio do Tuco mora. Os dois tentam envenenar Tuco, mas aí o esperto do Jesse diz que o bagulho tem pimenta, no que Tuco responde que odeia pimenta. Walter resolve envenenar a comida dele, mas Tuco tem sorte porque o velho percebe o esquema. Mais uma vez, Tuco fica doidão e enfrenta os dois mas, por ironia do destino, eles deixam Tuco bem fudido e conseguem fugir. Hank chega depois e passa fogo no traficante.