Tupi Football Club

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aviso importante: Futebolismo aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa pra quem você torce, seja o Inter, o Grêmio, o Figueirense ou o Vitória. Seja engraçado e não apenas idiota.


Tupi Football Club
Escudo do Tupi FC.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Estupido Futebol Clube
Origem Bandeira do estado do Rio de Janeiro Rio de JaneiroJuiz de Fora
Apelidos Galinha-carijó
Torcedores botafoguenses simpatizantes
Torcidas Hooligans do Interior
Fatos Inúteis
Mascote Galinha-d'angola
Torcedor Ilustre
Estádio Helenão
Capacidade 31.863 Galinhas choronas
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador Ricardo Drubscky (pelo menos até ele ser demitido)
Pior Jogador Nuvola apps core.png difícil dizer, todos são muito ruins
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Romário
Patrocinador Unimed e cerveja Brahma
Time
Material Esportivo GSport
Liga campeonato brasileiro
Divisão Série Y
Títulos Campeonato Brasileiro - Série T
Ranking Nacional 111º
Uniformes



Tupi Football Club é um time semi-amador natural da cidade carioca de Juíz de Fora, exxxte exxxcracho de time surgiu em meados de 1912, e, por incrível que pareça, se contenta até hoje em ser o 15º time de Minas Geraixxxx, mexxxmo sendo um brejo do Rio e com seus cidadãoxxx puxando o x da xuxa até para falar doixxxx.

História[editar]

Fundação[editar]

O mascote do Tupi é a Galinha Carijó, mas do litoral....

Fundado a mais de 100 anos (acredite se quiser), o Galo de Juiz de Fora já passou por varias situações, mas o fato recorrente durante toda sua história é o de estar mergulhado em dívidas, e hoje não é diferente. A falta de criatividade foi marcante, copiaram escudo, cores, uniforme, mascote, símbolos, estilo de jogo, sexualidade, e tudo do Atlético Mineiro, para que pudesse eternamente viver na sombra de algum time grande.

1965, pior ano da história[editar]

Na temporada de 1965 o poderoso Tupi entrou para a história do Campeonato Mineiro por ter sido o primeiro time mineiro a terminar o torneio com 0 pontos e um saldo de 0 vitórias, 0 empates e 11 derrotas, livrando-se do rebaixamento por nem existir Módulo II do mineiro naquela época (mas quando a Federação Mineira de Futebol criou o Módulo II, o Tupi resolveu ver como era o torneio de acesso doe stadual algumas vezes, rebaixar é rotina para o clube.

1966, melhor ano da história[editar]

Em janeiro de 1966, o Tupi convidou o Cruzeiro para um jogo na cidade e venceu por 3 x 2, derrotando a famosa equipe de Tostão, Dirceu, Zé Carlos, Piazza, Natal e outros craques lanterna do Mundial de Clubes. Como um time de Juiz de Fora poderia vencer o grande Cruzeiro? Belo Horizonte não poderia engolir esta afronta. Por isso, o Tupi foi convidado a jogar contra as Rosanas, no Mineirão. Resultado do desafio: o Tupi derrotou o clube por 2 x 1, que era dirigido por Paulo Amaral. Um novo desafio foi levantado pelo América, dirigido por Yustrick, já que o Tupi estava desmoralizando os times de Belo Horizonte. Mais uma vitória do Tupi por 2 x 1 foi o resultado. Quem imaginaria o Tupi derrotar os três times da capital? Isso não poderia ficar assim, então o Cruzeiro pediu uma revanche do jogo realizado em Juiz de Fora, alegando que no Mineirão ia “arrasar” o Tupi e acabar com a brincadeira. Nova vitória do Tupi por 2 x 1 fez todo o Brasil falar naquela equipe, que foi convidada para treinar contra a Seleção Brasileira de Pelé e Garrincha em Caxambu, quando empatou em 1 x 1. Posteriormente descobriu-se que os times da capital mineira estavam repletos da cachaça, e na hora dos jogos valendo pontos no campeonato brasileiro venceram todos o Tupi que não foi campeão mineiro nem naquele ano e nem em nenhum outro.

Década de 2000[editar]

O Tupi nunca ganhou um titulo de expressão, pois todos que passam em sua diretoria são ex-presidiários que foram roubar no Departamento de futebol e esqueceram que a glória do time podia mudar suas situações financeiras e ainda torná-los heróis de uma cidade. O máximo que os dirigentes conseguiram foi contratar por 3 dias em 2004 o atacante Romário, que obviamente não se rebaixou a atuar efetivamente pelo Tupi antes de ir embora.

Sua melhor campanha num campeonato mineiro foi no ano de 2009, quando chegou às quartas-de-finais do campeonato mineiro, algo que nunca havia ido tão longe no estadual. No primeiro jogo em casa contra o Cruzeiro perdeu por apenas 1 x 0, uma façanha para o nível do Tupi, acostumado a só perder para os grandes da capital. A revanche no Mineirão foi marcado por uma derrota por 7 a 2, um resultado também aceitável para o nível do Tupi, mas que custou sua eliminação.

O galo carijó não iria aceitar esse placar, e a reação veio no ano seguinte, na 8ª rodada do campeonato mineiro o Tupi bateu o Cúzeiro por 3x2 que demoram 10 horas de carro, mais 3 de avião e mais 30 min de nave espacial para ter o prazer de ver o mar. Mesmo que isso não tenha servido de nada, pois nas quartas-de-finais viria a ser eliminado para o Ipatinga,

Série D 2011[editar]

Matadouro e cagadouro Municipal onde o Tupi joga de vez em quando.

Para um time que conseguiu ficar na 45º colocação na Série C de 2008, o que esperar numa série D? E não é que o time foi campeão? Com o troféu da série D o Tupi firmou-se como a quarta potência de Minas Gerais, uma vez que Cruzeiro tem a Série A, o Atlético a Série B, o América a Série C, e agora o Tupi tem a Série D.

Série C 2012[editar]

Animado com o título nacional da quarta divisão, o Galo-carijó não se adaptou à Série C, onde fez questão de ser rebaixado após uma campanha com 10 derrotas e apenas 3 vitórias, pois a ideia era tentar novamente conquistar o título da Série D no ano seguinte.

Série D 2013[editar]

Mais uma vez na quarta divisão nacional, o Tupi foi protagonista de uma situação inusitada, típica de futebol de várzea a qual é acostumado participar. No jogo que valia a classificação para as quartas-de-finais e o acesso à série C, contra o Aparecidense de Goiás. O Tupi empatava por 2 x 2 resultado que o desclassificaria, quando no último lance o goleiro-massagista do Aparecidense salvou o gol da classificação tupizense. Como eles não sabiam da regra que em Goiás massagista também joga, o time entrou com recurso e venceu.

Série C 2014[editar]

No começo do nao, o desempenho do clube no campeonato mineiro é totalmente irrelevante de se escrever aqui, pois sabemos que só Cruzeiro e Atlético ganham aquela porcaria e o Tupi nunca nem tem chance.

Nesse ano o Tupi conseguiu não rebaixar, e mais do que isso realizar a proeza de terminar a primeira fase como primeiro colocado em seu grupo e com a segunda melhor campanha, atrás apenas do Fortaleza EC. Naturalmente, a torcida da galinha carijó se entusiasmou com o desempenho do time e estava mais confiante do que nunca no tão sonhado acesso. No entanto, o time foi eliminado pelo medíocre Paysandu nas quartas-de-final, e teve que se contentar em disputar a terceirona no ano seguinte (nada que a torcida já não estivesse acostumada).

Série C 2015[editar]

Novamente, pulamos o campeonato mineiro de 2015 para o Tupi, pois o time é eterno figurante no estadual.

Mas no torneio nacional o ano de 2015 foi o ano em que algo totalmente inusitado aconteceu no futebol nacional: o Tupi realizou a façanha de se classificar para a Série B 2016, fato inédito para os poucos torcedores do clube que ainda estão vivos, pois uma cagada assim só acontece uma vez a cada 400 anos. Claro que para tal o caminho até o acesso foi fácil; o time teve que pelejar em uma chave com equipes fortíssimas, como Brasil de Pelotas, Guaratinguetá EC e Portuguesa, além de jogar o clássico contra seu grande rival, o Tombense.

Aos trancos e barrancos, o Tupi conseguiu avançar às quartas-de-final, onde deu a sorte de enfrentar um clube que conseguiu ser ainda mais incompetente, o Asa de Arapiraca. Contrariando todas as expectativas, o Tupi venceu os dois jogos de maneira inacreditável e conseguiu a vaga para a segunda divisão nacional. Nas semifinais o time enfrentou o temido Londrina Esporte Clube por uma vaga na final. Como as duas equipes se igualavam em ruindade, ficaram no zero a zero nas duas partidas disputadas. A decisão foi para os pênaltis e, como era esperado, o Tupi pipocou e perdeu a vaga para o time paranaense (até porque já deram uma sorte danada ao conseguirem a classificação, ir pra final já era demais para os padrões do time).

Mas nada disso atrapalhou a festa da torcida, que finalmente teria o seu sonho realizado: ver seu time do coração apanhando dos clubes do nordeste na segundona.

Mineiro 2016[editar]

Em 2016 começou disputando o estadual mineiro. Como sempre perder por mais de 3 gols de diferença para o Atlético Mineiro, o galo verdadeiro da capital que nunca deixa de ganhar do Tupi por mais de 2 gols de diferença. Obviamente este time fracassado não passou de um figurante na competição, como sempre ao longo das décadas.

Todavia, para contrabalancear com a natureza o suposto sucesso de 2015, o Tupi comprometeu-se em ser uma bosta no estadual de 2016, e passou a competição inteira brigando para não rebaixar no mero estadual. Primeiro fez o que sempre foi comprometido a fazer, que foi ser derrotado por América, Cruzeiro e Atlético, mantendo-se como time ridículo figurante de sempre, mas também acabou perdendo para lixos como Uberlândia EC e Villa Nova, por isso não saiu das últimas posições.

Hino[editar]

Vão desfilar os travestis,
Vão repetir-se os rebaixamentos,
É o estúpido Tupi, é o Galo sem pena, o índio do cu, não é o Coração
Batendo, batendo fraco
Em compassado rebaixado.

Tupi, Tupi é desunião!
Dos perdedores, o rebaixado!
É força derrotada,
É mais que uma merda.
É a jogada pra fora,
É o silêncio de uma derrota.
É a explosão dos carijós.

Ao trair do Atlético Mineiro,
Chora a torcida,
Pior time de inspiração.
Surge na derrota a chama perdida da desperança,
E o galo fraco carijó tem rivais...
Grandes derrota sempre alcança,
E vive a glória de nunca mais ser campeão!

Grandes ídolos[editar]

  • Muller, aquele mesmo, o comentarista, jogador carijó aos 39 anos de idade
  • Ademilson, filho de corredores, arquétipo de corredor, um dos maiores perdedores de gols da história...
  • Allan Taxista Ex taxista que resolveu jogar uma pelada depois de umas 5 "brejas", arrebentou de fazer gol ao completar o rachão da tarde e virou jogador.
  • o Hino criado no novo milênio, com apoio de uma organização multimidia, que dizia " O Tupi é união, o campeão dos campeão !"
  • Esquerdinha, massagista do Associação Atlética Aparecidense.