Turismo na China

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Turismo na China é considerado o segundo maior do mundo, graças a seus templos, muralhas, chinesas que parecem japonesas e despertam fetiches nos ocidentais, comida bizarra e um agradável ar ridiculamente poluído, tudo dentro de cidades desagradavelmente lotadas.

Turismo urbano[editar]

A abertura de um Hooters em Xangai foi o marco para a abertura do turismo na China, afinal o turista estrangeiro precisava saber que os chineses já estavam considerando suas mulheres como um objeto sexual para terem a segurança de entrar no país sem temer serem presos só por olhar a bunda de uma chinesa.

A China é um país com pelo menos 20 cidades que já ultrapassaram a marca de 1 milhão de habitantes, então opções urbanas são o que mais há. Talvez o turista iniciante comece por Pequim porque é lá que fica aquele estádio em forma de ninho de abutre, aquele prédio em formato de peças de tetris mal encaixadas e aquele templo em formato de OVNI, porém o guia turístico levará qualquer turista direto para a Praça da Paz Celestial só pela satisfação de dizer que aquela é a maior praça do mundo com o maior monólito do mundo e o ponto mais importante do mundo onde aconteceram as coisas mais importantes do mundo e inclusive é onde está o Mausoléu de Mao Tse Tung que é a sepultura mais importante do mundo e maior local de peregrinação do mundo, que depois de te arrastar para a Cidade Proibida dirá que você tem sorte de entrar lá porque no século XV isso seria terminantemente proibido.

Já em Xangai está a Avenida Nanjing onde concentra-se o maior conglomerado de lojas dos mais varados souvenires tipicamente chineses, como calculadoras, brinquedos de plástico, pilhas, colares piscantes, sapatos que brilham no escuro, camisas da seleção brasileira ainda com apenas quatro estrelas e todo esse tipo de muamba. Para aqueles mais enjoados do pesado ar de fuligem da cidade há a opção de visitar os Jardins de Yuyuan que são considerados a maior concentração de vendedores ambulantes de inutilidades que existe no mundo. E por último o local do Templo do Buda de Jade onde está o maior Buda de Jade do mundo, em posição reclinada.

Outras cidades de destaque são Macau e Hong Kong, ambas um oásis de libertinagem (capitalismo) num país tão comedido e de bons costumes (comunismo) como a China, existentes lá os melhores puteiros e cassinos de toda Ásia, sem haver o perigo do governo repentinamente entrar com soldados fortemente nervosos de rapel pela janela de seu apartamento quando você estiver aliciando uma menor de idade chinesa, sendo portanto destinos altamente recomendados.

Quanto à Taipei e Lhasa, como estão em territórios extra-oficiais, não aparecem nos pacotes turísticos.

Já no interior do país temos Xi'an onde está o famoso exército de Terracota que é aquele enorme compilado de estátuas antigas dentro de um fosso arqueológico que dependendo da maldição que você despertar podem ganhar vida e desejar te matar. E ao norte de Chongqing, bem ao norte, está a Grande Muralha da China que é declaradamente o ponto turístico mais visitado do mundo (e não fizeram banheiro lá ainda), com três mil milhas de comprimento que serviam para defender a China antiga (acontece que você pode apenas contornar a muralha após seu final, que foi o que os coreanos fizeram em 1683, durante a invasão de 1687), de qualquer forma a Grande Muralha é um lugar fantástico para uma longa caminhada e para um bom piquenique no calor abafado.

Turismo natural[editar]

Para o turista mais ecológico, a opção principal na China está em filiar-se a alguma ONG ambiental e ser preso pelo governo durante algum protesto contra a destruição de alguma floresta chinesa. Caso essa opção não agrade, você pode apenas ir visitar as enormes florestas de bambus e ver a extinção gradativa dos pandas assexuados que lá vivem, ou mesmo ir visitar os enormes belos rios represados pelas monumentais hidrelétricas e ver a extinção do baiji acontecendo em tempo-real.

O turista pode pegar a Rota da Seda para conhecer as paisagens chinesas, desde o carste do sul da China com suas rochas em formato de pênis, passando pelo Monte Everest (lembrando que o Nepal não é reconhecido pela China) e terminando no deserto de Gobi.

A China é um país também de muitas cavernas, onde as Grutas de Longmen são as mais famosas.

Gastronomia[editar]

A culinária da China é talvez a mais diversificada do mundo, tão diversificada que todo o cardápio do China in Box na verdade nem existe na China, ou você já pediu algum box com espetinhos de escorpião? Exceto o arroz colorido, que este existe mesmo na China, porém sem muita regra mas apenas uma necessidade mais do que cultural, fisiológica, de misturar qualquer coisa que se veja pela frente, picada, ao arroz. O biscoito da sorte é outra coisa que existe sim na China e foi inventada por Confúcio tratando-se de um crocante e adocicado biscoito cozinhado em formato de croissant em volta de uma mensagem profética de infinita sabedoria e que traz no verso os números vitoriosos da Mega Sena.

Flag-map of the Greater People's Republic of China.png China
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo