Turismo na Guiné

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Turismo na Guiné é uma grande cilada. Basicamente não há nada o que se fazer na Guiné a não ser comprar chaveiros felpudos com as patinhas de porquinhos-da-índia, contrair AIDS e se der sorte envolver-se num conflito interno de revolução popular, chamado em outros países de golpe de estado, ou em outros determinados momentos, guerra civil.

Turismo urbano[editar]

Guineanos recebendo os turistas com suas pirocas pontiagudas.

Não existe na Guiné exatamente cidades para que haja esse tipo de turismo, todavia há as aldeias, muito visitadas por antropólogos estrangeiros e programas de televisão de canais que ninguém assiste, tipo National Geographic, que se amarram em filmar negões que vestem na rola enormes casquinhas de sorvete.

A melhor opção de lazer nas cidades guineanas, exceto ser desmembrado por canibais, é adquirir a preços baixíssimos AK-47 usadas na guerra da Coreia e participar de um enorme jogo de Paintball urbano jogado na velha com balas reais. É realmente bem emocionante e divertido.

Turismo natural[editar]

Matagal é o que mais existe na Guiné, entrar na selva e contrair doenças tropicais enquanto é devorado por um guepardo e depois ter sua carcaça roubada por hienas é uma das opções para o aventureiro.

Gastronomia[editar]

Estamos falando de um país africano que como tal é assolado pela fome, logo opções e variedades culinárias não são o forte de lá. Todavia é possível citar o prato típico do país, o guisado de porquinho-da-índia.

Flag-map Guiné.png Guiné
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo