Uberlândia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Uberlândia.

Nota: o trecho seguinte está "compactado" de modo a despoluir visualmente o contexto da página toda.

Cquote1.png Um bando de fanfarrões. Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre os uberlandenses
Cquote1.png Você quis dizer: Uberaba Cquote2.png
Google sobre Uberlândia
Cquote1.png Você quis dizer: Sertão da farinha podre Cquote2.png
Google sobre Uberlândia
Cquote1.png Você quis dizer: Capital Do Triangulo Cquote2.png
Google sobre Uberlândia
Cquote1.png Você quis dizer: Esquecida por Minas Cquote2.png
Google sobre Uberlândia
Cquote1.png não pode ficar parado aqui, Cquote2.png
segurança do segundo andar do shopping
Cquote1.png De carro é 100 km, mas de avião é pertim, Cquote2.png
Controlador de vôo do aeroporto de Catalão, informando a distância entre Catalão e Uberlândia ao piloto de um (BOING ??) que não poderia pousar no aeroporto de Catalão e deveria seguir para Uberlândia
Cquote1.png Eu criei. Cquote2.png
Chuck Norris sobre Uberlândia
Cquote1.png Eu nunca vi!!! Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Uberlândia
Cquote1.png Véi, bora pro shops pega umas gata? Cquote2.png
Vileno retardado antes de levar uma infinidade de foras das patys.
Cquote1.png Mamãe, me leva pra Uberlândia pra fazer medicina?! Cquote2.png
Goiano sobre o sonho de entrar na UFU sobre Uberlândia
Cquote1.png Onde fica? Cquote2.png
Aécio Neves sobre Uberlândia
Cquote1.png Já roubei a vaga deles. Cquote2.png
Goiano sobre roubar uma vaga na UFU
Cquote1.png Eu parei pra cagar lá e disseram que fundei a cidade... Cquote2.png
Felisberto Carrijo sobre Uberlândia
Cquote1.png Por que que lá só tem 1 shopping??? Cquote2.png
Paulistano sobre Uberlândia
Cquote1.png Uberlândia rock city yeaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah \o/ Cquote2.png
Metaleiro desgraçado retardado sobre Uberlândia
Cquote1.png eU adoLuu exa city s2 meus miguxos toDinhOx moRam lAh xD Cquote2.png
Emo sobre Uberlândia
Cquote1.png Visite Uberlândia e ganhe uma multa!! Cquote2.png
Settran sobre Uberlândia
Cquote1.png Ainda bem que eu não corro!!! Cquote2.png
Rubinho Barrichello sobre Radares de Uberlândia
Cquote1.png É a Detroit brasileira Cquote2.png
Senador Wellington Salgado sobre Uberlândia
Cquote1.png Parece uma cidade do interior dos Estados Unidos Cquote2.png
Fernando Henrique Cardoso sobre Uberlândia
Cquote1.png Ribeirão Preto é maior que Uberlândia!!! Cquote2.png
Prefeito de Ribeirão Preto sobre Uberlândia
Cquote1.png Eu nasci em Uberlândia, mas ainda bem que arranjei um jeito de sair dessa currutela, hoje em dia eu faço shows internacionais e só volto em Uberlândia pra jogar no Estádio João Havelange o Futebol das Estrelas onde a gente arrecada alimentos para entidades carentes Cquote2.png
Alexandre Filho da Puta pires sobre Uberrrrrrrrrrlândia
Cquote1.png Eu nasci em outra currutela, mas a currutela que eu escolhi pra viver foi Berlândia, onde eu trabalho, tenho minha vida sofrida de sacoleira, sou gente honesta, não tenho duas caras... Cquote2.png
Íris BBB7 sobre Uberlândia
Cquote1.png Dona Neide: faz amarrações para o amor e traz a pessoa amada em 7 dias... Cquote2.png
Você vendo um sobre poste da cidade
Cquote1.png Alguém conhece o Mário? Cquote2.png
Típico uberlandense idiota com a clássica pegadinha
Cquote1.png Eu moro em Berlândia há deiz anos, claro que já sou mineira uai!! Abre a porrrrrta... Cquote2.png
Íris BBB7 sobre Uberlândia
Cquote1.png E aew véi, ja foi no london ? Cquote2.png
Goianos sobre Uberlândia
Cquote1.png você mora perto da casa da Íris? Cquote2.png
Brasileiros sobre cidadão uberlandense
Cquote1.png Eu moro no Granada! Cquote2.png
Algum morador do Aurora com vergonha de dizer realmente onde mora
Cquote1.png Seringuêra xopi, onde você encontra desde de pen drives de 20GB até a sua mãe que foi sequestrada na semana passada! Cquote2.png
Carro de som ao rodar as ruas do bairro Seringueiras fazendo propaganda
Cquote1.png E ae véi, surfa a quanto tempo? Cquote2.png
Dois jovens conversando debaixo de chuva sobre avenida Rondon Pacheco
Cquote1.png Vamos morar no Esperança? Cquote2.png
Pessoas desinformadas se mudando para Uberlândia
Cquote1.png Quando eu for na cidade vou comprar um pênis tênis colorido Cquote2.png
Morador do Shopping Park falando com o amigo

Incrustada no meio do cerrado, Uberlândia (Berlândia em mineirês) é uma cidade pitoresca e agradável. Lar de patricinhas , mauricinhos, gordos,emocinhos e metaleiros jogadores de tibia, mas principalmente de puchadores de ´´R`` (mas não conte isso a ele pois eles não gostam de serem chamados de caipiras) que proliferam livremente, tem potencial para ser uma grande capital, assim que destruir Belo Horizonte (Cidade invejada pela população) e conseguir incorporar Araguari. É o que eles morrem de vontade de ser, aliás, só querem a emancipação do Triângulo (vide Guerra Triângulo-Mineira)para isso. Oficialmente, dizem que o nome deriva das palavras em latim ubere e landia (Terra da Fartura, da Prosperidade), mas a verdade é que eles tentaram copiar o vernáculo do alemão Über (superior, muito acima, o máximo) e land (bunda, trazeiro, nádegas).

Cquote1.png Uberlândia fui eu que fiz!!!! Cquote2.png

Dados Estatísticos, Geográficos e Históricos

A cidade de Uberlândia, antigamente denominada CURRAL DAS ÉGUAS (ironia do destino) possui aproximadamente 600.368,3 habitantes, embora o falso senso de grandiosidade instalado nos residentes do município insista em afirmar que a cidade é uma metrópole com mais de um milhão e agora deverá crescer mais, pois é a capital do Estado do Triângulo.
Uberlândia na visão de um típico uberlandense

Cerca de 83,245% da população uberlandense provém de currais, buracos, vórtices temporais ou tribos próximas à cidade, Tupaciguara (tribo muito perigosa também denominada Texas'guara), Indianópolis (chamada Crime'nópolis) Pratae a tribo que distinguiu acidade das demais uma tribo chamada akidauanus (uma tribo que apesar de fundar o canibalismo onde uns comem os outros e bem desconhecida). Também inclui homossexuais que buscam se libertar do machismo dos municípios que a rodeiam: Araguari,Uberaba e Monte Carmelo.

A relação de Uberaba e Uberlândia é um capítulo à parte. Quem ouve falar da rivalidade acha que fica ali uma do lado da outra, mas são mais de 100 km de estrada sem nenhuma alma viva no meio. Suspeita-se que quem tenta morar ali no meio seja obrigado por força armada a se decidir e ir para um lado ou para o outro. Por isso o vazio. Com relação à população, Uberaba bem que poderia ser uma cidade se alguém tivesse ido morar lá nos últimos 50 anos. Nem nascimentos há. Todos foram pra Uberlândia mesmo. Por isso que dizem que a população de Uberaba caiu muito!

Os motivos que levam os Carmelitanos e Uberabenses a Uberlândia são os mais diversos. Alguns vão à procura de sexo barato e sem compromisso. Outros vão simplesmente para comprar DVD nos Camelódromos(algo que por lá existe em grande quantidade). Na verdade, não fossem os Carmelitanos e Uberabenses irem para Udia(bo) estudar na Universidade Federal de Uberlândia (UFU) - favor não confundir com UFO (já que os nativos não conseguem preencher as vagas), ou movimentar o economia (leia-se "comprar produto pirata por que lá so tem isso"), a cidade faliria .

Uberlândia, cidade do Estado do Triângulo em que a população insiste em se parecer com São Paulo ou Goiás, nem se compara mais com a Uberaba, e até mesmo com a pequena Ribeirão Preto (e alguns jumentos de plantão insistem em dizer que Ribeirão tem mais de 1 milhão de habitantes), negando piamente sua origem comedora de Pão de Queijo - ou seja, origem mineira de pé rachado, "R" puxado e nunca ouviram falar em cultura, teatro ou qualquer coisa do gênero. Os uberlandenses juram que sua cidade crescerá tanto que sofrerá um processo de conurbação com São Paulo, formando a Grande Uberlândia. A Grande Uberlândia já seria até aí uma cidade global e a USP um dos campi da Universidade Federal de Uberlândia, invejada por Harvard, Oxford e Yale.
Uberlândia na visão de um norte-americano

Uberlândia não nasceu com esse nome, a cidade já teve outros nomes, alguns mais discretos inclusive, como por exemplo Arraiá de Nossa Senhora do Carmo, São Pedro do Uberabinha e Sertão da Farinha Podre e ainda... Curral das éguas.

Uma etimologia aceitável da palavra Uberlândia é interessante. Uber em tupi-guarani (linguagem dos índios de pau grande) tem como significado barro; lândia tem como significado na louça. Isso vem do fato de que os primeiros habitantes, cujo sobrenome era Carrijo, insinuaram que a terra era o Sertão da Farinha Podre. Podre, fez mal aos intestinos da época e deu origem ao nome em questão.

Recentemente, o atual prefeito Odelmo, disse que erguerá uma estátua em homenagem a Íris (participante finalista de reality show global), pois graças a ela o mundo ficou (finalmente) sabendo onde fica o ânus do Triangulo Mineiro.

Economia

A econômia uberlandense é extremamente influenciada pela política local e pelas únicas empresas de projeção nacional instaladas na cidade: a companhia telefônica local, a empresa de logística que se orgulha de enviar seus caminhões Amazônia afora e a fabricante de cigarros (esta, em franco declínio graças à conscientização da população sobre os males do fumo e a concorrência do contrabando de cigarros de baixa qualidade do Paraguai).

Uberlândia é dominada por um conglomerado que movimenta sozinho 90% da economia da cidade, sendo responsável, inclusive, pela maior parte dos cargos disponíveis, cujo maior expoente é a supracitada companhia telefônica, que detém também a internet, a tv a cabo, a empresa de logística (sim, essa também) e o serviço de teleatendimento, sendo esse último conhecido pelo recorde de menor permanência de trabalhadores em serviço e recebido o prêmio "maior rotatividade de pessoal".

Em Uberlândia, 100% da população trabalha, trabalhou ou conhece alguém que trabalha na AtendemosComSotaque (ACS). A fatia que resta da economia está dividida entre as granjas (em Uberlândia o preço dos granjeiros está entre os mais baratos do país - a compensar o da energia elétrica, que é a mais cara), butecos, camelôs e cerealistas.

Uberlândia teve projeção nacional recentemente no escândalo do leite adulterado, sendo que a sigla da empresa de leite, que já era localmente traduzida como "colocamos água no leite de uberlândia" deve mudar para "colocamos água e soda". História negada aqui.

A soberba dos uberlandenses é alimentada pelo fato de possuírem sua própria empresa de telecomunicações, ao contrário do que ocorre nas demais megalópoles do país, onde se instalaram empresas estrangeiras. Por isso, a maioria dos uberlandenses insiste em pagar mais caro para usar um celular pós-pago da empresa local, apesar de todas as promoções das demais empresas se aplicarem à cidade.

Corre na urbe o boato de que em meados da segunda metade do século XX, em parceria com os políticos locais, a empresa de telefonia resolveu fazer uma proposta para adquirir a Torre Eiffel, instalando-a no topo de seu prédio para garantir uma melhor transmissão de sinal. Entretanto, como os franceses são mais soberbos ainda e não aceitaram a oferta, restou aos uberlandenses construir uma réplica, em escala menor.

No Natal, a empresa enfeita sua torre de transmissões com luzes perigosamente ofuscantes aos motoristas, mas que são admiradas como um dos únicos pontos turísticos da cidade. A torre é conhecida mundialmente como "a Eiffel triangulina".

No setor de serviços, em função das inúmeras faculdades de qualidade questionável instaladas na região, Uberlândia é (muitíssimo) bem servida (até demais - assim mesmo, em pleonasmo) de profissionais liberais, apresentando um dos maiores índices de advogados e dentistas per capita do mundo - nas últimas estimativas, para cada ser humano, havia 3 odontólogos e 5 advogados, mas faz-se mister observar que tais números carecem de atualização.

No centro da cidade, não é difícil encontrar quarteirões com 50 prédios onde estão instalados 55 consultórios ou escritórios - é que muitos profissionais instalam bancas nas calçadas para atender seus clientes, apesar de ser proibido pela Prefeitura. Destacam-se também as churrascarias e bares do tipo copo-sujo ao longo da Av. João Naves de Ávila e Rondon Pacheco.

Quanto ao comércio, resume-se a algumas lojinhas de butique com preços elevadíssimos e rentabilidade igualmente alta, aglomeradas em uma pequena galeria (chamada pelos locais de "Center Shopping" - a criatividade dos empresários não permitiu mais que a inversão dos termos do nome genérico "Shopping Center" na ocasião do batismo do empreendimento). Aliás, a paixão do uberlandense pela palavra "shopping" é curiosa: os munícipes não aceitam que mais de um empreendimento empregue tal palavra, de modo que a cidade só pode ter uma galeria com esse nome.

Exemplo disso é que no final da década de 80, instalou-se na cidade o Ubershopping, que conheceu dias de glória até meados dos anos 90, quando o Center Shopping foi inaugurado. Como uberlandense não resiste a uma novidade, o novo shopping ficou lotado e precisou sofrer várias ampliações, enquanto o antigo foi totalmente abandonado, nele prevalecendo apenas algumas atividades atípicas para uma galeria de compras, como o salão "Cassino Brasil" e uma faculdade. Percebendo essa peculiaridade, os empresários uberlandenses não ousam mais empregar a palavra "shopping" em seus empreendimentos - como exemplo, pode-se citar o "Griff Shop", galeria de pequenos industriais da moda regional que prevalece há vários anos apesar da reduzida freqüência, e a "Galeria Central", no centro da cidade, que apesar de esvaziada também não sucumbe à falência.

Uma exceção deve ser feita ao bairro Shopping Park, cuja nomeação, que parece não ser relacionada à tradução "estacionamento do shopping", tem origem desconhecida. Lingüistas de todo o país atualmente pesquisam o fascínio local pelo radical "shop". Em Uberlândia, instala-se também a Feira da Lua de Uberlândia (lojistas e comerciantes locais tentam derrubar-la diante da concorrência esmagadora, levando seus estabelecimentos literalmente as moscas). A maior feira coberta do estado de Minas Gerais (já está no seu 6º Ano, e atualmente é realizada quinzenalmente em uma galeria na Monsenhor Eduardo, com mercadorias de todas as partes do Brasil).

Devido aos preços incríveis atraindo uma multidão de consumidores (pobres famintos por roupa, e ricos mão de vaca, que não frequentam o Center Shopping pelo seu preço elevadíssimo). Sendo assim, compram tanto até não conseguirem carregar mais, enchendo seus guarda roupas para ano inteiro, ou até a próxima Feira da Lua começar...

Ainda no centro, prevalecem as lojas de departamentos que existem em toda cidade de (pequeno) porte. Nos bairros, vigoram os brechós, as farmácias, açougues e empórios, com renda muito inferior, já que todo mundo prefere fazer compras em locais chiques como o recém-instalado hipermegamercado.

Enfim, graças à enorme frota automobilística, os postos de combustíveis também são um negócio muito rentável: assim, é possível encontrar um posto a cada dois quarteirões. Uma organização trabalhista de atividade expressiva na cidade é a AUBP - Assossiação Uberlandense dos Bonecos de Posto.

Uberlândia também abriga um setor informal pujante, inclusive com a presença de mestres da pirataria internacional, vindos diretamente da Ásia para aplicar suas técnicas de persuasão da venda de tênis falsificados. É muito comum encontrar essas pessoas pelas ruas, carregando malas enormes cheias de calçados ostentando marcas famosas, mas de qualidade duvidosa e duração inferior a um mês.

Mesmo assim, graças à lábia avançada versão pseudobilíngue dos vendedores, e em função da própria vaidade, muitos uberlandenses adquirem tais produtos. O único entrave da negociação é a linguagem, pois os negociantes falam apenas mandarim ou, no máximo, o valor do produto em português ("Tlinta", por exemplo).

Cultura

A cultura uberlandense, ao contrário do que imaginam uberabenses, belorizontinos, paulistanos e qualquer outro ser humano razoavelmente civilizado, é riquíssima, mas muito mal compreendida e divulgada. A cidade é pioneira em eventos de gravação de CDs e DVDs de dupla sertaneja, tendo presenteado a humanidade com o famoso show de "Bruno e Marrone" que iniciou essa pujante indústria, hoje reconhecida nacionalmente. Lançaram também os mestres letristras do Só Pra Contrariar, autores da inesquecível poesia "toda vez que chego em casa, a barata da vizinha está na minha cama..."

Uberlândia é habitada por um segmento cult de fashions, emos, atores, psicólogos, hippies, humanistas, músicos e bixos-grilo de toda sorte que se reúnem nas praças, na universidade e em bares ao som ao vivo de música alternativa regional. 80% das pessoas que freqüentam esses redutos estão direta ou indiretamente ligados à organização dos eventos, 10% são desavisados que simplesmente passavam pelos locais e os outros 10% lá apareceram por causas desconhecidas. A parcela não cult e infelizmente massiva da população se diverte ao som de música sertaneja (alcunhada pela primeira de "sertanojo") num ritual que envolve expressiva ingestão de cerveja e tiragostos.

Uma das atividades culturais mais cultuadas pelos uberlandenses, que envolve os setores alimentício, musical e geográfico, é a audição pública de som automotivo em calçada de bar nas modalidades "trance" e "sertanojo".

No setor da alimentação, a indústria local do espetinho com cerveja causa grande inveja. As pessoas de classe se dividem entre o Barolo (macarronaria) e as churrascarias gaúchas de Uberlândia, com larga vantagem para essas últimas. O uberlandense não resiste a uma promoção de churrasco: são famosas as filas de segunda a quinta na porta de vários estabelecimentos que oferecem preços promocionais.

Uberlândia é a única cidade do planeta onde qualquer serviço de buffet, seja de restaurante ou de festa, tem que ter fila, independente do que você vá servir. Também são notórias as filas para comprar qualquer tipo de mercadoria, especialmente nas famosas promoções das lojas de eletrônicos (mesmo que os preços sejam absolutamente iguais aos dos dias normais). Por outro lado, não existe o conceito de fila nos terminais de ônibus.

Ao contrário de outras cidades, onde a cultura se resume a locais escuros como salas de cinema e teatros (onde as mulheres não podem apreciar apropriadamente a roupa que as outras estão usando), o ponto alto da cultura uberlandense é o passeio de moda semanal no shopping, um dos dois únicos lugares bem servidos de ônibus da cidade. As mulheres se produzem como se fossem à entrega do Oscar. Os homens ficam liberados para ir de bermuda com chinelos ou calça jeans com botas.

Religião

Os Uberlandenses costumam ir à igreja com bastante frequência, mas não por acreditarem em Deus ou qualquer outra divindade, mas porquê precisam de mais um lugar para mostrar seus carros importados (comprados usados e parcelados em 543 vezes, como já foi dito) e suas roupas da coleção Outono /Inverno Camell Ódromo Closet. A religião deste nobre povo é divida em três:

  • Católicos — Não leem a Bíblia, vão à igreja de vez em quando, mas estão sempre presentes em barraquinhas de festa junina, onde acham uma desculpa pra ouvir mais sertanejo.
  • Evangélicos/Crentes — Leem a Bíblia de cabo a rabo. São uns coitados que dão dinheiro para as igrejinhas (normalmente dirigidas por homens de meia-idade). O crente uberlandense adora falar de Deus, Jesus e salvação. Todo crente é "ex"-alguma coisa: Ex-alcoólatra, ex-viciado, ex-araguarino.
  • Agnósticos/Ateus — Verdadeira "religião" do uberlandense comum, a maioria composta por jovens que não conseguiram entrar na UFU e ingressaram em uma das "universidades de esquina" da cidade. Não têm crença alguma, não vão à igrejas, mas não por que são ligados à razão e à ciência, mas porque acham mais interessante perder tempo em mostrar que tem mais que os outros. O uberlandense só não admite que não acredita em uma religião de verdade, porquê como todo caipira ignorante, eles são supersticiosos.
  • Não foram encontrados muitos Espíritas em Uberlândia, pois o médium mais famoso morava em Uberaba e os uberlandenses odeiam concorrência.

A típica sociedade Uberlandense

A sociedade uberlandense tem características próprias, que justificam possivelmente não apenas a criação do Estado do Triângulo, mas até mesmo de um país independente. Poucos lugares tem cultura tão peculiar.

A estrutura social é organizada a partir da família. Existem dois tipos de família: as "de Uberlândia" e as "de fora". Ser "de Uberlândia" não quer apenas dizer que você nasceu lá - isso ajuda - mas que você segue fielmente as regras de conduta da TFU (Tradicional Família Uberlandense).

A unidade familiar típica depende do grupo.

Na classe média e baixa, a família é composta de uma mulher, que geralmente estuda, tem curso superior e trabalha; de um homem, que geralmente parou de estudar, ou se estuda, não quer nada com a dureza e vai trabalhar no comércio local; e dos filhos. O comércio local é pródigo em empregos para homens sem estudo e que passam o dia conversando no balcão e fazendo pequenos negócios uns com os outros.

Nas classes mais altas, a situação é diferente. A mulher não estuda, não trabalha, e passa o dia no salão se produzindo. O homem é dono ou herdeiro de um pequeno comércio, e passa o dia visitando as lojas e conversando com os amigos.

A tradicional família uberlandense pertence a um entre dois clãs: os "praianos" e os "cajubenses". Os "praianos" se orgulham de serem sócios do autointitulado "melhor clube do Brasil", o mesmo que barrou a entrada de Pelé nos anos 60 devido à origem do rapaz. Orgulham-se também de não se misturarem com os moradores de qualquer bairro que não seja o Centro (para eles, Lídice, Brasil e Santa Mônica também são parte do Centro). A massa "de fora" se filia aos outros clubes, e já é maioria na cidade mas ainda não se deu conta disso. Já os Cajubenses se orgulham de ter uma localização mais privilegiada, sendo alvo de muitos crimes diariamente. Também se orgulham de já terem feito parte da elite, isso há 20 anos atrás.

O uberlandense

O tipo mais difícil de se encontrar nas ruas de Uberlândia é o uberlandense, posto que aproximadamente 80% da população é formada por retirantes de cidades circunvizinhas e mesmo longínquas em busca de oportunidades de emprego e estudo na capital do triângulo. Uma vez encontrado, no entanto, esse raro ser, o uberlandense, é extremamente fácil de ser reconhecido pela peculiar característica de possuir um rei na barriga (ou assim o pensa) e se achar melhor do que os outros mortais. Há quem fale em orgulho uberlandense, e não me refiro apenas ao time de basquete universitário da cidade, que, não fugindo à regra, é composto por jogadores profissionais matriculados após a contratação(trecho editado devido a denúncia sobre conteúdo calunioso).

As mulheres

As meninas de Uberlândia tem uma criação rigorosa. Desde cedo, são estimuladas a repetir os gestos e trejeitos da mãe. A partir dos 10 anos de idade, a menina é ensinada (pela mãe, madrinha ou tias) a usar maquiagem em excesso e bijuterias, andar de salto e vestir minissaia com botas. Também é ensinada a obedecer ao (futuro) marido e se arrastar aos pés dele, mesmo que ele não ajude em casa, tenha mil e um casos e não tenha concluído o segundo grau. E também uma das lições das mães das meninas e treinar ficar acordada ate tarde, encher uma bolsinha de parafernálias e rodar, rodar, rodar até o dedo cair no chão com bolsa e tudo.(ja sabe a profissão ne?)

O uniforme da típica garota uberlandense é composto de vestimenta simples, sendo a parte superior, denominada "blusinha", peça de design ignóbil confecionada em tecido elástico, geralmente cotton ou malha de algodão, não raro em cores fluorescentes. A peça inferior é uma calça, invariavelmente jeans, e o calçado varia entre um tênis puma preto com detalhes coloridos ou uma sandália alta com aplicação de strass na correia e salto de cortiça. Bolsas Victor Hugo a tiracolo, adquiridas nos estabelecimentos informais da cidade, vide Camelódromo Central arrematam o look. Um fenômeno antropológico interessante a respeito da aparência da uberlandense diz respeito às unhas dos pés, obrigatoriamente pinceladas de esmalte esbranquiçado, marca Risqué, cor: "renda" e a coloração dos pêlos corporais com água oxigenada ou similares.

Os homens

Os meninos são criados de forma um pouco diferente. Até os dez anos, os meninos são tratados pela mãe e se vestem como homenzinhos em miniatura. A partir dessa idade, aqueles de personalidade mais moldável já foram definitivamente influenciados e se tornam emos. A indumentária típica do agroboy é a camisa polo com calça jeans e bota, roupa que é usada mesmo que a acompanhante esteja de vestido longo e façam 40 graus à sombra (o que não é raro). A adolescência em Uberlândia é longa, sendo registrados casos de adolescentes que ultrapassam os 60 anos sem que tenham o mínimo de maturidade emocional.

É muito fácil reconhecer um espécime masculino proveniente ou habitante dessa cidade. Geralmente a maior parte deles se encontra com excesso de peso, decorrente das várias cervejas de finais de semana e dias úteis. Também são, em sua grande maioria, desprovidos de altura. Quanto a moda, há predominância daqueles que usam camiseta gola pólo, enfiadas para dentro da bermuda de sarja (quando em temperaturas quentes), mostrando aquela grande barriga. Notamos também que sempre há a presença do cinto, claro, para segurar a bermuda. Os sapatos são tipo mocassim (isso mesmo senhores, com bermuda de sarja!!) o que geralmente os deixa mais baixos em altura que geralmente são. Utilizam-se também de óculos escuros, mas não para protejer suas retinas e sim como acessório para o cabelo, pois eles sempre o colocam no topo da cabeça. Para finalizar, alguns utilizam-se de acessórios tipicamente femininos, como pulseiras de ouro ou correntinhas.

Comportamento

Em Uberlândia em qualquer lugar onde se vá metade das pessoas usam fones de ouvidos pra disfarçar, isto porque eles só compram o fone, mas se procurar algum mp3, mp4 ou mp5 você não irá achar. Há quem suspeite que grande parte da população é filiada a KGB e a serviços de inteligência de várias partes do mundo, sendo essa uma das hipóteses levantadas como explicação para a metidez do uberlandense. Apesar de morar perto de Uberlândia, nunca fui lá, dizem que o tal do nego d'água é de lá e outras aberrações também, agora se não bastasse, eles usam câmeras nas ruas, tirando foto do nada e até de cocô de cachorro. Será essa mais uma prova que trabalham para uma organização de inteligência internacional, ou que são extraterrestres que estãoo estudando a terra e pretendem invadi-la, ou são simplismente pessoas que se deixaram levar pelos prazeres da tecnologia chinesa adquirida em suas viagens familiares no fim do ano no nosso bom vizinho paraguai.

Típica moradia Uberlandense.


Divisão de Classes

A quase extinta sociedade tradicional Uberlandense possui um profundo desprezo para com o a massa que vem de fora que em cada ano aumenta mais, principalmente dos Goianos, que descem para Uberlândia para tentar uma vida melhor na rica rainha do cerrado. O legítimo Uberlandense detesta Goianos, que por sua vez adoram Uberlândia e possuem inveja da mesma, assim como os Uberabenses, que, assim como em Uberlândia, comem porco e arrotam caviar. As pessoas vivem "de aparência", tentando exibir o que não têm, não sendo raro conhecer alguém que possui carro importado e de luxo, mas que foi comprado usado e parcelado em 525 vezes, além de morar em apartamentos populares, cujo valor total é menor que o do carro.

Como a a maioria da população descende de caipiras da região, o Sertanejo é adorado por todas as classes sociais, enquanto no resto do país é ouvido somente pelas classes mais baixas como C, D e E... Em Uberlândia é diferente devido à alta concentração de emergentes e piões que "subiram um pouco na vida".

Típico cidadão uberlandense

Distribuição Populacional

Os Ricos moram na Zona Sul (Morada da Colina, Gávea, Karaíba e condomínios de luxo; já os emergentes de fora preferem o Cidade Jardim (por, talvez, ficarem mais próximos aos seus parentes pobres) além dos poucos prédios de Alto padrão localizados no centro, como o famoso Rocha & Silva (prédio mais alto), Cap Ferrat e Solar das Acácias. Já a classe menos favorecida, “O povão” vindo de fora e que aumenta a cada dia devido à fama de que Uberlândia é uma cidade rica e próspera, se localiza nas Zonas Norte, Leste e Oeste, em bairros beeem periféricos. O mais tradicional deles é o Bairro Morumbi conhecido por sua proximidade do centro (de Uberaba) e também em condomínios fechados como o Esperança, Canaã, e Dom Almir. O que os diferencia dos demais de classe abastada são os muros e o toque de recolher.

Turismo

Nas férias, os ricos vão para a Europa ou Disney, a classe média prefere Guarujá, a chamada "Praia de Uberlândia", e os pobres preferem visitar seus parentes em Goiânia e Caldas Novas. Em qualquer feriado que o Uberlandense tem oportunidade ele vai logo pra Caldas Novas, cidade que passa a ter maior concentração de uberlandenses fora de Minas Gerais nos feriados e fins de semana. O Uberlandeses se orgulha de conhecer o litoral de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, porém, não a maioria não conhece seu próprio estado. Com a tentativa de transformar o cerrado em mar, o governo fez a represa de Miranda, que atrai frequentemente a sociedade uberlandense para se banhar em suas límpidas águas. Atualmente Uberlândia tem sido o point das sacoleiras em busca de produtos na casa de Íris Stefanelli , além de visitar a mais antiga construção da cidade, o Teatro Municipal, que até virou patrimônio da humanidade.

Musicalidade

O uberlandense é um contradição, acha muito ruim quando é chamado de roceiro, caipira ou coisas do tipo. Mas quando tem Borrone ,(Contração de Bruno e Marrone) no CAMARU , 80 mil pessoas, vive falando de Cowboy Forever, escuta a radio paranaiba o dia inteiro. Na cidade só existem três estilos musicais : Pagode , Axé e Sertanejo.

Hábitos e Fauna Típica

Em Uberlândia, a principal diversão dos habitantes é o Center Shopping (que na verdade é uma pequena galeria, mas com o nome em inglês fica parecendo mais chique), que existe desde que a cidade realmente se tornou habitável. Todos os finais de semana, o único point local fica lo-ta-do. Lá, as patricinhas desfilam seus modelitos recém-comprados no camelódromo central, passando a falsa impressão de que possuem dinheiro. O uso de roupas de festa, com direito a brilho e lantejoulas às 11:00 da manhã não deve surpreender aos desavisados.
Rica fauna uberlandense

Além disso, a cidade tem uma inexplicável raiva do estado , uma teoria é a lei Robem UDI (Robin Wood) que leva todo o dinheiro de Uberlandia para o Norte de Minas: ninguém de Uberlândia realmente se considera mineiro, nem paulista, nem goiano, mas sim uberlandenses, o que reflete a antipatia natural de seus habitantes que agora moram na capital do Estado do Triângulo.

Na terra fértil, digo, Uberlândia, predominam os agroboys(que são verdadeiros peões de roça, ou serventes de pedreiro rurais) possuidores de carros com turbo, fazendo o conhecido som PSIIIIIIIIIII ao passarem em frente aos bares da Rondon Pacheco que, aliás, é uma grande avenida com alta concentração de butecos copo sujo, sempre lotados.

Em Uberlândia (UDIA), situa-se a UFU - Universidade Feudal de Uberlândia, local em que todos os adolescentes locais e de distritos próximos (como Araguari e Uberaba), desejam ingressar para aprenderem à xavar e bolar maconha.

Politicamente, UDIA teve uma imensa gama de dois prefeitos: Virgílo Galassi e Zaire Rezende, os quais se alternam paulatinamente no governo da cidade. Após o falecimento, Virgílio foi substituído por Odelmo Leão. Além disso, a família Prado, do partido dos trabalhadores (?!) PT domina a área de vereadores e, atualmente, também a de deputados, graças a milhares de horas com carros de som anunciando os números 13913 e 1391e um monte de mentiras. São chamados de irmãos pinóquios.

A gastronomia faz os cidadãos os maiores consumidores de Nissin Miojo do Brasil. O motivo é para economizar no almoço e na janta para poder ir ao tradicional London Pub. Uma danceteria-pub de pseudos ricos que é a atual sensação uberlandense nas noites de sexta e domingo!

Destaques de Uberlândia

  • Imensa quantidade de obesos do sexo masculino.
  • Peter Crouch foi plantado nasceu lá
  • Uberlândia tem a maior concentração de Gays por m² do mundo.
  • Em Uberlândia existe a maior escultura de Oscar Niemeyer do Brasil: o interminável Teatro Municipal.
  • Em Uberlândia existe a Feira Hippie de Belo Horizonte e Feira da Lua de Goiânia [toda semana]. É sério.
  • Há também a segunda maior frota de carros do estado de Goiás em Minas Gerais.
  • Há a também a primeira maior frota de carros parados em lojas de automóveis (localmente conhecidas como "garagens") do mundo. Situado principalmente na Avenida João Pinheiro.
  • Uberlândia tem o maior consumo per capita (literalmente) de água oxigenada do planeta.
  • Uberlândia tem o maior número de salões de beleza por habitante, e também tem o maior número de centros de "haute coiffure" fora da França.
  • Uberlândia também tem o maior número de camelódromos por habitantes; de farmácias por habitante; e a maior concentração de lojas de eletrodomésticos por metro quadrado em um espaço de três quarteirões no centro da cidade.
  • Uberlândia é a única cidade do mundo com um bairro inteiro com lojas de roupas femininas e sapatos que ninguém frequenta, cobrando preços que ninguém consegue pagar, e que provavelmente não fecham porque a dona não precisa da loja pra viver mesmo.
  • Uberlândia tem a maior corredeira natural do mundo, toda vez que chove na Av. Rondon Pacheco.
  • Uberlândia tem o maior estádio de futebol público do mundo, e o menos utilizado do mundo - no Parque do Sabiá.
  • A maior indústria triangulina de multas de trânsito do mundo é sediada em UDIA: a SETTRAN, cujos esforços quintuplicaram a receita municipal e levaram à criação do adesivo "Visite Uberlândia e ganhe uma multa!".
  • Uberlândia tem o povo mais educado em truculência rural de todo o estado, quisá do país.
  • Uberlândia é a maior cidade do Estado do Triângulo que começa com "B", a saber, Berlândia, Beraba, Batatais e a Bosta de Araguari.
  • Em Uberlândia vem se destacando ao assumir o posto de cidade com maior número de universidades do MUNDO, embora a taxa de analfabetismo da cidade venha apenas aumentando.
  • Apesar do setor industrial que mais cresce em Uberlândia ser o da MULTA, a cidade ocupa o primeiro lugar no ranking mundial de buracos e crateras em vias públicas, com uma taxa de buracos por metro quadrado comparável ao solo lunar.
  • Uberlândia também tem uma caverna com o nome de Garage 80 onde se reúnem os metaleiros jogadores de tibia.
  • Uberlândia é também mineira de exportação de celebridades mundiais como por exemplo: Iris Stefanelli, Alexandre Pires e sua família, Grande Otelo, Fernando Vanucci, Vanessa Pires (Casa dos Artistas).
  • Uberlândia também é tradicional na construção da carreira de duplas sertanejas, várias duplas tiveram que começar por aqui como por exemplo: Zezé di Camargo e Luciano, Bruno e Marrone, Leandro e Leonardo, Victor e Leo e os aspirantes atuais: Marco e Mário.
  • Uberlândia é a cidade que mais tem dupla sertaneja e grupo de pagode por metro quadrado.
  • Uberlândia tem o maior Call Center do mundo que atende até empresas dos EUA, conhecido nas faculdades com ACS Mall Center.

Sistema de Transporte

Uberlândia é a única cidade do planeta onde existem mais carros do que habitantes. Estima-se que se todos os carros existentes em Uberlândia fossem para as ruas, seria necessário trazer toda população de Araguari e Uberaba para dirigir os veículos adicionais.

Uberlândia também tem o maior índice de lojas de automóveis per capita do planeta. Conhecidas localmente como "garagens" (que no resto do Brasil são simplesmente um lugar para guardar os carros), as garagens se especializam em armazenar grandes estoques de carros usados. Estima-se que os carros armazenados nas garagens de Uberlândia sejam suficientes para abastecer a demanda brasileira por um ano, caso as montadoras decidam suspender a produção.

O trânsito em Uberlândia é uma experiência arrojada, baseada em soluções das maiores metrópoles do planeta. O centro da cidade segue a arquitetura de Manhattan, com avenidas em mão única alternada, cortadas por estreitíssimas ruas com estacionamento de um dos lados, também com mão única alternada. O trânsito constante de carroças e os ônibus que insistem em transpor da pista da esquerda para a pista da direita na Av. Afonso Pena tornam o trânsito da cidade digno dos congestionamentos de uma metrópole muito maior.

Cena comum dos usuários do Curral Central embarcando
O sistema de transporte coletivo SIT (Sistema Infernal de Transportes) é uma livre adaptação, ou cópia mal feita, do sistema de Curitiba. O ponto alto do sistema é o Curral Central (Terminal Central), localizado bem no centro da cidade, que é um dos únicos dois pontos da cidade razoavelmente servido por linhas de ônibus (o outro ponto é o Center Shopping). O terminal ganhou esse nome carinhoso devido ao fato da educadíssima população uberlandense querer embarcar nos ônibus antes mesmo do restante desembarcar, aglomerando-se à beira das 5 portas que cada ônibus possui.

Recentemente, foi inaugurado o grande corredor da Avenida João Naves, o que não ajudou muito, já que os uberlandenses insistem em embarcar no Curral Central.

As largas avenidas que cortam a cidade dão um ar de metrópole, mesmo que a muitas delas (como é o caso da Rondon Pacheco) não sejam servidas sequer por uma linha de ônibus. Assim, o veículo próprio se torna praticamente a única opção. A importância que o uberlandense dá ao carro próprio não deve ser subestimada. Também os visitantes da cidade podem até pensar que estão dirigindo na Inglaterra, devido a impensável insistência dos motoristas locais de trafegarem a 20 km/h nas maiores avenidas sempre pelo lado esquerdo ignorando qualquer tipo de sinal de faróis e buzinas e até mesmo se sentindo ofendidos por isto. Está inclusive em estudo a adoção de um Código de Trânsito exclusivo para a cidade adaptado aos hábitos dos "educados" motoristas locais.

Trânsito

Para os motoristas desavisados que chegam de outra cidade ou que pegaram um desvio e entrou na zona urbana, devem ficar atento a algumas regras de trânsito. Uma delas é que a faixa da esquerda é para carros mais lentos, isso vale principalmente nas avenidas mais movimentadas. Interessante notar também que ao fazer uma conversão (entrar em outra rua para os uberlandenses), deve-se fazer diminuindo a velocidade e engatar a primeira marcha, não importa se você está saindo de uma avenida movimentada com uma fila de 50 carros atrás de você, isso é devido ao número excessivo de cães atropelados nas esquinas, cães mimados de madames, pois os vadios de rua conhecem as regras de trânsito. Os trols motoqueiros tem uma regra a parte, eles não precisam parar no sinal vermelho, essa liberação serviu para desafogar os congestionamentos (também conhecido como semáforo que não funciona), portanto se as motos não pararem no sinal, sobrará mais espaço para os carros.

Placas de retorno proibido são um legado antigo, essa regra foi abolida pois era inconstitucional, feria o direito de ir e vir das pessoas. Os donos de carros rebaixados que porventura cheguem a cidade, deve ficar atento às pistas de rally dentro da cidade, ainda não há placas de sinalização. Essas pistas se encontram em todos os bairros e são caracterizados pelas irregularidades do asfalto. Uberlândia é a única cidade do mundo com pista de rally em asfalto, pois os competidores da região que são riquinhos muito frescos, se queixavam da lama e terra nos carros. Por isso os carros vendidos na cidade saem das concessionárias com a suspensão mais alta. O racha é permitido na cidade, em qualquer bairro pode ocorrer, você saberá que há um próximo a você quando acordar no meio da madrugada com algum carro rasgando a rua, mas devido à falta de teta do governo recursos, você não observará carros tunados e sim chevetes e monzas com o escapamento furado.

Os radares em Uberlândia são um caso à parte. Como ficou conhecido há tempos atrás como capital mundial das multas, por estar infestada desses aparelhos de caça niqueis/pega trouxas fiscalização, as pessoas aprenderam a diminuir de velocidade nesses locais, mas houve um efeito colateral, se a velocidade máxima é de 60 km/h, muitos insistem em trafegar a no máximo 30 km/h. Outra regra importante é a baliza, nunca faça baliza entrando de ré, faça sempre entrando de bico, é a única forma de garantir sua intenção de estacionar, pois se você tentar entrar de ré, certamente quem está atrás não irá permitir e automaticamente você ouvirá "perdeu preibói", se o motorista não disser por algum motivo desconhecido, alguém na rua perceberá e gritará para ele, se não houver ninguém mais na rua, um dos operadores das milhares de camêras espalhadas pela cidade terá gritado e o motorista poderá ficar com a consciência tranquila. Não se iluda pois sempre haverá um carro atrás de você, Uberlândia não é conhecida como a Detroit do Brasil a toa.

Coisas que só existem ou existirão em "MegaPolisUdilândia":

  • Epidemia e maior prevalência de obesos do sexo masculino do Brasil.
  • Maior concentração de Gays do Brasil;
  • Usina Nuclear Udilândia I, para construir a primeira bomba atômica do Brasil;
  • Base avançada da NASA para lançamentos de foguetes com direção à lua (a bandeira de Uberlândia deverá substituir a dos Estados Unidos);
  • Construção da 2ª pista de pouso de voos intergaláticos (para isso vão desapropriar um lugar chamado "Araguari", já que não mora ninguém lá mesmo);
  • Torres idênticas às do World Trade Center na grande marginal Rondon Pacheco;
  • Mudança do nome da cidade para "Udi Land Mega Polis City" com um letreiro de 15 km de comprimento, será visível de Buenos Aires;
  • Um pequeno centro de diversões da Walt Disney Word, bem ali na esquina da João Naves com Cesário Alvim (lugar sugestivo, não?);
  • Um porto internacional para navios cargueiros, aproveitando-se as enchentes da Rondon Pacheco;
  • Construção de uma estátua em homenagem a personalidade mais intelectual que existiu em Uberlândia: Iris do BBB, a estátua terá 4 vezes o tamanho da Estátua da Liberdade e tomará o lugar do Cristo Redentor nas 7 maravilhas do mundo moderno;
  • Realização dos jogos Pan-Americanos UdiaMegaLândia 2011, no campus Educação Física da UFU;
  • Shows com grandes renomes da música mundial a cada mês: os dois primeiros serão com U2 e depois Madonna;no Camaru

Esportes

Uberlândia conta com um bom time de basquete que chegou a ser campeão sul-americano. Mas a paixão da cidade é o Uberlândia Esporte Clube (vulgo Dão). Além disso, os Uberlandenses que não torcem pro "Dão", preferem torcer para os times paulistas ao invés de Atlético ou Cruzeiro, já que, lógico, Uberlândia não peretence à Minas.

O UEC tem conseguido inúmeras façanhas ultimamente, como por exemplo ter um elenco pior que os dois times de Uberaba, e muito pior que o time de Ituiutaba. Porém inexplicavelmente por uma falha na matrix aparece em 65º no ranking de clubes da CBD, estando a frente de times de mais importância no cenário futebolistico brasileiro .

Outro fato interessante, é que a sua torcida é extremamente fanática, chegando ao ponto de ir alguns gatos pingados ao estádio, mesmo sem qualquer chance de vitória ou derrota sem goleada, sempre os mesmos 1000 torcedores vão aos jogos, não importando as condições climáticas ou a divisão que o clube esteja jogando .

O estádio do UEC chamado Parque do Sabiá, para os uberlandenses, "O Maracanã de Uberlândia", é um estádio bem moderno, oferecendo o máximo conforto com seus assentos de pedra lascada. O gramado na verdade é um pasto, para fazer com que os adversários se cansem mais, já que não estão acostumados a jogar na roça...Um fato curioso do estádio é que os uberlandenses insistem em dizer que a capacidade do estádio é de 60.000 pessoas, algo exagerado para um lugar onde cabem no máximo 30.000 pessoas. Lembrando que os engenheiros e arquitetos estavam bêbados na hora do projeto do estádio, uma vez que ele é algo grande demais para um time tão pequeno.

Entre suas maiores conquistas, está o 8º lugar do mineiro de 1957, a penúltima colocação na Taça Minas de 1998, algumas passagens na 1ª divisão mineira, e a rápida passagem pela Copa do Brasil em 2004, sendo eliminado pelo péssimo time do Juventude em casa.

Também predomina-se o parkour...

Hino do Uberlândia Esporte Clube

Uberlândia Esporte Clube

"Para a glória, com os louros da vitória,
Uberlândia! Uberlândia! Uberlândia!
O Periquito, o mais querido e forte!
Furacão, Uberlândia Esporte! (bis)

Como ontem, a luta é a mesma agora,
Pendão Alvi-Verde desfraldado!
Com mais ardor, mais vitórias,
Honrando as glórias do passado. (bis)

Nossa torcida é vibrante:
A velha guarda e a mocidade...
Vê no brasão que é tão amado,
O amor, o sangue e o valor da cidade. 

Nossa torcida venera
Velhas batalhas e seus troféus
De companheiros de outrora,
Que nos ajudam lá do céu.

Rixas com cidades vizinhas

Um dos motivos de Uberlândia ter tornado-se a capital do Estado do Triângulo, foram as rixas com as cidades de Rerigueri e Uberaba.

Quando Uberlândia era apenas um arraial, Uberaba já possuia influência política, e Araguari achava que tinha. Uberaba já era conhecida pelo país, Rerigueri achava que era, e Uberlândia não era nada.

Durante o Estado Novo na Era Vargas Rerigueri ficou famosa em todo o país com o caso dos Irmão Naves, e Uberlândia nada. Porém, com o crescimento populacional e com a migração de migrantes, Uberlândia finalmente se desenvolveu, ultrapassando primeiro Araguari (que nunca foi grande coisa), e Uberaba. A vinda da UFU, grandes empresas, um batalhão do exército, o governo do Estado, tudo isso foi obtido com muito desgaste entre os políticos dessas duas cidades. E como sempre só houve um vencedor. Pobre Uberaba, parada nos anos 50. Uberlândia vencera de novo.

As intrigas não param por ai, até no futebol, o Furacão da Mogiana como é conhecido o Amado clube do Uberlândia Esporte, é sem dúvida o melhor time do estado, tendo conquistado os dois primeiros Campeonatos Triangulinos de Futebol, o de 2005 e 2006.