Ubiratã

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Hora do Rush na principal avenida da vila.

Ubiratã ou como é mais conhecida entre as outras cidades do centro ocidental do Paraná A vila de fofoqueiras é talvez a cidade mais dividida, conturbada e com problemas internos do Brasil.

História[editar]

Fundada por várias feministas que queriam fundar uma utopia em um fim de mundo esquecido pelo Brasil, 300 famílias-membros se mudaram para lá criar um país chamado "Cidade das rosas" o qual nomeou o nome do bairro mais Gay de Ubiratã, logo se descobriu que isso não tinha relevância pois Ubiratã é do tamanho de um bairro.

Por alguma razão, se passaram 50 anos e a população quinquadriplicou e aumentou de 300 habitantes para 25 mil sem a presença de homens... Ou pelo menos elas pensavam assim.

Seja como for, ninguém sabe o que aconteceu mas nesses 50 anos Ubiratã virou uma vila de fofoqueiras, todos haviam esquecido o porquê de estar ali e só tendo uma coisa a fazer resolveram fazer o que todas as mulheres entediadas fazem: Fofocar. Não demorou muito para que rolasse uma guerra civil entre os habitantes.

A maioria das fofocas era para descobrir quem delas era o Homem que estava as engravidando, para prejudicar certa pessoa diziam que era uma, não demorou muito para que a cidade se dividisse em 50 facções diferentes com nomes diferentes que as feministas chamaram de "espécies de homens".

Sim, essa é a história mais idiota que já se ouviu. Provavelmente elas teriam trazido algum Joselito entre elas e provavelmente apagaram de sua memória qualquer contato com ele. Esse conflito foi chamado de "Era ameaça invisível", tal como aquele filme o Stealth.

Emancipação[editar]

A emancipação marcou o fim da era Stealth quando houve uma Pax Ubiratã para tornar a cidade independente. Foi quando todas notaram que a culpa era dos homens das outras cidades. A prefeita decidiu emancipar a cidade, adquirir equipamento e marchar para destruir as cidades vizinhas à Ubiratã.

Tudo não passava de uma desculpa para 5 mil mulheres fugirem de Ubiratã e não voltarem mais, pois o lugar era entediante. Atualmente, homens convivem no meio dessa cidade que um dia teve sua era de Holocausto masculino, as fofocas ainda não cessaram pois é o que há de se fazer lá.

Pontos úteis[editar]

  • Bares, para homens entediados.
  • Praça, para mulheres entediadas.
  • Saída da cidade, para dar o fora dali logo.