Urso bipolar

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Urso bipolar (ou urso sul-nortense, ou urso norte-sulista, ou nanuq-depressivo[1]) é uma espécie de urso nativa tanto da regiá ártica quanto da Antártica. Estes ursos migram entre os Pólos Norte e Sul, buscando um clima hibenal durante o ano todo. Seus humores se alternam entre "altos" estados de excitação (chamados norte) e "baixos" estados de depressão (chamados sul). A razão desta alternância geograficamente-determinada de humor confunde tanto os psicanalistas mais experiêntes quanto os próprios ursos.

É bastante comum cometer o engano de se pensar que os ursos bipolares vivem apenas no polo norte, onde eles normalmente são observados em seu habitat natural agindo de forma selvagem e imprevisível, escalando e provocando desmoronamento de iceberg (com grande impacto sobre as condições de degelo das calotas polares), pescando salmões mesmo durante a época de desova (ao ponto de acabar com as reservas deste peixe, e levando-o a quase extinção), saltitando sobre iglus, criando confusão nos botecos, ou participando de alguma revolução armada. Do lado oposto, praticamente não são vistos na Antartica, segundo os psicanalistas, devido ao isolamento induzido pela depressão. Existe ainda uma teoria de que eles só não são vistos ao sul porque ninguém mora lá para vê-los.[2]

Tabela de conteúdo

[editar] O pólo maníaco

Ursos maníacos tentando pegar carona pra curtir o verão na Bahia.
Urso bipolar sendo detido para internamento.

Os ursos, vivendo no norte, tendem a agir de uma maneira que sugere a exaltação, a euforia, a irritação, e/ou a suspeita. Têm uma energia substancial e podem rujir o sem parar por horas. Têm ainda um senso criativo aguçado, o qual usam para maquinar planos grandiosos, muitos dos quais têm culminado em conflitos com vários governos humanos.

Em 2003, por exemplo, um pequeno grupo de ursos bipolares ocuparam a Ilha de Hans, pondo a baixo as bandeiras, tanto dinamarquese quanto canadense. Para tanto, os ursos embebedaram dinamarqueses e canadenses com licor, invadindo a base onde ficam as bandeiras, e se recusando a sair. Isso ocasionou uma crise internacional, mas as tensões se disferam quando os ursos migraram para o sul, no verão.

ocorreu no Pólo Norte em dezembro de 2005, quando os ursos começaram a abrir os presentes de natal alguns dias antes de serem entregues, exigiram que as renas os ensinassem a voar. Foi então que um grupo internacional de psicanalistas foi convocado para ministrar alguns psicotrópicos com a desculpa de que eram pílulas de voar. De qualquer modo, os ursos se satifizeram com a sensação de lutuar, ainda que os especialistas reafirmem o fato deles nunca terem tirado as patas do chão.

[editar] O pólo depressivo

Um urso muito deprimido.

Psicanalistas na Antártica descrevem ursos bipolares experimentando "tristeza, culpa, isolamento, solidão, fatiga, e falta da motivação". Biólogos especialistas em vida selvagem os discrevem "hibernando". Todavia, terapeutas foram introduzidos em seu meio a fim de prestar assistência a esses animais deprimidos, alcançando algum sucesso. Foi enviada, em uma ocasição, um grupo de pinguins das redondezas, para combater os sentimentos de amargura e a dor dos ursos. Estes pinguins usaram de seus passos engraçadinhos e outras peripécias para animar os ursos.

Nenhuma causa da depressão dos ursos pôdea ser distinguida. Sua mais que suficiente cobertura de pêlos e um suprimento generoso de gordura de baleia contribuíram para mantê-los bem isolados de observadores de baixa reputação que especulavam seu comportamento.

Além disso, os ursos não aceitavam sua depressão, e passaram a maior parte do tempo camuflados.

[editar] Possíveis explicações

Foi levantada a hipótese de que ursos bipolares sofram de disordem afetiva sazonal, embora esta teoria não explique a razão deles serem deprimidos durante o inverno, no sul e maníacos no inverno do norte.

Uma teoria um pouco mais popular reza que o estado mental dos ursos tem relação direta com sua dieta. Parece haver "algo de peixe na carne inspecionada", comum ao norte; ou ainda, os humanos ingeridos frescos ao norte, parecem ter substâncias sobrenaturais que deixam os ursos ligadões, resultado da contaminação causada por cerveja barata. Já ao sul, a dieta dos ursos se resume a carne de pinguim, o que é "pobre e desestimulante".

[editar] Acasalamento

Ursos bipolares ao norte, tentando imitar os humanos durante a época de acasalamento.

O acasalamento da espécie ocorre em amobos os hemisférios, mas é muito mais comum no Ártico. No Antártico o acasalamento é letárgico por natureza:

Cquote1.png Docinho, vamos transar? Cquote2.png
Ursa bipolar para seu macho
Cquote1.png Pode ser... mas tô vendo o jogo. Quando terminar me avisa... Cquote2.png
Urso bipolar bebendo uma na Antártica, respondendo.

No Ártico a coisa é mais "em cima da pia, debaixo da escada, primeiro a patroa depois a empregada". Algumas vezes, um dos dois (ou os dois) surtam e resolvem por o urso cinzento na roda.[3]

Ursos bipolars tentam copiar os ritos de acasalamento humanos, muito embora, na maioria das vezes isso seja impraticável. Eles parecem usar de maneira confusa os rituais de flerte humanos. Alguns, por exemplo, ferem-se gravemente na tentativa de tirar a pele de forma sedutora. São, no entanto, especialistas na pole dance.

É preciso notar a distinsão entre ursos bipolares e ursos bi-polares. Este últimos nada mais são do que ursos polares comuns, porém com uma opção sexual variada, acasalam-se com ambos os sexos. Já os primeiros, são maníacos-depressivos, mas podem ter qualquer orientação sexual. A confusão aumenta ainda mais pelo fato de que, quando estão no estado maníaco, os ursos bipolares topam transar com qualquer um ou qualquer coisa ao seu redor.

[editar] Ursos Bipolares e a cultura popular

Olha que fofinho, que bonitinho...
  • Ursinhos de pelúcia bipolares vêm se tronando muito populares no Hemisfério Sul, onde são retratados como ursos fofinhos, queridos e felizes, como se não houvesse nada errado (disfarçando uma depressão profunda, mais ou menos como um emo). No entanto, aqueles que conhecem os ursinhos bipolares no Hemisfério Norte, sabem muito bem como é difícil dominar um grupo desses bichinhos estofados quando se revoltam e resolvem comer criancinhas. Numa dessas ocasiões, isso acabou se tornando uma "caçada ao urso de pelúcia", quando homens armados com rifles estouraram os miolos de ursinhos, horrorizando as crianças que assistiam tudo. A tal caçada é bastante contestada, além do que, os caçadores insitem que estavam somente tentando controlar a população dos ursos de pelucia bipolares.
  • Cachinhos Dourados e os Três Ursos Bipolares abriu o Festival de Cinema Dramático de Estocolmo em 2007. Os ursos saíram de si ao constatar que Cachinhos Dourados havia comido as três tigelas de mingau. Eles fitaram a atriz trançada lambendo os beiços, mas foram convencidos pelo diretor a apenas executar seus passos de dança como costumavam fazer no circo. Seus pulos e saltos selvagens, acompanhados de passos de tango-quickstep-samba, ao som de In the Mood Swing lhes rendeu calorosos aplausos em pé por cinco minutos.
  • A Coca-Cola usa ursos bipolares em seus comerciais. Fica evidente que eles só podem ser ursos bipolaes, uma vez que a Coca-Cola não pode ser tão burra a ponto de pôr ursos polares comuns com pinguins, no mesmo habitat.
Toonie-reverse.jpg
  • A moeda de CND $2,00 tem estampados um urso em cada face. Um deprimido (na parte de baixo) e um maníaco (na parte de cima).[4]
  • Embora Fozzie, o urso dos Muppets mostre claramente alternâncias entre mania e depressão, ele não pode ser da espécie bipolar, uma vez que ilustra ambas as fases simultâneamente e não alternadas (o que não significa que Os Mappets não tenha sido filmado no Equador).

[editar] Estado de conservação

O debate sobre o possível risco de extinção dos ursos bipolares tende a uma polarização. Alguns biólogos exijem a inclusão dessa espécie na lista dos animais protegidos, visto que outros insistem que estes ursos não podem estar correndo risco de extinção, já que, segundo estes, os ursos bipolares não existem nem nunca existiram.

A posição defendida pelos mais céticos resultou na redação de um manifesto pela Comissão para Desmascaramento do Mito do Urso Bipolar (CDMUB), do qual faz parte um famoso paraproctologista (ok, é o Padre Quevedo). Neste manifesto lê-se: "se a existência do urso polar está sendo questionada, é evidente que estes ursos non eczistem." Os ursos reagiram afirmarando que colocarão o padre na sua lista de animais em extinção.

Já os ambientalistas afirmaram que tanto o urso bipolar quanto o Padre Quevedo são animais à beira da extinção e precisam receber cuidados especiais. Leis de proteção contra a caça e cuidados psiquiátricos para ambos.

O assunto continua em debate e um novo relatório deve ser apresentado na 6587ª rodade de debate, a ocorrer no próximo dia 30 de fevereiro de 2012, em Spitsbergen, Noruega, ocasião em que se promoverá um jantar beneficente seguido do debate, pré-intitulado, apropriadamente, Sobrevivendo em Meio ao Selvagem.

[editar] Ver também

[editar] Notas de rodapé

  1. Nanuq significa Urso bipolar em inuktitut javanês.
  2. Bad Panda News, teoria do urso não visto.
  3. National Geographic "Encontrado híbrido Cinzento-BiPolar -- O que significa isso?" (16 de maio de 2006).
  4. A coroa fica por baixo, por que é tradicionalista.
Bafômetro com 300 ml de álcool grátis
Urso bipolar é papo de doido!

Ele pode falar sobre alguma coisa doida, alguém doido, ou foi escrito por um doido. Se você mora num hospício, onde tudo que se tem pra comer é gelatina, é recomendável não ler o artigo. Mas se você é como os nerds da uiquipédia, sem nenhuma gota de doideira, fique à vontade!

EU NUM TÔ LOKO!!!
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas