Uruguai

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Uruguay.svg
Uruguai.jpg
¡¡¡Esto artículo es cisplatino uruguayo!!!!!!
Portanto, ele teme ao Brasil, seu sonho é ser que nem o Paraguai e odeia ser confundido com argentinos.
Compre seu alfajor, prepare o mate e entre no universo da Banda Oriental, carajo!


Discionario em png.PNG
O Descionário possui um verbete sobre Uruguaio


●Argentina Oriental
●Estado em Guerra da Cisplatina
●Uruguai

Bandera del Mate de Uruguay.png Brasão do Uruguai.png
Bandeira Brasão
Lema: Independência ahora!
Hino: Los Hinchas Carboneros - Hinchada Manya
GEOOOUruguai.jpg
Capital Montevidéu
Maior Cidade Puta Punta Del Este
Língua Portuñol, Espanhol, Gauchês
Tipo de Governo Socialismo Separatista
Presidente da província Gaúcho da Fronteira
Heróis Nacionais José Artigas, Juan Manuel Rosas, Loco Abreu, Álvaro Recoba, Diego Forlán
Independência 23/08/1821 (de facto, nunca reconhecida)
Moeda Folhas de erva mate
Religião Catolicismo (66,6%), Evangelismo
População 24,11 milhões de habitantes
Área 6250 campos de futebol (0,24% de água)
Analfabetismo 3,5%
PIB per Capita US$ 2.578,51 USD/hab.
IDH 0.805
Fuso Horário AZT (Acre's Zone Time) + 2
Clima Quente e úmido
Site do Governo [1]
Cquote1.pngVocê quis dizer: Cisplatina?Cquote2.png
Google sobre Uruguai

Cquote1.png Quase que eu conquisto esta merda! Cquote2.png
Dom Pedro I sobre Uruguai (ou seja, Cisplatina)
Cquote1.png Esse Juan Manuel Rosas é um baita dum FILHO DA PUTA!! Cquote2.png
Duque de Caxias sobre a guerra de independência da Cisplatina
Cquote1.png OWNED!!! Cquote2.png
Juan Lavalleja sobre a Batalha do Passo do Rosário, onde os castelhanos sodomizaram o Brasil
Cquote1.png Sabe como se faz um uruguaio? Pega um espanhol, um italiano e um pouquinho de merda. Preste atenção, um pouquinho só, senão vira argentino! Cquote2.png
Seu tio engraçadão sobre o Uruguai
Cquote1.png Se não fossem esses malditos brasileños, já teríamos dominado o mundo! Cquote2.png
Juan Manuel Rosas sobre Guerra Platina
Cquote1.png Soy uruguayo, pero mismo así, isto no ecziste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Uruguai

O estado do Uruguai é uma província rebelde do Brasil, cujo verdadeiro nome é Cisplatina. Seu território é revindicado formalmente pelo Brasil, mas sem muito entusiasmo. Depois de muito tempo após descoberto , tornou-se uma monarquia, foi anexado ao Brasil e adquiriu status de província. No entanto, movidos por inveja, os argentinos inflaram os uruguaios para que os mesmos conquistassem o Brasil a independência, em um jogo de truco cuja legitimidade ainda não foi provada. Apenas o que se sabe é que o representante da Argentina teve de dar o toba ao final da partida.

Tabela de conteúdo

[editar] História

A nova bandeira do Uruguai após a declaração de independência, que nunca foi reconhecida.

A região dos pampas uruguaios eram povoadas por tribos de bois índios desde os tempos pré-Dercyanos e a região é muito conhecida por seus sítios arqueológicos. Há cuias de chimarrão de cerca de 200 a.C. na região, comprovando que a cultura gaúcha já existia antes do descobrimento da América. Acredita-se que os índios habitantes da região dos pampas e adjacências já eram exímios pastores e sabiam com muita habilidade ordenhar o touro a vaca da tua mãe.

Com a descoberta da América por Pedro Álvares Cabral Cristóvão Colombo,em 1680 os portugueses,a mando de Manuel Lobisomem,fundam a Bem Leal e Homossexual Colônia do Sacramento,em frente à capital portenha.Em 1777,a região do Uruguai passou a pertencer ao Vice-Reino do Prata, que nada mais era do que uma região da América do Sul que estava sendo sodomizada pelo Império Espanhol, como já era de praxe no sistema colonial Luso-Hispânico. A exploração de minérios e a criação de gado foram as principais atividades desenvolvidas pelos espanhóis (na verdade eram os índios escravizados que faziam todo o trabalho, mas ninguém quer que você saiba disso), além dos portos que supriam a região do vale do prata, importante rota de muambas comercial e econômica da América do Sul. Como nas terras onde hoje está o Uruguai não existe nenhum mineral interessante a ser explorado, o desinteresse em relação àquelas terras foi natural.

Dom João VI, o rei português que anexou a Cisplatina.

Por volta de 1808, quando Napoleão Bonaparte iniciou a sodomização sumária da Europa de acordo com o modelo francês, a família real portuguesa amarelou e deixou Portugal antes mesmo de receber a declaração de guerra da França, que constituiu na Fuga da Família Real Portuguesa para o Brasil, a mais acachapante humilhação da História de Portugal, mas o melhor que poderia ter havido na História do Brasil.

A rainha consorte de Portugal, Carlota "Cabrón" Joaquina, esposa de Dom João VI, como boa espanhola, desejava que Portugal conquistasse anexasse o Vice-Reino do Prata. Para satisfazê-la, Dom João VI anexou a Cisplatina, a fim de evitar dormir no sofá e perder o lanchinho da meia-noite. Ao contrário das expectativas do rei, Carlota se satisfez com a anexação da região, pois desta forma ela não precisava atravessar a fronteira e mostrar o passaporte para se encontrar com seus amantes que viviam no Vice-Reinado.

No entanto, os pampas uruguaios já estavam enraizados na cultura espanhola, e não queriam se unir ao Império Brasileiro nem fodendo. Desta forma, a Confederação Argentina, chefiada por Juan Manuel Rosas, decidiu instigar os uruguaios a pelear pela independência, o que, de facto, aconteceu.

Carlota Joaquina, a rainha que começou a merda toda.

O conflito foi chamado de Guerra Cisplatina ou Guerra das duas Rosas (nome este dado pelo Exército Brasileiro ao perceber que tanto os uniformes argentinos quanto uruguaios eram rosas). O conflito militar durou alguns anos, já que a Argentina se meteu no meio e o Brasil não iria perder uma oportunidade dessas de dar umas bochas em los hermanos do outro lado do Prata. Embora o Brasil tenha vencido o conflito, o estado Uruguaio insiste em querer ser independente, mas pelo menos não quer se unir à Argentina (até que esses uruguaios não são bobos).

A participação do Uruguai na Guerra do Paraguai foi modesta. Acredita-se que a conquista do Uruguai (apenas para mudar o nome, já que Solano não queria outro país com a sílaba guai no nome), juntamente com a conquista da Argentina eram os principais planos militares de Solano H. Lopez, o comandante máximo do exército Paraguaio durante a guerra. Quando H. Lopez foi questionado sobre uma possível invasão paraguaia sobre o Uruguai, ele respondeu:

Cquote1.png There can be only one! Cquote2.png
Solano Lopez sobre O fato do Uruguai e o Paraguai terminarem ambos em 'guai'

Atualmente o Uruguai continua como um estado separatista, mas apenas a Argentina reconhece sua independência (como se isso valesse de muito). Para o resto dos países, o Uruguai faz parte do Brasil, e, na verdade, nunca deixou de fazer, já que a Guerra Cisplatina foi considerada uma revolução interna. Lá pelos anos 1970, alguns militares deram um tal de golpe, e lutaram contra uma ganguezinha de esquerda, uns tais de tupamaros. O governo brasileiro fez de tudo para abafar o caso, ordenando que o exército uruguaio acalmasse as coisas, o que não foi difícil mediante o assassinato de mais de oito mil opositores. E a paz reina até hoje nas terras da Banda Oriental, ou não.

[editar] Cultura

Uruguaios preparando um almoço pacato em plena semana.

A cultura uruguaia é estritamente relacionada à cultura espanhola (a nacionalidade, não a prática sexual), misturada em parte com alguns hábitos oriundos da cultura gaúcha. Eles tentam alegar que os gaúchos, legitimamente, são eles, mas desde que o Gaúcho da Fronteira ameaçou "dar um planchaço de facão no lombo de cada um", acabou essa frescura. Os uruguaios são grandes apreciadores de churrasco e a famosa costela uruguaia é um prato apreciado em todo o mundo (digo isso por experiência própria). O hábito da siesta também é muito enraizado na população, de forma que, se não dormem, ficam chatos pra caralho. Os uruguaios odeiam serem confundidos com argentinos, provavelmente por causa da Guerra das duas Rosas, que acabaram por perder devido à ajuda e estratégia militar argentina. As relações com esse país são meio controversas, há um misto de admiração aos portenhos e puxassaquismo aos brasileiros. Como convenção, costuma-se dizer que os uruguaios cortam para os dois lados. Todavia, um acontecimento machucou profundamente o sentimento nacional, e fez com que muita gente tivesse ódio dos argentinos: a questão do tango.

A dança supracitada foi criada em Montevideo, mais precisamente em algumas casas noturnas de divertimento masculino. O pessoal do outro lado do Prata, morrendo de inveja, mandou alguns espiões para a cidade, e estes roubaram algumas partituras, entre elas a da música La Cumparsita, e levaram para Buenos Aires. A revolta no país foi enorme, mas como os uruguaios não tem nem um estilingue para matar passarinhos, desistiram de lutar em nome do resgate da música e da honra. E ficou por isso mesmo, a capital argentina com as charmosas casas de tango, e a capital uruguaia, bem...

Outro aspecto cultural muito embriagante interessante do Uruguai são as suas excelentes cervejas de um litro. As marcas Partícia, Norteña, Polar e Quilmes se destacam de forma notável nos círculos etanólicos de todo o mundo, apesar desta última ser de fabricação argentina, o que é muito pouco importante saber quando se está tchuco. A música uruguaia é muto semelhante à música gaúcha, mas com uma dose expressiva da música argentina, formando a bagaça que conhecemos hoje. Algumas bandas de rock, como La Vela Puerca e No Te Va Gustar, que muitíssimo provavelmente você não conhece, às vezes conseguem se destacar e ter seus quinze minutos de fama ou gravar um CD demo.

[editar] População

Típico habitante do Uruguai.

A população uruguaia é composta de cerca de 24,11 milhões de habitantes, que estão espalhados pelo globo pela região dos pampas uruguaios, numa densidade demográfica de 51 hab/km². A população é predominantemente índia com traços de adulteração espanhola e a religião dominante é a Igreja Caótica Igreja Católica. A grande maioria da população vive na zona rural, onde criam gado, que é a base da economia uruguaia. Os poucos uruguaios que vivem em cidades, geralmente tem suas casas no campo, ou então vivem em casas alugadas ao redor das cidades do país. Muitos uruguaios, inclusive, jamais pretendem deixar de pastar no o campo, como caraterística da cultura uruguaia, que valoriza muito o trabalho no campo e a ligação do homem com o animal.

A população uruguaia possui grandes laços com a população gaúcha e alguns com a Argentina, afinal de contas, é preciso ter alguma postura amigável com os vizinhos, e como o exército uruguaio não é tão poderoso para conquistar a Argentina guardar as fronteiras, então é melhor evitar arranca-rabos (pelo menos por agora). Com o Brasil, devido aos atritos decorrentes da Guerra das duas Rosas, os uruguaios sentem-se profundamente machucados por dentro e atualmente estão de mal com a terra do samba e com os brasileiros, embora ninguém se importe com isso.

[editar] Educação

A educação uruguaia prepara a criança e o jovem principalmente para a vida no campo, como burro de carga elemento fundamental de movimentação da economia e cultura uruguaias. Inclusive, o trabalho infantil é muito comum no Uruguai, onde as crianças já pegam na enxada muito cedo (ao contrário dos vagabundos dos brasileiros, que, por lei, só podem pensar em começar a trabalhar a partir dos 16 anos). As escolas uruguaias de ensino fundamental e médio focam de forma especial a cultura do país, para que a criança e o jovem possam assimilar valores e conhecimento, entre outros enchimentos de linguiça estipulados pelo Ministério da Educação Uruguaio. Contudo, nem tudo é tão agrário e primitivo. Toda criança regularmente matriculada na escola recebe inteiramente de grátis um netbook, o ceibalito. Nele, podem ser encontrados uma série de programas educativos. Destaca-se, dentre esses o Colheita Feliz. Tal software mostra-se utilíssimo na preparação das crianças para a vida no campo, demonstrando uma série de métodos e macetes para obter uma boa produtividade em uma propriedade rural. E aluno que tira nota dez na escola, recebe cinco moedas verdes de bônus!

As instituições de ensino superior (vulgas faculdades) são conhecidas pela enorme quantidade de dorgas qualidade inquestionável do ensino e da estrutura dos núcleos de suruba universitários, além dos descontos que as cervejas de um litro possuem dentro dos bares e repúblicas universitárias, o que comprova os incentivos do governo na educação etanólica e no alavancamento da cultura do país. De fato, uma aula de uma universidade uruguaia que não possua cerveja (em especial nos cursos de Engenharia), ou é dia de prova, ou é dia de luto. No Uruguai, o sinal de entrada para o início do período de aula é mudado do sinal de alarme para o sinal do estalar de uma tampa de cerveja ao ser aberta.

[editar] Economia

A pecuária é uma das mais importantes atividades econômicas da Cisplatina do Uruguai.

A economia uruguaia é essencialmente voltada a cuidar de vacas pecuária, agricultura e ouras atividades típicas do meio rural, como a sodomização de cabras por parte dos garotos uruguaios. A indústria de couro e carne é muito expresiva e as costelas e mulheres uruguaias são muito apreciadas no Brasil, Argentina, Acre Chile e no Inferno.

Os latifúndios (herança do passado brasileiro) de monoculturas ocupam cerca de 66,6% das terras do país, geralmente a região dos pampas. As principais monoculturas são a soja, o trigo e o milho, onde o grão de milho é vendido ao exterior e usado internamente para produção de pipocas, a palha é usada na confecção de cigarros, paieiros e outros análogos e o sabugo abastece ardentemente a indústria de higiene íntima uruguaia.

A localização estratégica do Uruguai como margem do Rio da Prata (e por separar em parte a Argentina do Brasil), faz com que seja uma região que concentra atividades de comércio marítimo e como polo escoador de muambas da produção econômica uruguaia e da produção brasileira (ou seja, apenas soja).

[editar] Atrações Turísticas

Cquote1.png Não foram encontrados documentos correspondentes... Cquote2.png
Google sobre Atrações turísticas do Uruguai

O Uruguai é um grande atrativo para turistas que queiram gastar pouco, beber muito, comer carne feito um ogro e passar um período como celibatário, no caso de homens solteiros. Para visitar, há uma série de monumentos e belezas naturais, ou não, nas seguintes cidades:

  • Colônia do Sacramento: Cidade-símbolo da presença e domínio luso-brasileiro em terras uruguaias, tendo sido objeto de disputa entre Portugal e Espanha por umas duas centenas de anos. Lá podem ser visitados um mol de prédios dos séculos XVII e XVIII, ou seja, só é interessante para historiadores;
  • Puta Punta del Este: Se você está juntando moedas para comprar um Playstation, ou se tem um carnê nas Casas Bahia, nem pense que um dia conhecerá Punta. Uma cidade onde você poderá encontrar coisas que não existem no resto do país todo: mulheres bonitas, comida não gordurosa e muito dinheiro.
  • Montevideo: A cidade nada mais é do que uma Buenos Aires em versão bonsai. Os prédios, a comida, o tango. ou seja, tudo o que você encontra na Argentina, mas mais barato e vendido por um atendente simpático.

[editar] Política

Gaúcho da Fronteira, o gerente geral do Uruguai da Cisplatina.

Pelo fato de ser uma província rebelde do Brasil, o Uruguai (vulga Cisplatina) não possui um presidente, mas um gerente governador, eleito por voto direto, assim como nos outros estados brasileiros. No entanto, devido à atitude separatista, o presidente ditador do Brasil nomeou como gerente geral da bagaça província o Gaúcho da Fronteira, que está governando a região com mão de aço ferro. Contudo, o brilhante político anteriormente citado é uma pessoa bastante tímida, e preferiu nomear um sock puppet para aparentemente exercer o cargo. Este se chama Tabaré Vazquez. Em 2010, assumirá esse humilhante posto o senhor José Mojica José Mujica.

[editar] Geografia

A geografia do território uruguaio é básicae únicamente composta de planícies e/ou planaltos, com grande quantidade de coxinhas coxilhas e pampas, que nada mais é que grama alta (vulgo capim), praticamente um mato, que é muito apreciado por vacas, cavalos, tua mãe burros e você outros quadrúpedes ruminantes cuja base alimentícia é grama e capoeiras diversas.

As coxilhas e pampas favorecem a pecuária e a agricultura devido às características altamente planas, o que poupa o excesso de investimentos, instrumentos e o trabalho de inúmeros vagabundos que vivem na região, provavelmente fugidos das regiões andinas (ou seja, Chile e Peru), onde era preciso se foder para plantar em terraços no meio das montanhas ou viver apenas de lhamas, tal como vivem os andinos.

Pelo fato de estar na desembocadura (Ui!) do Rio da Prata, o Uruguai é de grande importância marítimo-militar para toda a América do Sul e, em especial, para o Paraguai como via de escoamento de muambas e para o Centro-Oeste do Brasil, além de separar parte do Sul do Brasil da Argentina, embora faça parte da nação tupiniquim.

O clima uruguaio é temperado com muito sal grosso e um pouquinho de alecrim, mas relativamente quente, devido ao grande volume de churrasqueiras acessas tostando gordos pedaços de picanha. A única coisa que incomoda no agradável clima uruguaio é o chamado pampero, um vento sem costumes que vem, logicamente, das bandas argentinas. A vegetação é bastante diversificada, contendo ricas espécimes como grama, capim, pasto, capoeira e mais uma infinidade de plantas.

[editar] Subdivisões


O Uruguai está subdividido em mais de oito mil cerca de 14 províncias, todas elas governadas por sub-governadores, que são eleitos por voto direto ou por meio de fraude. estas províncias correspondem à base econômico-política do estado e estão sodomizadas subordinadas ao governo estadual e ao governo geral, que é proveniente do Brasil.

[editar] Esportes

O Uruguai tem alguma tradição em esportes coletivos, muito embora seja bastante difícil conseguir formar as equipes, mesmo que seja para uma partida de vôlei de praia. A sorte garra é sempre o elemento de destaque em qualquer atuação esportiva uruguaia, para compensar a escassez de atletas e de talento. Conta-se que, na Copa do Mundo de Futebol de 1930, por falta de jogadores, alguns bois, marrecos e cavaletes de pintura tiveram de completar o escrete celeste.

Glória mais atual do futebol uruguaio: o gol de Chiggia na Copa de 1950.

O esporte supracitado é o que mais alegrias deu ao povo uruguaio. O tempo passado na frase anterior deve ser bastante ressaltado, porque faz muito tempo que o futebol do Uruguai não ganha nada. Até hoje, pode-se ver as pessoas, sentadas nos bancos da Plaza Independência, discutindo os lances de Ghiggia e companhia, e saindo rumo aos bares da Peatonal Sarandi para beber e comemorar o triunfo sobre o Brasil. O detalhe que não pode ser omitido: isso aconteceu na Copa do Mundo de Futebol de 1950. Imagens da disputa são exibidas pelos canais de televisão local, diariamente, no encerramento de cada transmissão, ao invés do hino nacional. Atualmente, todo mundo sabe que a seleção sempre ficará como quinta colocada nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, e sempre será eliminada na primeira fase da competição. Há regras em que a exceção não tem condições de atuar, mas mesmo assim atuam- o que denota uma exceção no que foi afirmado anteriormente, o que deixa essa reflexão muito complexa e, por conseguinte, inútil. Acreditem, o Diego Forlán Uruguai foi quarto colocado na Copa do Mundo de Futebol de 2010...

Por sua vez, os clubes nacionais já tiveram alguma força no cenário continental e mundial, contudo, hoje em dia participam apenas na condição decorativa. Especula-se que essas instituições, como o Nacional e o Peñarol, tenham um contrato com a Confederação Sul-Americana de Futebol, onde recebam algum dinheiro (alguns maldosos dizem que o pagamento é efetuado em pacotes de erva-mate, versão nunca confirmada) para não serem campeãs das competições realizadas pela entidade.

O Uruguai é um país cuja população tem certa admiração por esportes escrotos, como o rugby. Tal prática configura-se como uma cópia descarada do futebol americano, que adaptou-se bem ao solo uruguaio, devido à grande oferta de campos para a prática desse esporte, que exige um espaço bastante amplo, para que a bola, chutada com bastante força, não quebre nenhuma vidraça. O mesmo pode acontecer com partes do corpo humano, que podem ser decepadas em jogadas normais. É um divertimento saudável para a juventude uruguaia.

[editar] Ver também

Flag-map of Uruguai.png Uruguai
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas