V.I.P.: Starring Pamela Anderson as Vallery Irons

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg V.I.P.: Starring Pamela Anderson as Vallery Irons é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Navi fica enchendo o saco de Link.

Quic Time Event: The Game
VIP game cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Ubisoft em começo de carreira
Publicador Ubisoft
Ano 2001
Gênero Simulador de quick time event
Plataformas Play 1 velho
Avaliação 2/10
Idade para jogar Livre

V.I.P.: Starring Pamela Anderson as Vallery Irons é um quase-eroge, similar a um jogo do gênero apenas nos quesitos: Ter uma foto da Pamela Anderson de lingerie e controles simplificados (deduzindo que o jogador esteja com uma das mãos ocupadas - embora para esse jogo seja impossível se excitar). É um jogo para Play 1 velho que ninguém sabe que existiu.

Jogabilidade[editar]

Leah Lail tentando compreender o gráfico da média móvel de mortes por coronavírus.

Este mini-game interativo proporciona até 2 horas de quick time event para o jogador. Deduzindo que quem comprou essa porcaria tem sérios problemas mentais, os desenvolvedores criaram um jogo que joga por você. A única coisa a ser feita é assistir as cutscenes toscas, os bonecos andando e dando golpes, e apenas eventualmente apertar as combinações de quick time event que surgem na tela.

Em alguns momentos até tem tiroteios. Nessa hora o jogo se torna um clone de Virtua Cop estático no qual os inimigos fazem fila pra tomar tiro feito um bando de imbecis.

Enredo[editar]

Nesse jogo controlamos uma prostituta de luxo chamada Pamela Anderson que, como o título do jogo sugere, está com codinome "Vallery Irons" para atender sua clientela. Pamela e suas amigas trabalham num prostíbulo de luxo chamado V.I.P. e atendem seus clientes por telefone. O principal cliente da casa é o Doutor Bumbum, o grande responsável pelas próteses de silicone e harmonização facial que fizeram a Pamela Anderson e todas suas amigas ficarem parecendo bonecas de plástico. Esse doutor, que obviamente cobra suas consultas e procedimentos com vale-puteiro - o que faz dele um cliente VIP daquele estabelecimento - está em sua sala de cirurgia em sua mansão sem qualquer aparato adequado e descumprindo todas normas de vigilância sanitária da ANVISA, e por isso ele foi cercado por agentes da Polícia Federal que desejam fechar o estabelecimento. Cabe a Pamela Anderson comparecer no local e surrar, com golpes de bolsa e pontapés, os vários delegados ali presentes de terno. Posteriormente também chega ali a sua amiga, Natalie Raitano, que é mais radical e fuzila todos os agentes da polícia federal. As duas putas insistem que nenhuma sequela grave resultou do silicone industrial implantado em seus peitões em formato de bolas de boliche e o hidrogel injetado em suas bundas que exercem magnetismo sobre diamantes atraindo as joias para o cu delas, e que portanto não seria adequado fechar aquele consultório de cirurgia plástica. Como esse resgate está sendo feito por duas prostitutas e não por duas ex-agentes da SWAT, o resgate é feito da forma mais imbecil, com direito a sair correndo de costas para um agente da Polícia Federal armado num sniper rifle.

Duas prostitutas tentando salvar o consultório de cirurgia plástica local.

Num momento seguinte controlamos Molly Culver, uma outra puta que trabalha no puteiro VIP, ela descobre que a Polícia Militar veio investigar denúncias de exploração sexual no local, por isso ela faz o stealth mais burro para chegar numa lan house e fazer o pedido de socorro. Lá ela encontra outra putinha do bordel, a nerd Leah Lail que está tentando entender o gráfico da média móvel de mortes por coronavírus. Depois disso, Molly se cansa do stealth e vai dar porrada nos agentes da polícia militar, alegando que ninguém está sendo explorada naquele puteiro e que todas as moças estão ali por vontade própria.

Enquanto isso, Pamela e Natalie vão com um negão pra um motel para lucrar bastante num threesome, mas surge um monte de empata-foda e os três precisam lidar com a situação espancando e dando tiros nesses inconvenientes. Pamela reconhece que aquilo foi uma trama de um ex-cliente não pagou, e ela persegue o caloteiro até uma praia onde enfia uma surra nele até o malandrão pagar a noitada que estava devendo.

Por fim,. Molly vai rodar a bolsa num shopping onde acaba enfrentando um tiozinho de sniper. Enquanto isso alguém colocou uma bomba no escritório do puteiro, um atentado misógeno contra as putas do estabelecimento e o responsável pela bomba depois acabam descobrindo ser um mafioso broxa que odeia prostitutas. Para se vingar do maldito, Pamela e suas amigas sobem no alto de uma torre e surram o grande vilão antes dele fugir de helicóptero.