Vandalização abstrata

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Vandalismo abstrato sendo combatido na Desciclopédia. A adição de uma imagem com resolução horrenda também é um vandalismo abstrato já que ninguém, fora o autor, vai entender o porquê de uma imagem tão tosca no artigo. Clique na imagem para ampliar.

A vandalização abstrata, vandalismo abstrato, abstração vandalizadora, vandalismo mongolóide ou vandalismo selvagem, por Vandal Savage, é mais uma forma de vandalização registrada nos anais da vandalização mundial. Entende-se por vandalização abstrata qualquer forma de vandalismo com cunho ininteligível, ou seja, mongolices dos vândalos. Mongolices para quem não entende pois para as pessoas que entendem o motivo do vandalismo fica muito claro todo o contexto direto contido nas palavras, imagens e sons produzidos na fanfarronice aplicada.

Surgimento[editar]

O vandalismo abstrato, apesar de suas raízes albanesas que remontam à Idade Média, é uma forma vandalizatória recente, criada após a Segunda Guerra Mundial, na região da Bóstia. Assim como o vandalismo chinês através de biscoitos da sorte e do vandalismo dissimulado turco-cipriota, o vandalismo abstrato teve seu início motivado pelo objetivo bósnio de expressar seu sentimento anti-sérvio nas propriedades do governo iugoslavo, através de mensagens ocultas em um emaranhado de letras, popular sopa de letrinhas, sem nexo ou noção. Quando surgiu uma frase vandalizatória abstracionista em uma parede da sede do governo, os sérvios acreditavam ser uma frase em croata. A frase era a seguinte: ajhasgrasrjh asyar ajgrajsr khgawuyjg bjhrgratuif wuwtfifurgan rwruwrf waygwgi rwu nrwiuyf iawrywng wriuwrr ughkg wryrw. Esta frase realmente se assemelha a um texto no idioma croata escrito por um torcedor semi-alfabetizado do Dinamo Zagreb (uma espécie de Flamengo da Croácia), o que confundiu um pouco os militantes sérvios, que, mesmo depois de todos os esforços, não conseguiram decifrar a origem do vandalismo e, portanto, deram com os burros n'água. Surgia assim uma forma de vandalismo ideológico que não deixava transparecer os reais significados.

Tipos de vandalismos abstratos[editar]

  • Vandalismo meio abstrato: Um vandalismo em fase de transgressão. Neste formato, o vandalismo deixa de ser totalmente explícito para tornar-se oculto. Um exemplo desta fase é a frase Funk Buch, rabiscada no muro do consulado estadunidense na Síria. Acredita-se que esta frase não seja realmente um vandalismo abstrato e sim um erro de escrita inglesa.
  • Vandalismo abstrato ameno: Uma fase mais agressiva que o vandalismo abstrato meio abstrato, que chega a ser quase indie. Nesta fase, uma frase pode ser totalmente disfarçada. É o caso de Ue Udieo a Disceclpidia, que significa Eu Odeio a Desciclopédia. Se um usuário escrevesse a frase Eu Odeio a Desciclopédia em um artigo qualquer, certamente seria banido por ofender a verdade absoluta mas se um usuário escrevesse a frase Ue Udieo a Disceclpidia em algum artigo, no máximo teria suas edições revertidas, mas não seria banido porque nenhum administrador bobão saberia o que está escrito.
  • Vandalização abstracionista fanática: Uma fase mais bombástica. Nesta fase, as frases começam a fazer menos sentido do que o hino do Corinthians. Ela não chega a ser tão emaranhada quanto o vandalismo abstrato ameno, mas a mistura de palavras faz a mente do leitor derreter como queijo pastoso. Exemplo disto é a frase: Cabeça gato porco pisão Xuxa bala mel chocolate frango picado, que foi pichado em um muro de São Paulo.
  • Vandalismo abstrato parlendariano (ou parlendário): Uma frase da pesada que poderia armas altas confusões se não estivesse em modo oculto. Ela pode ser tão subliminar e perigoso quanto uma música da Xuxa ou Balão Mágico. Um exemplo: Eu gosto de laranja. Odeio sapos. Esse porco é rosa. Site da Xuxa. Aparentemente uma frase inocente mas se o leitor separar as primeiras palavras de cada pedaço da frase, notará uma mensagem oculta: Eu gosto de laranja. Odeio sapos. Esse porco é rosa. Site da Xuxa. Um vandalismo com uma mensagem oculta perigosa.
  • Vandalismo abstrato nonsense: Um vandalismo mais insano que o vandalismo abstrato parlendário. Não tem cunho político, embora alguns vândalos use o vandalismo abstrato nonsense para disseminar sua revolta política. Exemplo atualizado desta prática é a frase Manga banana maçã perna de boi rabo de macaco, que significa apenas Manga banana maçã perna de boi rabo de macaco, sem nenhuma mensagem secreta abscôndita oculta escondida. Apesar da semelhança com a vandalização abstracionista fanática, qualquer semelhança é mera coincidência.
  • Vandalização abstrata Klavischkenkoschapolin: Leva o nome de seu criador, o bielorrusso Ivan Narkovsky Klavischkenkoschapolin, que usou pela primeira vez na separação da União Soviética. Consiste em uma série de palavras e letras embaralhadas, que não significam nada, mas enchem o saco. Esta é a vandalização mais notável e utilizada em enciclopédias online. Exemplo: Sjhaeagr qrkuhqqlih irlurklriugrirw irgkryngkrrirgokg roru8ryorrm irgqroirgorgro aehasgbhasghgask. Neste tipo de vandalização, números também pode ser usados.
  • Vandalização abstrata redundante: Bastante popular, a vandalização abstrata redundante mistura características das fases citadas, utilizando um pouco de repetição. A vandalização abstrata redundante pode ser nonsense (Cabeça de porco, cabeça de porco, cabeça de porco...), parlendariana (Você foi. É assim. Emo andando. Você foi. É assim. Emo andando. Você foi. É assim. Emo andando...), Klavischkenkoschapoliniana (khea khea khea khea khea khea khea khea...) ou qualquer outra.
  • Vandalização abstrata parasital: Não é bem uma fase. A vandalização abstrata parasital é mais uma aplicação do que um formato. Consiste em usar alguma fase ou uma mistura de fases da vandalização abstrata em um texto já existente. Exemplo aplicado no próprio conceito: Não é bem umahsdsfh fase. A vandalização abstrata pjaskhaasjhrarasital é mais uma aplicação do que um formato. Consiste em usar alguma fase ou uma mistura bunda bunda bunda de fases da vandalização abstrata me dá um reau em um texto já existente.

Pout-Pourri de vandalizações abstratas[editar]

ashraigiayr akyrgkshrgrjs akrgaikgriarU Akigkigrqkqgqwyqwrgwqrugyqfg 982372376862 HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA bomba klklklkklkklklkl asdf asdf asdf asdf asdf asdf shhsdgdjh jqgwqjagfae jhfjhgefwqytw vaca awjhab aekagi hrgakagag qwywqte qwyewqt wquytweq uytyu uytrwquy uwerwuyw iiqwuywq asdDJANDXDHSBVDSN vad shjnn mno cu knnxkxcnnnnnnnnnnnnnnnnkn n nfgbhfgdhgsghjdfhsjdhfjsfhjshgjghghfhgfghfghgdjckf MWAHAHAHAHAHA!

Ver também[editar]

v d e h
Vândalos, vandalismo e vandalização
Artigo vandalizado - Artigos criados através de um texto da Wikipédia trazido para a Desciclopédia com leves alterações cômicas - Vandalismo - Vandalização abstrata - Vandalização albanesa - Vandalização anti-vandalização - Vandalização apaixonada - Vandalização branqueadora - Vandalização branqueadora acidental - Vandalização atualidades - Vandalização canadense - Vandalização citadina - Vandalização copiadora - Vandalização "Desista de uma vez!" - Vandalização francesa - Vandalização futebolística - Vandalização teste ou por <nowiki> - Vandalização geral - Vandalização gramsciana - Vandalização grega - Vandalização Imagem Exemplo - Vandalização inversa - Vandalização Justificativa - Vandalização de melhorias - Vandalização predefinitória - Vandalização privada - Vandalização rosa - Vandalização russa - Vandalização tcheca - Vândalos da madrugada - Wikipédia Chuck-Norris -Chute-.gif