Vaqueiro misterioso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Possível aparição do Vaqueiro misterioso

Cquote1.png Experimente também: Negrinho do Pastoreiro Cquote2.png
Sugestão do Google para Vaqueiro misterioso
Cquote1.png O quê??? Minha filha grávida?? Vou capar o cara que fez isso!! Cquote2.png
Cover do Lampião
Cquote1.png Tá bom! Vai lá tirar satisfações com o vaqueiro misterioso! Cquote2.png
A filha dando uma desculpa
Cquote1.png Bem, filha, melhor deixar pra lá... Já escolheu um nome pra criança?? Cquote2.png
Mais uma vez o cover do Lampião

Apresentação[editar]

O Vaqueiro Misterioso é uma lenda provavelmente inventada criada por alguém que comeu e não pagou assumiu lá pela região norte e nordeste do Brasil, geralmente as regiões em que só há o pasto com gados, nas vilas ou nos locais em que não há nem energia elétrica, dificultando a visibilidade do vaqueiro por ele ser negro. Representado como um homem velho, maltrapilho e montado em um cavalo, com as mesmas características que a sua, só que elevado ao quadrado.

A Lenda[editar]

Vaqueiro Misterioso pensando para onde irá agora.

Fisicamente, ele é um vaqueiro (O RLY?), que se veste com tudo o que de couro (mesmo parecendo pobre e o couro estando cara pra caralho caramba): Bota de couro, capa de couro, camisa de couro, chapéu de couro, calça de couro e cuecão de couro, em tonalidades que vão desde o pretinho básico até o marrom. O perfume favorito dele é o de couro também (mas amadeirado, se possível, só pra variar um pouco), que é iguaria local lá daquelas regiões sertanejas.

O Vaqueiro Misterioso lançou até um livro para aqueles que quiserem ser tão bom quanto ele na montaria.

Ele não faz mal a ninguém durante toda a lenda que se segue sobre tal homem, não briga, não fuma, é virgem e, provavelmente, é gay mudinho da Silva, já que entra mudo e sai calado em qualquer lugar que aparece. Montado em seu pangaré acabado, o Vaqueiro Misterioso surge durante as competições esportivas que acotecem em pequenas localidades campestres e rurais (principalmente na riegião nordeste de nosso rincão brasileiro, aquelas realizadas somente para tirar dinheiro do povo e fazê-los esquecer dos problemas de seca, fome e pobreza que assolam a sua região.

No último momento das inscrições, surge esse homem que ninguém sabe de que cafundós veio e se inscreve também para concorrer ao prêmio, que geralmente é Um milhão de reais em barras de ouro, que valem mais do que dinheiro um saco de alfafa. Como o cara não tem cara de ser um vencedor, ninguém se importa com ele, se preocupando realmente com os seus parceiros de localidade, já que eles sabem (entre eles) quem é realmente bom e quem não é. As competições de laçar bois, corrida entre tambores e cem metros rasos (WTF?) começam.

Todos os competidores porém se assustam ao ver que tal Vaqueiro Desconhecido Misterioso consegue ganhar com louvor toda e qualquer competição em que ele entra. Mesmo com o cavalo mais podre de todos, vence como se montasse o alazão do Negrinho do Pastoreiro, ownando a todos. No final, ele recebe o prêmio, mas sai da cidade sem dar nenhuma entrevista para a rádio local (sim, rádio, ou você acha que cidade interiorana tem televisão?), além disso, durante toda a sua estadia, ele não fala com ninguém, o que leva mais as pessoas a pensarem que ele não passa de um simples vaqueiro (mas muito bom em montaria) e mudo.

Ver também[editar]