Varsóvia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Varsóvia (em polonês: War Saw, aquele que viu guerra) é o nome de uma arma polonesa recorrentemente utilizada para decidir se a Polônia é nazista ou soviética, de modo que a cidade compromete-se em ser tão insuportavelmente ruim que acaba sempre sendo abandonada por ambos, sendo também comumente utilizada como capital da Polônia.

História[editar]

Não se sabe muito bem quem teve a brilhantíssima ideia de criar essa cidade, mas se sabe que escolheu um dos piores lugares para se construir uma metrópole, bem no caminho de qualquer um que queira invadir a Rússia, e olha que não são poucos os que desejam fazer isso e realmente o fizeram, atropelando Varsóvia no caminho na tentativa de chegar a Moscow. Segundo a lenda folclórica da mitologia kupala, Varsóvia foi fundada pelo casal Farsz e Sowa (de modo que o primeiro nome da cidade era Farszowa, que depois seria modificado para ficar ainda mais impronunciável como "Warszawa", e depois adaptado como "Varsóvia" em Portugal onde o W não existe no alfabeto). Muito embora não se saiba como Farsz e Sowa povoaram a cidade, já que Farsz era uma coruja da cintura para baixo e Sowa uma peixe da cintura para cima, eles deram origem aos primeiros camponeses que ali começaram a habitar.

Sujismundo III, rei da Suécia, após casar-se com Ana da Áustria ganhou direito de governar a Polônia (não me pergunte o sentido disso). Porém, o jovem rei, criado pela avó com leite com pera em uma casa senhorial na Suécia não se acostumou em nada com a atmosfera urbana da então capital polaca Cracóvia, então decidiu mudar a capital para uma roça chamada Varsóvia em 1596 e todos tiveram que acatar esse capricho. Desde então foi a capital da Polônia, exceto durante o reinado de Joãozinho III Sobi i Desci, um rei excepcionalmente inepto, que lutando contra a democracia benigna do país, sem perceber os valores excepcionais da capital Varsóvia, decidiu se instalar no Palácio Wilanów bem longe do centro de Varsóvia, onde gostava de ficar praticando orgias, imitando como sempre foi o Palácio de Versalhes nos arredores de Paris.

Varsóvia após ser salva pelo Exército Vermelho.

Mas o que tornou Varsóvia uma cidade mundialmente conhecida foi o seu papel na Segunda Guerra Mundial. Foi eleita por unanimidade como a cidade mais inútil de todo o conflito. Em poucos meses de guerra os nazistas estavam ali como novos donos da cidade, sem a menor resistência, só um grupo de nacionalistas polacos guerrilheiros que não influenciaram em absolutamente nada a defesa da cidade. Pelo menos os judeus varsovianos foram deportados para locais onde o trabalho era garantido, um vilarejo aprazível chamado Auschwitz.

Sorte dos varsovianos que foram salvos pelo Exército Vermelho em 1944, porque se dependesse só dos poloneses, eles estariam sob o nazismo até hoje. Após a guerra, Varsóvia foi reconstruída, em teoria, e transformada em cidade russa, pois Stalin, percebendo a passividade dos varsovianos em serem dominados, decidiu pegar a cidade para si, deixando uns fantoches seus, como Bolesław Bierut, comandando Varsóvia. Mal agradecidos como são, os poloneses expulsaram os comunistas dali em 1989, transformando a Polônia de novo num país puxa-saco dos alemães.

Economia[editar]

Como uma boa cidade comunista soviética fora da Rússia, Varsóvia está falida e sua periferia parece cenário de algum filme cyber-punk com indústrias e galpões da década de 1950 ali abandonadas. Como ao entrar na União Europeia os políticos da cidade venderam suas almas (de novo) para os alemães, nos raros locais onde Varsóvia parece desenvolvida (sem mendigos na rua), aquele dinheiro veio da Bélgica.

Clima[editar]

Os invernos são quentes e gentis em Varsóvia, durante os quais uma neve cinzenta sempre cai a noite para que depois de dia assuma uma cor amarelada e corada por uma substância misteriosa. Há rumores de que isso se deve à presença de numerosos sulfatos, óxidos de carbono e várias partículas sólidas provenientes das chaminés de Varsóvia. Quanto aos verões são também quentes e agradáveis, o céu fica sempre límpido e pode-se ver a nuvem de poeira e fuligem cinza-púrpura pairando sobre a cidade.

População[editar]

Cquote1.png Não tendo guerra, claro que sim Cquote2.png
Varsoviano respondendo um "oi, tudo bem?"

Com 1.700.000 de habitantes, Varsóvia é a única cidade polonesa com mais de 1 milhão de pessoas. Pode até parecer grandes coisas, mas a maioria das pessoas que ali vivem precisam diariamente provar que são varsovienses nativos, porque seus pais se mudaram para lá após se cansaram de trabalhar como camponeses em alguma cidade de interior.

Transportes[editar]

Principais metrôs europeus em comparação ao metrô de Varsóvia, e o motivo pelo qual nunca houveram ataques terroristas islâmicos em Varsóvia.

Embora existam apenas duas linhas de metrô em Varsóvia, todos cidadãos da capital conseguem facilmente se deslocar para todos os distritos da cidade, basta haver só um pouquinho de paciência com os tumultos, visto que 500 mil habitantes precisam todo dia pegar metrô para trabalhar, transformando Varsóvia na cidade mais congestionada da Europa.

Centro Histórico de Varsóvia[editar]

Em 1966 a UNESCO reconhecia o centro histórico de Varsóvia como um patrimônio mundial, foi o máximo que a ONU pode fazer para tentar ver se ninguém mais destruía essa cidade. Este centro é de fato um lugar bem aprazível e bonito, embora nem todo mundo concorde, ou a Luftwaffe não teria reduzido o local a cinzas em 1939. Apesar de ser algumas vezes chamado de "centro antigo", o lugar está sendo tão constantemente bombardeado e reconstruído que nem dá para ser considerado tão velho assim.

Como a função histórica da cidade de Varsóvia sempre foi ser invadida por alemães, a ideia desse centro histórico seria criar algo totalmente em arquitetura alemã, para sempre deixar os invasores mais confortáveis, quando eles ali aparecem a qualquer momento.

Constitui parte desse centro a Praça do Mercado, um local para pessoas fazerem cosplay de figurantes de The Witcher sem ficarem constrangidas, um ambiente bem retrô que faz sentir na Idade Média. E ao fundo o Castelo Real de Varsóvia, completamente feito de tijolos de ossos de comunistas (um prédio também odiado por alemães, que já reduziram esse castelo a pó, mas os poloneses muito insistentes o reconstruíram.

Turismo[editar]

Com tanta cidade interessante na Europa a se conhecer, os turistas que visitam Varsóvia fazem isso apenas por dó mesmo, tanto que o principal ponto turístico da cidade é a Estação Central de Varsóvia, a Warsaw Central, ou simplesmente o WC. As estatísticas indicam que 7 entre 10 pessoas que saem do metrô tropeçam nas calçadas antigas e não reformadas do lugar e perdem os dentes, ficando os turistas ali prestigiando essa situação.

O símbolo da cidade, porém, é o Pałac Ku i Noku (Pikmin, ou Palácio da Cultura e Ciência), criado sob ordens de Stalin que queria pelo menos um prédio em Varsóvia, que até então parecia só uma grande roça.