Velha Surda

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

TV pós-Globo.

Este artigo é sobre mais um programa de tortura televisiva. Salve-se mudando para o Canal do Boi, ou leia sobre mais essa desgraça da TV.

Cquote1.png Você quis dizer: Boris Casoy Cquote2.png
Google sobre Velha Surda

Cquote1.png Ela é uma grande atriz! Cquote2.png
Apolonio sobre Velha Surda
Cquote1.png Meretriz é sua mãe! Cquote2.png
Velha Surda sobre comentário acima

A Velha Surda era um personagem da Praça é Nossa interpretado pela atriz Bizantina Escatamacia Pinto. Bizantina Escatamacia nasceu em 1527. Filha de um casal de atores que integraram o elenco de humoristas que vieram nas caravelas para a Ilha de Vera Cruz. Bizantina foi a primeira atriz brasileira.

A construção do personagem[editar]

Com apenas 13 anos Bizantina conheceu o Padre Manoel de Nóbrega, que na época tinha um programa novo chamado "A Praça é Nossa". Nessa época tentou interpretar um personagem chamado a Velha Muda. Mas não deu muito certo, pois ninguém entendia as piadas. Tentaram também a Velha do Ouvido de Tuberculoso. Que era nada mais que um personagem que ouvia tudo que as pessoas falavam a quilômetros de distancia. Também não deu certo, pois a população da época acreditava que Bizantina era realmente tuberculosa e ninguém aparecia nas apresentações. Foi quando Bizantina teve a idéia de fazer uma personagem de uma velha surda que entendia tudo errado que o pobre Apolônio dizia. Nascia ali, um ícone da cultura Pop brasileira (seja já o que isso significa).

A piada e a história[editar]

Ao longo dos anos, a personagem da Velha Surda foi melhorando e se adaptando a época.

  • 1708 – Sobre a Guerra dos Emboabas: “Pernas ensaboadas?”;
  • 1750 - Sobre o Tratado de Madri: “O Tarado que faz rir?”;
  • 1816 – Sobre Dom João enviar forças navais para sitiar Montevidéu e ocupar a Banda Oriental (atual Uruguai): “apalpar a bunda do Juvenal?”;
  • 1822 – Sobre a independência do Brasil: “indecência num barril?”;
  • 1888 – Sobre a Abolição da escravatura: “masturbação na pica dura?”

O fim da piada[editar]

Na década de 70, Bizantina, ao ouvir que: “botaram o Brizola para correr”, ela disse: “botaram camisola para não morrer?”. A piada foi tão engraçada que várias pessoas morreram de tanto de rir. A Velha Surda foi presa e acusada de assassinato.

O retorno[editar]

Só em 1985, durante um comício das diretas, uma senhora subiu no palco e disse: “O ovo mexido, jamais será cozido”. Era o retorno da Velha Surda. No mesmo ano ela estava de volta ao palco da Praça é Nossa com novas piadas, e se consagrando com a maior e mais criativa humorista do pais.

Galeria da velha[editar]

ReaperlogoDare.gif
Velha Surda já morreu!!!

Gostava muito dele, mas ele sabia demais...