Virgens de Verdade

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Molon.jpg Este artigo pode levar-te para o lado rosa da Força!

E acha a Lady Gaga diva!

Não o leia, exceto se você for macho, mulher ou está pintando as unhas de glitter.

Bandeira de Pernambuco.JPG Oxe, mô véi! Ess'artigo foi'xcrito por um caba pernambucano arretado da porra, visse?
E num é que tá arrumadinquisó, fera? Oxente, quiporréessa?!


Bibas segurando a bandeira de Pernambuco com muito orgulho.

Virgens de Verdade é uma prévia carnavalesca de Olinda, surgida nos anos 1990 para abalar as estruturas e as rabetas. Atualmente é chamada de Virgens de Verdade - Abraça Brasil, pois tornou-se uma concorrente forte da Marcha pra Jesus com o intuito de converter mais pessoas pra religião do Berobismo.

Como começou?[editar]

Várias bibas todos os anos iam pras Virgens do Bairro Novo, obviamente achando tratar-se de uma boate gay a céu aberto, porém quebravam a cara quando toda vez que iam meter a mão boba no papagaio dos que estavam ao seu redor (ou tentavam dar um Spider-Man no toba de outros, quando a biba não era passivona e sim Guinete), acabavam LITERALMENTE quebrando a cara e os dentes juntos com um soco bem dado nas fuças. Claro que vez por outra dava certo e eles convertiam a menina pra sair do armário, mas eram raros os casos de crossdressers realmente dispostas a se revelarem ao mundo todo.

Assim, emputecidas, as garotinhas de Olinda decidiram fazer seu próprio bloco, uma versão que lacrasse e fechasse com a cara daquelas falsas bibas. E assim nasciam as Virgens de Verdade.

Desfile de horrores das meninas[editar]

Ocorre geralmente no domingo anterior ao das Virgens do Bairro Novo, ou seja, duas semanas antes do carnaval propriamente dito. Desde os anos 2000, quando o Partido das Comunas da Bibocracia tomaram a prefeitura de Olinda, o bloco ganhou um apoio político (ou seja, grana pra caralho pra gastar com os prostitutos de luxo) e assim ganharam ares de defesa dos direitos LGBTs, usando o segundo nome "Abraça Brasil", que tornou o bloco ainda mais viadão interessante de se assistir se você é um daqueles que DIZ que vai pra Parada Gay só pra assistir a versão multicolorida da Noite do Ridículo (DIZ né, porque eu não ponho a mão no fogo por ninguém, muito menos você Anônimo...).

Ver também[editar]