Will Ferrell

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Tom2.jpg
É pra rir?
Batore24.jpg

Este artigo fala de um comediante "muito engraçado". Se você ainda dá risada do Tiririca, assiste Porta dos Fundos ou imita a Lady Kate, SOME DAQUI!!!
Will Ferrell
Will Ferrell.jpg
Liga pra mim...
Nascimento 16 de Julho de 1967
Califórnia, Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Nacionalidade Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Ocupação Ator e Comediante (ou Comediante e Ator...)
60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Will Ferrell.

Cquote1.png Maior orgulho! Cquote2.png
Saturday Night Live sobre Will Ferrell
Cquote1.png Você traiu o movimento dos pilotos machos, veio! Cquote2.png
Dado Dolabella após ver o beijo entre Ricky Bobby e Jean Girard em “Ricky Bobby - A Toda Velocidade”
Cquote1.png Melhor filme dele! Cquote2.png
Você sobre o filme citado acima
Cquote1.png É mais estranho que a ficção mesmo! Cquote2.png
Você sobre ”Mais Estranho que a Ficção”
Cquote1.png Não aguentou nem um segundo! Cquote2.png
Bear Grylls sobre Will Ferrell em A Prova de Tudo
Cquote1.png Muito engraçadão! Cquote2.png
Saco de Risos do Rock Bola sobre Will Ferrell
Cquote1.png Amigão!!! Cquote2.png
Judd Apatow e John C. Reilly sobre Will Ferrell

WILL FERRELL é uma mistura de Will Smith com Colin Farrel, e um cara aloprado capaz de fazer filmes de comédia muito mais estranhos que a ficção a toda velocidade, tendo dias incríveis quando atua: ator e Zé-graça conhecido universalmente, nasceu na Califórnia mesmo, ou seja, podia voltar a pé pra casa após as gravações, em 16 de Julho de 1967. Ganhou fama lá no Chiqueiro Capitalista com A Praça é Nossa deles, Saturday Night Live e fez um monte de filmes de comédia.

Antes de Seguir Carreira:[editar]

Os pais de Will eram uma legítima família americana num exemplo válido pra imigrantes ilegais: achavam o país como um todo uma roça e a Califórnia a única cidade grande do país, e, saíram da Carolina do Norte rumo a “cidade grande”. Ela, uma progessora gostosa e ele, um músico desconhecido, tentaram reiniciar a vida por lá, e, depois de um tempo, ele foi cuspido numa maternidade onde todas as personalidades locais nasceram. Ainda na infância, já começou ser engraçado, simplesmente conversando normalmente com as pessoas, mostrando ironia, sarcasmo e filhodaputismo enquanto falava. Foi vivendo assim até ser escravizado pelo Saturday Night Live, onde, desde cedo, carregava o piano do programa, já que escrevia as piadas e, como as corporações americanas são chegadas em exploração infantil... Depois de um tempo, com o exílio dos principais comediantes do canal, que resolveram ser atores em filmes de comédia pra poderem cobrar um cachê bem alto, quase infinito, Will foi promovido pra atuar no programa, assim que se formou em comédia jornalismo esportivo. Vamos imaginar como seria esse cara comentando futebol numa mesa-redonda...

Saturday Night Live:[editar]

Assim como aqui na nossa amada Terra de Ninguém, lá nos EUA, um comediante ganha notoriedade e dinheiro fazendo algumas imitações básicas que qualquer um saiba imitar. Will sabia imitar Lula, Silvio Santos e Clodovil Hernandes, caso ele visse necessidade de seguir carreira aqui, sabendo que ele faria sucesso, e sabia imitar as referências locais: Bush Filho, Bush Pai, Alex Trebek e o Shaft, esse último deu merda com os mano que querem a cabeça dele, pois acham uma vergonha, uma puta falta de sacanagem um caucasiano imitar um representante de Jesus Negão na Terra. Enquanto os mano se juntavam pra não perdoarem o cu do comediante, ele continuava fazendo o dele e o que todo comediante tem que fazer: fazer pessoas rirem, estressar os poderosos e ser inconveniente. Enquanto passava despercebido em filmes, começava a ficar grande demais pro programa. Depois que conseguiu um cachê muito alto, e com as ameaças vindas dos guetos por causa do Shaft, conclui que não precisava mais do programa, e saiu também. Seu sucessor era mais uma criança explorada que escrevia algumas piadas.

Cinema:[editar]

Ron Burgundy após ler o artigo
Posando com uma gostosa. Melhor que com aquele André 3000...

Já fazia cinema enquanto estava no SNL, mas, como ele não podia aparecer muito por força contratual, que alegava que só podia ser o cara no humorístico, inclusive, ninguém nem sabe que ele já fez um turco nos filmes do Austin Powers. Se não fosse a força contratual, quem seria o agente e que comeria Elizabeth Hurley, Heather Graham e Beyoncé Knowles seria o Will... Quando apareceu um pouco mais que o costume em Zoolander (que não é uma versão de Highlander rodada num zoológico), interpretando um gay (e quem era hétero naquele filme?), viu que seria mais famoso mundialmente, e se manda do SNL e começa a seguir carreira em Hollywood, Bollywood e Nollywood, pra quem pagasse mais: o 1º filme após se livrar de SNL foi Dias Incríveis, e aquela situação: Vince Vaughn, Luke Wilson e Will Ferrell já são bem sem-noção separados, imaginem juntos... Depois de tanta imoralidade, inova no seu filme seguinte, ao contracenar com uma atriz que nunca se envolveu com imoralidade no cinema, pra ver a merda que ia dar, atuando em Elfo Um Duende em Nova York, onde deu uns pegas na Zooey Deschanel. Pegar a Zooey dá um bom status social: vejam o Death Cab for Cutie: foi só o vocalista pegá-la que a banda fez sucesso. Voltando ao Will: agora sim ele está na boa: bom cachê, uma esposa gostosa... Já com a gaveta cheia de prêmios, viu que faltava um Framboesa de Ouro: chamou a Nicole Kidman pra ajudá-lo a conquistar o troféu com a versão cinematográfica de A Feiticeira. Assim, ganhando o troféu e dando a Nicole sua 1ª Framboesa. Pronto, já tinha a coleção inteira de troféus que um ator pode ter. Após colocar as framboesas na mesa e fazer uma torta com elas, foi convidado por Bear Grylls pra um passeio na Escandinávia, mas, como é difícil sobreviver no “A Prova de Tudo”, ele não aguentou e pediu penico enquanto comia carne de urubu cru, já que Bear disse que tinha substâncias que dão certeza de sobrevivência por 1 semana. Após voltar traumatizado com a experiência ao lado de Bear, se lembra que se formou em jornalismo esportivo, o que lhe deu material pra 4 filmes: em um, interpretando um jornalista, e nos outros 3, esportistas, e, em “Ricky Bobby - A Toda Velocidade”, ganha o prêmio de beijo do ano, o que abre pra milhões de controvérsias: foi o beijo com a deliciosa Amy Adams ou com o Will Ferrell britânico, Sacha Baron Cohen? Alguns falam de um, outros do outro, os gays estão convictos de que foi com o Sacha... Após isso, só tentou ganhar mais um Framboesa e mais um MTV Awards, não fez mais nada da vida.

Cinegrafia:[editar]

Correndo pra caralho e comendo geral
O único patinador artístico de gelo realmente macho que é conhecido.

Só os filmes mais relevantes:

  • Austin Powers - Um Agente Nada Discreto e Um Agente "Bond" Cama: Vá me dizer que você não o viu nesse filme? Também, Mike Myers e as gostosas com quem ele contracenou roubaram a cena... Interpretou um turco que sempre se ferrava e era o clichê “refém do método das 3 perguntas”;
  • Highlander do Zoológico Zoolander: Nesse filme, assim como outros 124% do elenco masculino, interpreta um gay. Gays enrustidos Homofóbicos odeiam esse filme;
  • Cruzeiro Das Loucas: Apesar do nome sugerir, não tem nada a ver com parada gay na Toca da Raposa. Assim como no filme anterior, aceitou entrar num filme onde 124% do elenco masculino era gay. E ele também interpretou um nesse filme. Já estavam contestando sua sexualidade após isso, mas, pra mostrar que é macho, se casou com uma loira sueca ninfomaníaca bissexual;
  • Dias Incríveis: Will Ferrell é bizarro em seus filmes; Luke Wilson idem; Vince Vaughn não fica longe. Ou seja, nem preciso descrever esse filme, mas, garanto que você o evitará, pra não ver a “baleia branca” do Ferrell;
  • Um Duende em Nova York: Depois de fazer filmes bem bizarros, tenta ganhar o público infantil, interpretando um duende que dá uns pegas na Zooey Deschanel. Cara de sorte...;
  • O Âncora - A Lenda de Ron Burgundy: Interpreta o próprio Ron, e traça a Christina Applegate.
  • Ladrão que Engana Ladrão: Volta a tocar o terror na Sociedade Conservadora ao voltar a contracenar com Luke Wilson: Interpreta um dono de mercearia que fura o olho do Luke Wilson, e traça a Eva Mendes. O cara passa o rodo mesmo: Zooey Deschanel, Christina Applegate, Eva Mendes... E eu sozinho aqui;
  • A Feiticeira: Resolve se aliar a Nicole Kidman rumo a sua 1ª Framboesa de Ouro. E consegue, interpretando o cara que queria fazer um remake da série que seus avôs se conheceram a assistindo;
  • Papai Bate Um Bolão: Interpreta um cara que quer matar o pai num jogo de futebol;
  • Os Produtores: Interpreta um dos produtores: um nazi qualquer na peça;
  • Mais Estranho Que a Ficção: É um filme mais estranho que a ficção mesmo: o cara vive a vida dele e ainda é o protagonista do livro de uma escritora que mata seus protagonistas. Ou seja, estava com os dias contados, mas, a escritora tem dó dele, já que ele pegou a Maggie Gylenhaal e estava muito feliz com ela;
  • Ricky Bobby - A Toda Velocidade: Melhor filme dele disparado: interpreta o tipo de esportista mais cabra-macho do mundo: o piloto. No caso, um piloto consolidado na NASCAR, mandando na equipe mais que o filho do dono, quando colocou o John C. Reilly pra pilotar, mas que começa a se ferrar quando aparece um cara da F1, que inspirou Montoya a fazer a mesma troca que ele. Perde tudo e, depois que perde tudo, consegue “vencer” em Talladega. Baixa uma de traçador Fodão nele nesse filme e sai comendo todo mundo: Leslie Bibb, Amy Adams e Sacha Baron Cohen (WTF?);
  • Escorregando Para a Glória: Entra pra história com esse filme: nela há o 1º registro de patinador artístico de gelo comprovadamente macho da história da humanidade, interpretado por ele;
  • Os Aloprados: É um dos aloprados: joga basquete com o André 3000 e comanda o pior time da liga
  • Quase Irmãos: Ele é quase irmão do John C. Reilly. Pra desespero das pessoas que são metidas a normais, eles 2 estão juntos de novo.

E outros onde ele não fez nada nem pegou ninguém...