Winifred Wagner

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Marilyn Monroe.jpg

Winifred Wagner é uma ex-gostosa
Ela já inspirou muitas homenagens, mas foi o tempo quem realmente a comeu.

Viking arca de Noé.jpg Ek est årtikkel Vikingen!

Este artigo veio das frias terras dinamarquesas! Ele gosta de remar, louva Odin e o Deus Metal, não tem nenhum senso de privacidade ou de educação e seu autor chegou ao Valhalla. Não vandalize ou envolva a Finlândia neste artigo!

Winnie Adolf Wagner
Winifred-wagner.jpg
Na imagem podemos ver Winifred Wagner dando uma manjada no caralho do Adolfinho
Nascimento 23 de Junho de 1897
Valhalla
Morte 31 de Fevereiro de 1980
Uma Oktoberfest qualquer
Ocupação Valquíria, nora de Richard Wagner
Principais trabalhos chefe do fã clube de Hitler
Vícios Música clássica, punk rock e nazismo

Cquote1.png Schön arsch Winnie hast Cquote2.png
Hitler sobre Winifred Wagner

Winifred Marjorie Wagner (23 de Junho de 1897 - 31 de Fevereiro de 1980) foi a nora de Richard Wagner. Nascida em 1896 em Valhalla e enviada ao mundo terreno um ano depois com a missão de levar adiante a linhagem do compositor e cafetão alemão, Winifred mesmo vivendo nos anos 1900 e guaraná com rolha levou uma vida mais interessante do que as feministas jamais terão: começou como nora do mestre Ricardão, comandou um festival de música inteiro, depois virou amiga e fã de carteirinha no.1 de Adolfinho e por fim, morreu rica pra caralho.

A origem[editar]

O casal Wagner durante a missão. Winifred viaja pensando em Hitler enquanto Siegfried mesmo só pensa em rola

Winifred Williams nasceu em Hastings, Inglaterra, filha de John Williams, um escritor, e sua esposa Emily Florence Karop... Bem, se eu for explicar assim além de ser simplista estarei copiando a wikipédia, logo é melhor começar relatando o que rolou de verdade por trás da criação de Winifred Wagner. Vamos lá:

Winæfrilð (foi batizada assim pelo seu pai ao nascer), filha de Odin e Frigga, surgiu numa época impossível de ser identificada por calendários humanos e como uma das valquírias mais estimadas ela foi reservada pelo pai para uma ocasião em que alguma reencarnação dos deuses de Asgard estivesse necessitando um herdeiro. Essa ocasião chegou em 1914 quando o panteão percebeu que o filho do deus da música Richard Wagner, Siegfried além de estar velho pra cacete ainda gostava de liberar o brioco e por conta disso sua mãe Cama, Mesa, Banho e Cozinha (outra semideusa, filha da divindade do piano Franz Liszt) começou a torrar a paciência dele, ameaçando botar o moleque de 40 anos pra fora de casa se ele não arrumasse uma namoradinha. Dito e feito, com a intervenção divina de Asgard Siegfried e Winæfrilð (agora em forma humana com o nome menos escroto Winifred) se encontraram num dos festivais de Viking Metal organizados pela família Wagner e logo se casaram gerando quatro filhos abençoados por Odin: Wijelænð, Frieðjlinð, Wölfgang, e Værenå

A amizade com Adolfinho e o declínio[editar]

Cumprindo-se o seu objetivo, Siegfried foi levado de volta para descansar em Valhalla ao lado de seu orgulhoso pai, deixando Winifred solteirona na praça e foi nessa época que ela conheceu sua maior paixão, Adolfito Maravilha, o líder do PANACA (Partido dos Anarco-Nazistas Alemães Comedores de Acarajé). Hitler era o maior fã do sogrão dela e numa conversa sobre os mais de 8000 mp3 de Wagner que ele tinha em seu iPod eles acabaram virando amigos. Quando Hitler foi preso após se envolver num atentado com biribinhas atômicas em Munich Winifred lhe ajudou mandando cestas básicas, vale refeição, papel pra limpar a bunda e o mais importante, nudes.

Lá pelos idos de 1930 Winifred já era uma das nazistas mais hardcore e uma das candidatas a musa do Partidão. Uma das lendas do bestiário alemão nos conta que foi Winifred Wagner quem fundou o punk rock ao reunir a primeira formação do Skrewdriver em 1932, na forma de uma girl band trio com Winifred nos vocais e guitarra, Traudl Junge no baixo e Magda Goebbels na bateria.

Em 1933 Winifred e Adolf enfim se casaram durante uma viagem de LSD em Hamburgo, mas a união não durou muito.

Com a queda do Terceiro Reich, Winifred perdeu seu amor e com ele, a razão de viver. Pra piorar, pelo crime hediondo e absolutamente repulsivo de se envolver com Adolfinho, a sereníssima corte sionista de Telaviv numa brincadeira muito da sem graça tirou dela o comando do festival de Viking Metal que o sogrão tanto amava. Sob nova direção, esse mesmo festival viria a ser conhecido nos dias de hoje como Wacken Open Air.

Winifred Wagner morreu de desgosto em 1980 e partiu pra Valhalla, onde descansa com seu sogro, seu marido e seu pai Odin, com a sensação de dever cumprido.