Witmarsum

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ponte-HLuz.jpg Se quésh quésh, se non quésh, dish!

Este artigo é catarinense! Já entrou em coma alcoólico na Oktoberfest, sabe o que é boi-de-mamão, tem um poster do Guga e pensa que é alemão!

Venha para o lado barriga-verde da força você também!

NewBouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Witmarsum.

Cquote1.png Eita, uma cidade sendo criada por imigrantes americanos é foda meu. Cquote2.png
Um turista noob sobre Witmarsum

Witmarsum é um município americano brasileiro do Estado de Santa Catarina, sendo a única cidade de Santa Catarina que usam a letra "w" para escreverem o nome de sua cidade.

Sua cidade

Algum lugar de Witmarsum com nome bem criativo

O município foi colonizado por diversos grupos de imigrantes que pertenciam a um grupos de perdedores playboyzinhos da Primeira Guerra Mundial em 1924, batizando a região de Nova África, pois haviam combatido no continente africano e perderam feio para eles. Em 1930, imigrantes alemães menonitas se estabeleceram na região e batizaram a região de "Witmarsum", terra natal de Menno Simons para corrigir os erros daquele nome tão idiota que deram a uma cidade que era aquele nome de um país que os derrotaram. Alguns alegam que o nome significa "Estrela Azul" inclusive com edificações nessa cor, mas a corrente majoritária afirma que o significado do nome é filho de Witmar, o que parece ter mais lógica. Mais tarde, descendentes de italianos passaram a ocupar a região e aquele nome ficou como um mistério para se descifrar, apesar de ninguém se interessar na verdade naquilo.

Essa diversidade reflete na cultura do município, onde a maioria dos moradores são pequenos agricultores pobretões.

Suas culturar e suas produções

Poucas ruas, mas todas ajardinadas repletos de lama onde caminham. A pequena Witmarsum tem moradores pobretões caprichosos que vivem basicamente da agricultura. A maioria das famílias trabalha em minifúndios plantando mandioca, feijão, milho, cebola e arroz-sequeiro, outros preferiam plantar drogas, o que davam mais lucro, apesar de ser mais perigoso e poder ir em cana por fazerem isso. Há ainda criação de gado leiteiro, de corte e de suínos. As indústrias são de cerâmica, de móveis, de tubos e de máquinas para o corte de carne, mas isto eram para as 0,008% dos moradores ricos naquela cidade.