Xilogravura

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mokuton - Animação.gif Este artigo é amadeirado!

E pode ser encontrado na xiloteca mais próxima com a benção de Mokujin. Tome cuidado com os cupins e não vandalize, ou será atazanado pelo Pica-Pau!

Pintar.jpg Este artigo é relacionado às artes.

E adora comida enlatada!

É, a obra é feita com blocos disso.

A xilogravura é mais uma dentre as várias maneiras de se criar uma imagem; porém, por ser uma das mais arcaicas, hoje é vista como uma tentativa frustrada de fazer arte.

Surgimento[editar]

Estudiosos mais sérios acreditam que tudo começou na China[carece de fontes], quando um chinês mudo criou um jornalzinho que utilizava moldes de bambu pra imprimir os folhetos. Porém, um japonês pegou a ideia emprestado e a levou para a Europa, onde concluíram que era preciso melhorar o processo de coloração porque já estavam cansados de ver negros. Os moldes de madeira também eram frágeis, sendo substituídos por moldes de metal após uma tempestade (seguida de um grande incêndio) que revolucionou e contorceu a história da fotografia.

No Brasil[editar]

Sempre à frente no cenário artístico mundial, o Brasil acabou herdando o melhor da xilogravura de ponta vinda de Portugal, claramente perceptível nas figuras em alta definição das literaturas de cordel.

Como fazer[editar]

De fato, o método é tão simples que qualquer abestado aprende. Depois de entalhar no pau na madeira os traços que vão aparecer, é só passar a tinta e carimbar no papel. Claro que vai aparecer invertido. Mas se o jumento que cortou o pau[1] não fez os traços ao contrário também, então é preciso fazer tudo de novo.

Exemplos[editar]

Notas[editar]

  1. Não, isso não é automutilação.
  2. O autor se matou em seguida.