Xintoísmo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Jaspion metaltex.jpg

Made in Japan
Este é um artigo com tecnologia do sol nascente né.
E usa um uniforme azul com desenhos vermelhos ou azul claro no Sakka.

Maomé fazendo preces aos kami.

Cquote1.png Eu gosto de animismo, as pessoas tem que ser mais alegres, né plateia? Cquote2.png
Luciana Gimenez sobre Xintoísmo
Cquote1.png Todos os homens têm coração, e cada coração tem a sua própria inclinação. Cquote2.png
Reflexão xintoísta
Cquote1.png ... Cquote2.png
Você sobre reflexão xintoísta.

Xintoísmo (イエローチェア?) é uma prática religiosa praticada em templos que é exercida, em sua maioria, por moradores do Arquipélago de Lost, local onde foi fundada há milhares de anos atrás, sendo que não é possível determinar exatamente quando a prática começou. Diferentemnte do que a maioria das pessoas creem, é a principal religião do Japão, ao invés do bundismo (essa é a principal religião do Brasil, da República Tcheca e da Suécia).

É conhecida por sua agressividade para com os hereges, usando métodos de tortura nos mesmos e assim conseguindo expandir o número de fieis (atualmente cerca de 15 bilhões). Alguns adeptos famosos do xintoísmo são Maomé, Abraham Lincoln e os ninjas.

Desenvolvimento[editar]

Ainda há debate entre a comunidade religiosa sobre como foi o surgimento do xintoísmo, sendo que não é consenso se ele apareceu na Pré-História ou antes. Uma das teorias é que cada pessoa possuía um deus para perder o tempo adorando e, com a chegada do ditador imperador, todos foram aniquilados para serem substituídos pelos da família dele.

Por volta do século 0, os budistas invadiram o Japão através de uma passagem no Himalaia, assim fazendo com que essa nova religião se espalhasse e as duas acabaram misturadas, os japoneses a pedido do imperador da época, acabaram então por seguir ambas as coisas para evitar uma guerra santa.

Tempos depois, Onaga, um comerciante nacionalista, promoveu uma reforma para tentar ressuscitar o xintoísmo, que passou a ter esse nome em 1561, sendo conhecido antes por cinto Shintō, a reforma falhou e o xintoísmo foi dominado pelo estado e passou muito tempo com seus praticantes escondendo o que faziam.

Na Guerra Fria os EUA conseguem destruir a sede de controle xintoísta, chamada de Hiroshima, a religião voltou aos tempos primitivos sendo que a maioria dos praticantes seguem a vertente popular, hoje as religiões convivem em paz.

Crenças[editar]

Praticante do xintoísmo em seu horário de culto.

Kamikazes[editar]

Kamis são os seres míticos adorados pelos xintoístas, podendo ser amatsukami, aqueles que saíram da Terra e fazem algo que presta e kunitsukami, os residentes invisíveis que ficam entre os mortais.

Humanos[editar]

Pela crença ingênua seres humanos são bons e vão para um outro plano quando morrerem, devem porém evitar as:

Infrações[editar]

Infração Punição
Kegari - correspondem a infrações menores como tocar em animais mortos, sangue de boi ou no próprio corpo. 4 pontos na carteira.
Wazanai - são os infortúnios causados por culpa do fiel. 7 pontos na carteira.
Tsumi são pecados, algo como faltar na missa ou dizer que Deus não existe. excomunhão convite para se retirar.

Para renovar a carteira existem três tipos de purificação

O Harai purifica através de um chicote

O Misogi limpeza do que o fiel não fez (?)

Comemorações[editar]

  • Comemorações normais separadas por estação em que se fazem rezas e outras coisas.
  • Reisai - dia do kami do santuário, dando oferendas para ele fazer reformas no templo e pagar o aluguel.
  • Feriados Xintoístas:
    • Ano novo
    • Natal
    • Dia do carteiro

Divisões[editar]

Exemplo de seguidor do xintoísmo popular.

As orações xintoístas se dirigem aos kamis para pedir algo ou reclamar de alguma coisa, dependendo da forma que são realizadas podem fazer parte do:

  • Xintoísmo das seitas: Praticado em fundos de quintal, semelhante ao xintoísmo doméstico porém com um número de colaboradores, é a mais nova forma de exerção da religião já que foi iniciada no ano de 2005.
  • Xintoísmo doméstico: No xintoísmo doméstico cada casa ou pessoa possui um deus para adorar, e um santuário portátil para colocar imagens e estátuas dele, é muito utilizado por quem não tem tempo ou vontade de ir aos templos de verdade.
  • Xintoísmo dos santuários: É uma variante que só difere de outras pelo local onde os cultos são realizados. Os santuários xintoístas são construídos aleatoriamente ou de acordo com o sonho de um doido profeta.
  • Xintoísmo imperial: Versão criada por algum imperador, difere das outras práticas por seu excesso de luxo e orações feitas em mandarim.
  • Xintoísmo popular: Não possui regras ou fundamentos ficando subjetivo o que é ou não referente a essa religião, sendo que você pode ser um xintoísta popular sem saber.

Veja também[editar]