Yasser Arafat

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
SheikYerbouti.jpg
"Vai tomar no cu", em árabe !!
Brimo, este artigo é árabe!

Portanto, este artigo louva Alá e come esfirra, sem dar ré no quibe. Ele gosta de mulher coberta e não gosta de ser confundido com turcos nem judeus.

Se você entrar no harém dos outros, terá sua casa varrida do mapa por um 747-400.
Icone-Islam.png
Devoto muçulmano em adoração.jpg

Este artigo é muçulmano!

Yasser Arafat é do Islã! Ele(a) jejua no ramadã, não come carne de porco, não bebe álcool, ora cinco vezes por dia (não sei como ele aguenta) e sonha em um dia visitar Meca para brincar de ciranda-cirandinha em torno da Caaba.

Se você ofender o Alcorão ou se negar à pagar o Zakat, você será condenado à queimar a rosca com Iblis!

ReaperlogoDare.gif

Yasser Arafat já morreu!!!

E foi comer capim pela raiz!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno.

Wikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Yasser Arafat.


Cquote1.pngExperimente também: Claudia Schiffer e Ariel Sharon Cquote2.png
Sugestão do Google para Yasser Arafat
Cquote1.png O que isso tem haver com Yasser Arafat? Cquote2.png
Você sobre a fras do Google acima
Cquote1.png Pergunte a ele... ORAS! Cquote2.png
Descilopédia sobre Google e você
Cquote1.png WTF? Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Google
Cquote1.png Perdeu Prayboy! Perdeu Prayboy! Cquote2.png
Moshe Dayan sobre Yasser Arafat no Acordo de Camp David
Cquote1.png Môi, calma Môi, vamos conversar civilizadamente Cquote2.png
Yitzhak Rabin sobre Moshe Dayan e Yasser Arafat
Cquote1.png Perdeu Hippie! Perdeu Hippie! Cquote2.png
Moshe Dayan sobre Yitzhak Rabin após assassinado
Cquote1.png Estado Palestino? Isso não te pertence maisss... Cquote2.png
Ariel Sharon sobre Yasser Arafat
Cquote1.png Autoridade Palestina? Isso não te pertence maiss... Cquote2.png
Líder do Hamas sobre Yasser Arafat

Arafat, um velhinho poderoso e simpático.

Yasser Arafat, em árabe ياسر عرفات, (Cairo, 24 de Agosto de 1929 — Clamart, 11 de Novembro de 2004) foi entre os otmistas, presidente do Estado Palestino. Em 1969, plocamou-se democraticamente líder absoluto supremo e soberano da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e líder do Al Fatah, uma das maiores das facções terroristas um dos maiores partidos da OLP, e co-detentor do Prêmio Nobel da Paz com o israelense Hippie primeiro-ministro Zaza Yitzhak Rabin.

[editar] O Nome

Seu nome original era: Chuck Norris Mohammed Abdel Rahman "Lula" Abdel Yasser da Raouf Arafat "Pelé" Abdel al-Qudwa al-Husseini (em árabe محمد عبد الرحمن عبد الرؤوف عرفات القدوة الحسيني), conhecido na infância como Abu Habibs, foi um dos sete filhos de um comercianta (é árabe, precisa dizer que é rico?) nasceu em 24 de agosto no Egito.

Segundo o próprio Arafat, seu nome é explicado assim:

  • Chuck Norris, sua mãe era fã dele,
  • Mohammed Abdel Rahman era o seu nome próprio,
  • "Lula" é porque era militante do PT,
  • Abdel Raouf o nome do seu pai,
  • Arafat o nome do seu avô,
  • "Pelé", porque seu tio jogava futebol;
  • Al Qudua o nome da família dele
  • Al Husseini o nome do Clan de Counter Strike a que todos Al Quduas pertenciam.

Por uma questão prática, Yasser adotou o apelido Yasser Arafat que seus amigos lhe deram por ser muito assim Yasser(Eu acho...).

[editar] História

Yasser Arafat na época em que era um Rockstar, mestre Jedi de Ringo

Seu pai foi um grande mercador de tecidos de origem egípcia, sua mãe era de uma família palestina de Jerusalém. Com a morte desta, foi enviado pelo pai para morar com um tio materno em Jerusalém, jogador da "Seleção do Mandato Britânico da Palestina", que naquele ano tinha grandes chances de ser selecionado para Copa do Mundo. Após quatro anos de vidraças de vizinhos quebradas, jarros espatifados, brigas na rua, bulling no colégio, voltou ao Cairo para morar com uma tia paterna.

Aos dezessete anos, ainda no Cairo, já colaborava na luta contra as guerrilhas israelenses e as forças do Império Britânico, que coincidentemente não se dava bem com israelenses também, o Reino Unido dominava a Palestina nesta época, atrapalhando o envio de armas para esta região, o que revoltava tanto judeus quanto palestinos. Afinal de contas, havia uma ansiedade de mais de 1000 anos para que os dois povos voltassem a acender seus ânimos amistosos.

Em 1948, Arafat deixou a Universidade Pirotécnica da Palestina para lutar contra a Haganá, milícia israelenses que naquela época já era mais perigosa que o exército britânico. Após a incrível vitória imaginária palestina diante da força Haganá do Estado de Israel, Arafat teria ficado tão alegre que chegara a buscar um visto para estudar no Texas, EUA.

Preferiu voltar à UPEP pra cursar engenharia de pirotecnía; porém com o Golpe Militar de 64, Arafat radicalizou e tornou-se líder estudantil, filiou-se ao PCdoB. Perseguido pela ditadura, Arafat participou da Guerrilha do Araguaia, junto com José Dirceu e Heloísa Helena, mas voltou ao Cairo a tempo de forma-se em engenharia, em 1956.

Com a criação do AL FATAH

Em 1958, fundou com um grupo de terroristas militantes, a Al Fatah, uma rede secreta que defendia a luta armada contra o estado israelense. Mas nada é secreto pra Israel, logo a Mossad exterminou todos seus colegas, forçando Arafat a mudar de nome para: Io Nossor Yasser Arafat, passando por um estudante de intercâmbio japonês, estudando no Cairo.

Em 1964, Arafat consegue formar o "Al Fatah 2.0", estabelecendo bases na Palestina e na Jordânia. Neste mesmo ano foi criada a OLP, sob financiamento da Liga Árabe, que começava a se destacar mundialmente, arrecadando muito dinheiro com passes de jogadores Árabes na Europa, e demonstrava um futebol melhor que o do Brasil.

A Al Fatah tornou-se a principal força de resistência das populações palestinas nativas diante das impiedosas Força de Destruição, digo, Força de Defesa Israelense. Era a única que sobrevivia durante o enfrentamento, e consegui fazer numa retirada desesperada bem sucedida. Empolgado com o sucesso de sua política de defesa com sua guerrilha, Yasser começa acreditar na ideia de conseguir quem sabe vencer Israel numa guerra... Bem, com a nova derrota dos países árabes para os israelenses na Guerra dos Seis Dias, em 1967. Yasser ficou profundamente abalado, principalmente quando o psicopata Moshe Dayan, começou a caçar seus colegas do "Al Fatah 2.0".

Yasser Arafat na Guerra dos Seis Dias

Em 1969, Arafat abandona o "Al Fatah" e o projeto do "3.0" , e assume a OLP firmando suas bases na Jordânia, funcionando como um estado dentro do outro. Isso, e o medo de represálias por Israel, levou a atritos com o rei Hussein, da Jordânia, que varreu a organização.

Arafat, então, sofrido passou as bases principais da OLP para o Líbano. Lé, porém, foi combatido diretamente pelos israelenses, já que Moshe Dayan agora além de General, foi direcionado para o Ministério das Relações Exteriores (a.k.a Ministério da Guerra em Israel). Assim, institivamente invadiram o Líbano. Arafat migrou outra vez com o comando da OLP, agora para Túnis. Com a expulsão do Líbano, as 'intifadas' (sacudidas) passaram a ser um modo de chamar a atenção do mundo para o povo palestino. Lançar pedras em tanques israelenses, é a clara situação de sucateação das forças guerrilheiras da Palestina.

Em 1974, a OLP foi reconhecida pela ONU e pelos estados árabes como governo legítimo dos palestinos. Inicialmente respondendo com métodos terroristas a sistematica tática de destruição defesa Israelense. Foi nesta época, mas dficil, que Yasser Arafat chegou a mencionar a vontade de destruir Israel...


Cquote1.png Quem estes israelenses pensam que são? Se eu fosse a morte, eu os matava Cquote2.png
Yasser Arafat

...Porém foi vinculado assim na mídia internacional:

Cquote1.png Israelenses? Eu os matava... Cquote2.png
Yasser Arafat

Fato justificado pela falta de interpretes árabe e principalmente pela procura de espaços comerciais entre as notícias do Oriente Médio nos jornais, já que davam muito Ibope. Israel passou da "defesa" para o ataque literal ao povo palestino, agora alegando legítima defesa.

Arafat passou a mudar de tática no começo da década de 80, após 1599 tentativas de assassinato. Buscou por senso de sobrevivência, explorar mais as vias diplomáticas, angariando grande apoio da opinião pública internacional "em off" para a causa palestina. Por sua vez, Israel, concentrou sua ofensiva ideologíca nos EUA, país com a maior população judaica do mundo, e de onde estes coordenam a Nova Ordem Mundial e outras conspirações globais.

Coincidentemente, os EUA, mantinha a hegemonia político-econômico-militar em todo Ocidente. Desta forma, parcialmente, o mundo passou para o lado palestino - "em off", porém, não ousava manifestar opinião contra os EUA, e portanto Israel. Assim, Israel se armou economicamente e literalmente, para poder destruir, digo, defender-se. Em 1988, após sofrer muitos ataques, digo retalhações, Arafat anunciou que a OLP renunciava ao combate pelo terrorismo e reconhecia o direito de todos envolvidos no conflito do Oriente Médio de viverem em paz e segurança, "inclusive o estado da Palestina, Israel e vizinhos".

Anunciando que renunciava o terrorismo, sua única tática de defesa bem sucedida, em Genebra, Suíça. Repare no seu entusiasmo com o futuro da Palestina depois do discurso.

Em 1993, Arafat conseguiu firmar com o governo israelense acordo que deu aos palestinos autonomia limitada em Jericó e na Faixa de Gaza. Limitada por incursões das forças especiais, commandos, paraquedistas israelenses, além de bombardeios que ocorriam numa frequência de seis por semana. Em 1996, Arafat se elegeu Presidente da Autoridade Palestina.

Porém, a roda da sorte de Yasser havia acabado (peraí quando começou? Quando nasceu árabe e palestino?). Neste mesmo ano, os israelenses elegeram Benjamin Netanyahu para general primeiro-ministro, um declarado opositor à existência de um estado palestino verdadeiramente soberano (isso quer dizer: nós aceitamos os palestinos com um estado, desde que dentro da África). Netanyahu foi sucedido pelo general Baraka e depois pelo general Ariel Sharon, do Likud (Do Hebraico: Guerra Santa, símilar a Jihad).

Cquote1.png Put** Merda, cara mais azarado, se fod**... Cquote2.png
Você sobre a situação de Yasser Arafat

Este, Ariel Sharon, lamentou várias vezes não ter assassinado Arafat quando tivera oportunidade. Após vários anos vivendo restringido em seu quartel general, afinal, Israel permitia que ele viajasse (sem volta). Yasser Arafat faleceu em Paris, França, em 11 de novembro de 2004, após passar vários dias em coma.

[editar] Ver Também

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas