Zé Caveirinha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
250px-Wario WWare.gif Este artigo é sobre um personagem secundário!

Quase ninguém sabe da existência deste zé ruela que só serve pra encher linguiça na trama e provavelmente está morto. Se bobear, nem no Google tá!

Clique aqui para ver gente que só fãs alienados conhecem.

PoR-Death.gif Zé Caveirinha já morreu!

Beijinho, beijinho, tchau tchau!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno

Zé Caveirinha se divertindo como pode no cemitério.

Cquote1.png Você quis dizer: Professor Eustáquio? Cquote2.png
Google sobre Zé Caveirinha
Cquote1.png Experimente também: Esqueleto Cquote2.png
Sugestão do Google para Zé Caveirinha
Cquote1.png Adoro brincar de quebra-cabeças! Cquote2.png
Penadinho sobre quando Zé Caveirinha cai e se desmonta todo

Apresentação[editar]

Zé Caveirinha, como é conhecido popularmente pela turma do cemitério onde vive (pelo óbvio, não passa de um bando de ossos amontoados e ambulantes em um esqueleto do que, possivelmente, foi um homem - WTF?), faz parte da Turma do Penadinho, um grupo de mortos-vivos que habitam um simples e humilde cemitério e acreditam estar no Purgatório, sendo que parecem estar mais é no Inferno do que em outro lugar, principalmente pelo estado realmente morto do local, presente nos gibis da Turma da Mônica, aparecendo entre uma historinha e outra para encher linguíça pela falta de criatividade de Maurício de Souza os gibis ficarem mais diversificados e democráticos, atendendo aos pedidos tanto dos vivos quanto dos mortos, que apreciam uma boa comédia (ou pelo menos apreciavam quando menores, ou pelo menos quando ainda estavam vivos).

O Professor Eustáquio[editar]

E pensar que esse conjunto de ossos já se chamou Professor Eustáquio...

Poucas pessoas conhecem como foi a história de Zé Caveirinha quando ainda vagava serelepemente pela Terra, bem, pra falar a verdade, ninguém realmente sabe como foi a vida dele, assim como os de todos os defuntos daquele local (coisa que realmente pouco importa, haja visto que o que interessa mesmo são as risadas que eles podem tirar de quem paga uma nota pela compra a revistinha). Porém, em uma revista "X", no episódio "Y", presente na página "Z" (acha mesmo que eu sou tão viciado para lembrar desses detalhes mórbidos dos gibis? quem sabe isso é otaku), Zé Caveirinha, que dificilmente aparece nas histórias em quadrinhos da Turma do Penadinho (perdendo somente para a Dona Galinha Cegonha no quesito exclusão defuntal) aparecendo somente a cada 1 episódio de 100 gibis lançados, conta que, quando vivo, era um famoso Paleontólogo (não sabe o que é isso? vá estudar!) e tinha como verdadeiro nome Professor Eustáquio (bom, com um nome desses, eu ainda prefiro a alcunha de Zé Caveirinha mesmo).

A vida de Professor Eustáquio era sempre mexer com velharias, mundos raridades perdidas e coisas do tipo, ao melhor estilo Indiana Jones (só que bem menos heróico, fodão e bem mais trabalhador, como todo brasileiro). Investigações era com ele mesmo, além de que foi um dos pioneiros no Brasil a tentar investigar as amostras de carbono 14 de Dercy Gonçalves, da Tua mãe e do Teu pai, para saber qual o grau de ancestralidade entre eles, ou se pelo menos são eram seres humanos. Porém, antes de concluir os seus estudos, Professor Eustáquio acabou tendo um ataque do coração ao ver que a sua mulher estava lhe traindo com o carteiro (coisa que ele sempre desconfiava, mas nunca tinha certeza, haja visto que todo o dia chegava alguma correspondência na casa dele, e era sempre quando ele estava de saída). Com essa descoberta, Professor foi parar no hospital e, não resistindo, foi fazer uma visita (só de ida), com a Dona Morte, para Deus, que veio a julgar os seus pecados cometidos em Terra.

No Purgatório[editar]

Penadinho e seus amigos fazendo uma festa no dia da chegada do Zé Caveirinha.

Chegando às portas do Paraíso, deu de cara com as portas fechadas para ele. Sem entender o porquê dessa porra está assim, resolveu bater punheta palmas e esperar que lhe dessem alguma satisfação lógica do ocorrido (ou não). Não demorou muito e apareceu o Anjinho para lhe trazer a notícia de que não poderia por os pés nos ares divinos, pelo simples motivo de que foi em vida um corno manso, o que acabou lhe acarretando alguns vários saldos negativos com o Senhor. Porém, como foi um homem puro e honesto para com o Ricardão todos, também não merecia ir para o abrigo do Tinhoso, podendo ficar entre o Céu e o Inferno, no bendito cemitério tratado como o Purgatório do Maurício de Souza (mas, é claro, se ele decidice optar pelo Inferno, não teria problema nenhum). Foi então que ele decidiu seguir a Dona Morte para a sua nova morada (que, no final, também era o mesmo dela) e juntos partiram para esse novo local Mara! mágico, conhecido como o Purgatório.

Como um bom estudioso que foi em vida, Eustáquio já havia lido A Divina Comédia e sabia o que poderia encontrar por alí, mas, ao dar de cara com o local, viu que Dante estava redondamente enganado quanto aquilo. Não havia nenhum local para subir ou descer entre os mundos, era somente um cemitério simples e comum, cheio de criptas, fantasmas e algumas criaturas folclóricas, tanto gringas quanto brasileiras. Foi então que ele começou a se enturmar, fazendo amizades com um Fantasma sem joelhos, um Frankstein desmiolado, um vampiro vegetariano, um homem-cachorro e um crânio falante (sem falar dos outros personagens secundários, como a Alminha e a Dona Cegonha, que ele não quer ver tão cedo, assim como todos do cemitério). Depois de fazer amizades com o núcleo principal dos Estúdios Maurício de Souza no âmbito dos mortos a turminha de defuntos, Eustáquio (que é um nome feio pra diabo) acabou recebendo o nome de Zé Caveirinha pois, com o tempo, acabou ficando somente um bando de ossos perambulando como se ainda tivesse vida.

Curiosidades Caveirísticas[editar]

  • Zé Caveirinha, antes de ser contratado por Maurício, foi chamado para ser o Esqueleto, inimigo do He-Man, mas, por ser muito bonzinho, acabou sendo descartado;
  • É o único que tem um nome próprio, fora o apelido que todo mundo recebe quando chega no Purgatório cemitério;
  • Sua história de vida foi revelada pelo esqueleto de tiranossauro rex, que tinha desenterrado uma vez em suas pesquisas e que reconheceu o seu escavador;
  • O nome do tiranossauro era Titi (sim, que nem o nome do outro dentuço e paquerador).

Ver também[editar]