Zeca Bento

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
250px-Wario WWare.gif Este artigo é sobre um personagem secundário!

Quase ninguém sabe da existência deste zé ruela que só serve pra encher linguiça na trama e provavelmente está morto. Se bobear, nem no Google tá!

Clique aqui para ver gente que só fãs alienados conhecem.

O Primo mostrando mais uma de suas bugigangas. Para Chico isso é só uma viola mais fina do que um lambari.

Cquote1.png Você quis dizer: Zé Lelé? Cquote2.png
Google sobre Zeca Bento
Cquote1.png Experimente também: Zeca Baleiro Cquote2.png
Sugestão do Google para Zeca Bento
Cquote1.png Ai, Chico, você não entende nada da cidade! Cquote2.png
Zeca sobre Chico

Apresentação[editar]

Além do famoso caipira loiro, de olhos verdes e muito burro chamado de Zé Lelé, que, para quem não sabe, tem um grau de parentesco com o Chico no nível de primo por parte de mãe, Chico Bento ainda possuiu mais um outro primo mais idiota ainda, sendo este por parte de pai, que poucos conhecem o seu verdadeiro nome, chamando-o mais popularmente de Primo ou (quando é outra pessoa que fala) Primo do Chico, sendo que o seu nome de verdade é Zeca Bento (o "Bento" para provar o seu parentesco com o caipira de camisa amarela). Citadino desde que se deu por gente, Zeca teve muita sorte do seu pai ter conseguido subir na vida e ir morar na cidade, afinal, o moleque só quer saber do bom e do melhor, sempre atazanando o pobrezinho do Chico Bento que, não conhecendo muito bem os costumes do "povo da cidade" e de suas "modernices" sempre tem várias perguntas a fazer e, Zeca, só para humilhar o garoto, exibe sempre as suas parafernálias para matá-lo de inveja (se bem que Chico nem sequer liga para isso).

Life in the city[editar]

Cquote1.png Ai, Meu Deus, não acredito que isso é o meu primo! Cquote2.png
Zeca sobre o seu primo matuto

Tendo por volta de dez anos de idade, usando sempre uma camisa vermelha e calça jeans, sem falar do cabelo atolado de gel e bem penteado formando um topete do Elvis Presley, Zeca sempre acaba agindo como um verdadeiro citadino paulista, achando que sabe demais sobre A resposta para a Vida, o Universo e tudo mais, colocando-se no topo da escala evolutiva, em detrimento das pessoas menos favorecidas das "hightecalidades", ou mesmo das mais ignorantes, humilhando até mesmo o seu primo da roça sempre que pode, ou questionando-o sobre o porquê dele fazer tais coisas campestres e corriqueiras, se "na cidade as coisas são diferentes". Mimado do jeito que é, tem tudo o que todo garoto sempre quis ter, desde um moderno PlayStation 3 até um Nintendo Wii, mesmo que não mereça, sem falar que ele estuda em uma escola particular, enquanto o pobre do Chico tem que dividir a sua querida "fessora" com uma turma de quase cinquenta alunos (e isso só no turno da manhã, imagine nos outros turnos).

Agora imagina a confusão no dia em que o Chico conheceu um Shopping com o Primo.

É claro que viver na cidade sempre muitas das vezes bate uma monotonia dos carambas, queremos fugir, ver novas caras, fazer novas tarefas e coisas do tipo. Por esse motivo, sempre que pode, Zeca manda insiste para que seus pais o levam para visitar o seu primo na Vila Abobrinha, pois é o único primo que tem quer desestressar um pouco de sua agitada vida moderna. Para o seu azar, sempre que chega no local acaba se deparando com a realidade pobre humilde do outro lado de sua família. Na casa do primo Chico eles não tem televisão (o que é incrível deles só terem UM filho, já que pobre sem televisão sempre tem mais de seis), não tem cinema, ou mesmo uma simples sorveteria. Por esses e outros motivos que o Primo acaba sempre se frustrando em suas viajens, preferindo voltar rapidamente para o conforto do lar. Mas, enquanto não pode, o jeito é encher o saco propagar o seu conhecimento sobre as modernices para o bando de matutos que por alí habitam (e que, pode ter certeza, o que não falta é gente ignorante naquelas bandas do fim do mundo) para que, quem sabe um dia, lá evolua tanto ao ponto de parecer uma cidade.

Chico sempre entendendo tudo direitinho.

Mas não podemos deixar de falar que as luzes da cidade também despertam a curiosidade daqueles que vivem no nada no campo. Chico Bento, por exemplo, adora fazer as suas visitinhas repentinas à capital, conhecer um pouco da cultura dos citadinos e, principalmente, a sua gastronomia. Nas épocas de "vacas-magras", o pobre caipira torce a muito para que o seu primo apareça e o convide para passar pelo menos o FDS em seu apartamento, para poder comer pizza, sanduíche do McDonalds e todas aquelas outras porcarias que vendem na cidade e que só fazem engordar ou aumentar consideravelmente a taxa do colesterol. Só que do mesmo modo que a cidade encanta o Chico, ela também desancanta, ainda mais com as suas ruas perigosas, suas casas fechadas e a total falta de "inducação" do povo que alí vive, que pouco se importa com o meio ambiente, os "pexe" ou mesmo em economizar energia, criando espaços enormes e fechados de lojas e enchendo tudo de luz (espaços até maiores que o celeiro do Nhô Lau que comparação ¬¬).

Laife in de Vila Abobrinaixion[editar]

Chico aplicando na roça o que aprendeu na cidade com o seu Primo, principalmente sobre Rave e Upgrade.

Nunca a casa dos pais do Chico vai ser igual ao seu apartamento na cidade, mas Zeca tenta (pelo menos ele tenta) fazer com que as coisas se assemelhem o máximo possível, tanto dentro quanto fora do domicílio, trazendo sempre alguma ideia nova para animar a pacata vila. Já teve a ideia de comemorar o Halloween na localidade que, de monstro, só conhece os do folclóre brasileiro; realizar um "xou de roqui" (segundo as palavras do Chico) durante uma serenata que o Chico queria fazer para a Rosinha; ou até reformar o nome do "comércio do Nhô Lau" somente para "Lhau's", por saber que nome em inglês sempre chama mais atenção do que em português, mesmo que o Nhô Lau nem saiba do significado de um apóstrofo (caso você também não saiba, é a bendita vírgula superior entre o u e o s). Mesmo com todas as suas grandes ideias de merda, Zeca acaba passando a ideia de ser uma pessoa totalmente preconceituosa com o povo do interior, sendo que ele é mesmo somente deseja que eles fossem (pelo menos um pouco) parecido com o pessoal da cidade, nada demais.

Outro primo de Chico, caso você não saiba.

Como todo mundo da vila já saturou as "novidades citadinas" do Primo do Chico, ele dificilmente resolve se afastar muito do sítio dos Bentos, por medo de ser linchado pelo povo enfurecido com as suas esquisetices, ficando basicamente entre o ribeirão e a própria casa do primo. Quando ambos estão reunidos no quarto do Chico, sozinhos, à portas trancadas Zeca resolve mostrar para Chico (ui!) seus novos brinquedos, geralmente muito caros e fragéis, como toda porcaria de um shopping popular. Ao melhor estilo Kiko ao exibir seus brinquedos para o Chaves, Zeca também o faz, mas pega mais leve com o primo, deixando-o ao menos encostar em suas novas coisas. Quando tem algo um pouco mais velho e vê que tal parafernália pode ser muito útil para o seu primo (principalmente para fazê-lo largar aquela Rosinha e realmente achar alguém que, pelo menos, o português fale direito), Zeca não pensa duas vezes em dar tudo o que tiver para ele (ui!), contando que esteja ajudando o seu sangue, ele pouco se importa.

É a última vez que Zeca pede para Chico fazer pose para uma foto.

Apesar de não gostar de receber muitas dessas esmolas de seu primo (ainda mais por nunca saber o motivo delas existirem ou para que servem), Chico acaba se beneficiando e muito com tais coisas, apesar de que, se desfazer de tais pertences, acaba sempre dando uma dor de cabeça danada no Zeca, como na vez em que emprestou para o Chico a sua guitarra, para ele fazer uma seretana, os acordes de Chico eram tão desafinos que chegou a acordar todos da vila, que pensavam estar no meio do Apocalipse; no dia também em que ousou emprestar o seu computador, teve um prejuízo dos carambas, já que o mesmo acabou pifando nas mãos do caipira; ou mesmo quando deu um pijana verde novinho para ele usar, sendo que tal peça de roupa foi totalmente devorada pelo bode Barnabé, que a confundiu com folhas de alface. Mesmo assim, ele ainda ousa ajudar ele sempre que pode. Mesmo sendo bem informado, Zeca ainda leva umas boas ownadas quando chega a vila, mostrando que, na verdade, quem é mais caipira dos dois lado é realmente o próprio Primo Zeca e não o Chico (ou não).

Curiosidades do Primo do Chico[editar]

  • Poucas são as pessoas que sabem que o nome dele é Zeca;
  • Apesar de viver na cidade tem o nome de um caipira;
  • Gosta de se fazer de sabe tudo quando o seu primo do interior vai visitar a cidade.

Ver também[editar]